Correlação entre uso da terra e feições geomorfológicas: uma proposta de análise a partir da cartografia retrospectiva
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Cartografia retrospectiva
Processos erosivos
Cobertura superficial da terra
Técnicas conservacionistas

Como Citar

SCUDELLER ZANATTA, F. A.; LUPINACCI, C. M.; BOIN, M. N. Correlação entre uso da terra e feições geomorfológicas: uma proposta de análise a partir da cartografia retrospectiva. Sociedade & Natureza, v. 32, p. 494-512, 29 jul. 2020.

Resumo

Distintos estudos da ciência geomorfológica se dedicam a compreender o efeito da ação humana na dinâmica natural dos ambientes. Nessa perspectiva, o presente artigo objetiva identificar o efeito da agricultura e das técnicas conservacionistas sobre a dinâmica dos processos de vertentes e de fundos de vale em uma área rural degradada. Para tanto, como objeto de estudo foram selecionadas subbacias do ribeirão Areia Dourada, localizadas no município de Marabá Paulista (SP), nas quais se utilizaram de princípios da cartografia retrospectiva, com o mapeamento do uso e cobertura superficial da terra e das feições geomorfológicas nos anos de 1963, 1979, 1997, 2011 e 2016. Para análise, junto aos mapeamentos e registros de campo, buscou-se com o Coeficiente de Correlação de Pearson (p) avaliar conjuntamente, com dados quantificados, as alterações das formas de relevo a partir do uso da terra nos cinco anos mapeados. Como resultado, constatou-se: desenvolvimento conjunto dos processos erosivos em distintos compartimentos topográficos; sistema de retroalimentação entre os processos de vertentes e fundos de vale; a baixa eficiência dos terraços agrícolas, tanto nas áreas de cultivo, mas, sobretudo nas áreas de pasto, de modo a contribuírem com a dinâmica erosiva ao alimentar processos erosivos de subsuperfície, ao mesmo tempo que não contém os de superfície.

https://doi.org/10.14393/SN-v32-2020-55730
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

ABDON, M. M. Os impactos ambientais no meio físico – erosão e assoreamento na bacia hidrográfica do Rio Taquari, MS, em decorrência da pecuária. Tese (Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental). Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, 2004. 319p.

BERTONI, J; LOM BARDI-NETO, F. Conservação do solo. São Paulo: Ícone, 1990.

BORGES, P. A evolução dos processos erosivos na bacia hidrográfica do ribeirão Alam Grei (SP): uma contribuição ao planejamento ambiental. Dissertação (Mestrado em Geografia – Organização do Espaço). Instituto de Geociência e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 2009.

CARVALHO, W. A. (coord.). Levantamento semidetalhado dos solos da bacia do rio Santo Anastácio-SP. Presidente Prudente, São Paulo: FCT- UNESP, 1997. v.1 e v.2.

CHARLTON, R. Fundamental of fluvial geomorphology. Routledge Taylor & Francis Group: London and New York, 2008.

DEPARTAMENTO DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA (DAEE); INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS (IPT). Controle de erosão: bases conceituais e técnicas; diretrizes para o planejamento urbano e regional; orientações para o controle de boçorocas urbanas. São Paulo: DAEE/IPT, 1989.

FRANCISCO, A. B. A erosão dos solos no extremo oeste paulista e seus impactos no campo e na cidade. Revista GEOMAE, Campo Mourão, v.2, n.2, p.57-68, 2011.

FIGUEIREDO FILHO, D. B.; SILVA JUNIOR, J. A. Desvendando os Mistérios do Coeficiente de Correlação de Pearson ®*. Revista Política Hoje, Vol. 18, n.1, p. 115-146, 2009.

FOOKES, P. G.; LEE, E. M.; GRIFFITHS, J. S. Engineering geomorphology: theory and practice. Dunbeath: Whittles Publishing, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual Técnico de Uso da Terra. 3ª edição. Rio de Janeiro: IBGE, 2006.

KARMAN, I. Ciclo da água: água subterrânea e sua ação geológica. In: TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M. C. M.; FAIRCHILD, T. R.; TAIOLI, F (org.). Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008. 557p.

