Espaço, Totalidade e Método
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Ciência
Geografia
Teoria

Como Citar

ROSSI, R. Espaço, Totalidade e Método. Sociedade & Natureza, v. 32, p. 578-585, 18 ago. 2020.

Resumo

O presente artigo aborda a relação entre espaço geográfico na mediação com a totalidade. Trata-se de uma reflexão de ordem metodológica a partir das contribuições da tradição filosófica conhecida como abordagem ontológica e crítica. Imprescindível, nesta questão, a distinção qualitativa entre a perspectiva gnosiológica e a perspectiva ontológica no processo de produção do conhecimento. Nesse sentido, abordamos, em primeiro lugar, a relação entre teoria, prática e crítica para essa perspectiva em análise, bem como a especificidade do conhecimento científico. Nem a teoria deve subordinar a prática, nem tampouco a prática deve desprezar a teoria. Há uma reciprocidade dialética entre ambas e o conhecimento teórico deve permitir traduzir a essência de movimentos reais e efetivos. Posteriormente demonstramos a função social do espaço geográfico em suas articulações com a totalidade. Concluímos que o espaço geográfico deve ser analisado sempre em articulação com a totalidade e que esta, por sua vez, não pode ser entendida apenas como uma somatória de seus componentes. A totalidade congrega uma rede de mediações qualitativas oriunda das determinações recíprocas que se estabelecem entre os complexos sociais que a constituem e dinamizam. Além disso, apontamos as influências que a produção exerce no espaço pela mediação predominante da totalidade sócio-espacial.

https://doi.org/10.14393/SN-v32-2020-48456
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

ANDRADE, M. A. Trabalho e Totalidade Social: Qual o Momento Predominante da Reprodução Social? In: COSTA, G.; ALCÂNTARA, N. Anuário Lukács. São Paulo: Instituto Lukács, 2014. p. 177-203.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim da versão inglesa de W. D. Ross – “Os Pensadores”. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

CHASIN, J. Superação do Liberalismo. 1988, mimeografado.

CHASIN, J. Crise Contemporânea e Socialismo Necessário. Revista GESTO-Debate, vol. 11, n. 01, p. 01-23, 2018.

HEGEL, G. W. F. Fenomenologia do Espírito – Parte I. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 1992.

LUKÁCS, G. Il Lavoro. In: Per una Ontologia dell’esseresociale.Tradução Mimeo.de Ivo Tonet. Roma: Riuniti, 1981, p. 11-131.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social – I. São Paulo: Boitempo, 2012.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social – II. São Paulo: Boitempo, 2013.

NETTO, J. P. Razão, Ontologia e Práxis. Revista Serviço Social &Sociedade, n. 44, p. 26-42, 1994.

NETTO, J. P. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

SANTOS, M. Sociedade e Espaço: A Formação Social como Teoria e como Método. Boletim Paulista de Geografia, n. 54, p. 81-100, 1977.

SANTOS, M. Metamorfoses do Espaço Habitado – fundamentos Teórico e metodológico da geografia. São Paulo: Hucitec, 1988.

SANTOS, M. Espaço e Método. 4ª ed. São Paulo: Nobel, 1997.

SANTOS, M. A Totalidade do Diabo: como as formas geográficas difundem o capital e mudam as estruturas sociais. In: Economia Espacial. São Paulo: Edusp, 2007.

TONET, I. Método Científico – Uma abordagem ontológica. São Paulo: Instituto Lukács, 2013.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.