LAL, R. Soil erosion in the tropics: principles and management. New York: McGraw- Hill, 1990.

LUZ, R.; RODRIGUES, C. Anthropogenic changes urbanised hidromorphological systems in a humid tropical environment River Pinheiros, São Paulo, Brasil. Zeitschrift fur Geomorphologie. Supplementband, v. 59, p. 109, 2015. http://dx.doi.org/10.1127/zfg_suppl/2015/S-59207

NIR, D. Man, a geomorphological agent: an Introduction to Anthropic Geomorphology. Keter Piblishing House: Jeresalem, 1983.

PASCHOLA, L. G. Estudo dos efeitos da criação de morfologias antropogênicas em áreas de mineração. Tese (Mestrado em Geografia – Organização do Espaço). Instituto de Geociência e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 2014, p.?

PREFEITURA DE MARABÁ PAULISTA. Informações sobre a história da cidade. Disponível em: <https://marabapaulista.sp.gov.br/cidade>. Acesso em 08 de dezembro de 2019.

QUARESMA, C. C. Reativação da rede de drenagem e processos erosivos na bacia do rio Santo Anastácio – SP/BRASIL: contribuições à geomorfologia antrópica e ao entendimento das organizações espaciais. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Estadual de Campinas.

RODRIGUES, J. O. N.; PERUSI, M. C.; PETERLINI, G. H. C.; TIEZZI, R. O.; PISANI, R. J.; SANTANA, E. L. R. Variações texturais dos Latossolos Vermelhos do assentamento rural Antonio Conselheiro – Mirante do Paranapanema (SP). Geografia em Atos, n.6, v.1, Presidente Prudente, 2006.

SALOMÃO, F. X. T. Controle e prevenção dos processos erosivos. In: GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, R. G. M. (Org.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 8ª edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

SIMON, A. L. H. A influência de reservatórios hidrelétricos sobre a morfohidrografia na baixa bacia do rio Piracicaba SP: contribuições ao estudo da Geomorfologia Antropogênica. Tese (Doutoramento Geografia – Organização do Espaço), Instituto de Geociência e Ciências Extadas, Universidade Estadual Paulista. São Paulo, 2010.

SOIL SURVEY STAFF. Soil Survey Manual. USDA: Soil Conservation Service,Agricultural Handbook. Nº 18, U. S. Gov. Print: Office, Wahsington, D. C. 1993.

SOUZA, T. A.; REGINA, C. O. Avaliação da potencialidade de imagens tridimensionais em meio digital para o mapeamento geomorfológico. REVISTA GEONORTE. Edição especial, v.2, n.4, p.1348- 1355, 2012.

STEIN, D. P.; PONÇANO, W. L.; SAAD, A. R. Erosão na bacia do Rio Santo Anastácio, Oeste do estado de São Paulo, Brasil. Revista Geociências. v.22, n.2, p.143-161, 2003.

TRICART, J. Principes et méthodes de la géomorphologie. Paris: Masson, 1965, 496p.

VERSTAPPEN, H. T.; ZUIDAM, R. A. System of geomorphological survey. Netherlands, Manual ITC Textbook, Vol. VII, Chapter VII, 1975.

WENDLING, B.; MENDONÇA, E.S.; NEVES, J. C. L. Carbono orgânico e estabilidade de agregados de um Latossolo Vermelho sob diferentes manejos. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Brasília, v.40, n.5, p.489-494, 2005.

ZANATTA, F. A. S.; LUPINACCI, C. M.; BOIN, M.N. Avaliação dos processos erosivos no Planalto Ocidental Paulista: um estudo de caso em busca das interações especiais. Revista Brasileira de Geomorfologia, v.18, nº 4, p. 767-782, 2017a. http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v18i4.1029

ZANATTA, F. A. S.; LUPINACCI, C. M.; BOIN, M.N. O uso de anaglifos na identificação de feições erosivas: estudo de caso em área rural degradada. In: BOIN, M.N.; MARTINS, P. C. S.; MIRANTE, M. H. P. (Org.). Geotecnologias aplicadas às questões ambientais. Tupã (SP), ed. ANAP, 1ª ed., vol.1, p.31-53, 2017b.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.