Qualidade da paisagem e perdas de solo frente à simulação de cenários ambientais no Cerrado, Brasil
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Fragmentação Florestal
Métricas da Paisagem
Antropização
Vulnerabilidade Ambiental
Goiânia

Como Citar

SANTOS ARRUDA DE LIM, G. A; CLEMENTINO FERREIRA, N.; FERREIRA, M. E. Qualidade da paisagem e perdas de solo frente à simulação de cenários ambientais no Cerrado, Brasil. Sociedade & Natureza, v. 32, p. 426-438, 10 jul. 2020.

Resumo

O presente estudo utilizou-se de fundamentos da ecologia, por meio da aplicação de algumas métricas espaciais, para verificar a atual fragmentação da paisagem na Região Metropolitana de Goiânia (RMG), com o objetivo de estabelecer áreas prioritárias para manutenção e para a recomposição florestal. Para tanto, foi realizada a simulação de três cenários, o primeiro representando a situação atual, o segundo considerando a recomposição florestal em Áreas de Proteção Permanente (APP) ao longo dos cursos d’água, enquanto no terceiro cenário, o reflorestamento nas regiões de alta e muito alta vulnerabilidade ambiental na área de estudo. A presente investigação também propôs avaliar a perda de solo por erosão laminar aplicado aos três cenários propostos para a região. Constatou-se que na RMG, de acordo com a atual configuração da paisagem, tem-se alta fragmentação dos remanescentes de vegetação, sendo a manutenção e conservação dos remanescentes fundamental, e o reflorestamento altamente recomendado. A espacialização desses resultados e indicação de áreas para reflorestamento e conservação servem de orientação às políticas públicas e na tomada de decisão coletiva envolvendo todos os municípios da RMG.

https://doi.org/10.14393/SN-v32-2020-47029
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

ALANDI, C. M.; LA GUERRA, M. M.; PUIG, C. C.; FERNANDÉZ, J. V. L. Conectividad ecológica y áreas protegidas: Herramientas y casos prácticos. Madrid: FUNGOBE, 86p. 2009.

ALBERGARIA, C. Um olhar crítico sobre o conceito e a prática da Reserva Ecológica Nacional. Mestrado, Faculdade de Engenharia. Universidade do Porto, Porto, 2006 Disponível em: <http://www.estig.ipbeja.pt/~acdireito/Albergaria.pdf>. Acesso: 18 dezembro 2017.

AWADE, M.; METZGER, J. P. Using gap-crossing capacity to evaluate functional connectivity of two Atlantic rainforest birds and their response to fragmentation. Austral Ecology v. 33, p. 863-871, 2008. https://doi.org/10.1111/j.1442-9993.2008.01857.x

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012.

BRITO, F. Corredores ecológicos: uma estratégia integradora na gestão de ecossistemas. Florianópolis. Ed. Da UFSC, 2012.

CAMARGO, J. A.; SCHIMIDT, K. Efeitos da fragmentação sobre a diversidade de saturniidae (lepidoptera) em isolados naturais e antrópicos de Cerrado. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados. Boletim de pesquisa e desenvolvimento/Embrapa Cerrados, 30p. 2009.

COLLINGE, S. K. Spatial arrangement of habitat patches and corridors: clues from ecological field experiments. Landscape an Urban Planning, v. 42, p. 157-168, 1998. https://doi.org/10.1016/S0169-2046(98)00085-1

COSTA, Y. T.; BARCELOS, A. C.; RODRIGUES, S. C. “Avaliação da eficiência da cobertura vegetal sobre o processo de escoamento superficial por meio de parcelas experimentais na Fazenda Experimental do Glória (Uberlândia – MG)”. In: I SIMPÓSIO MINEIRO DE GEOGRAFIA, 2014, Alfenas. Anais. Alfenas: Universidade Federal de Alfenas, p. 1-11, 2014.

CULLEN, L.; ABREU, K. C.; SANA, D.; NAVA, A. F. D. As onças-pintadas como detetives da paisagem no corredor do Alto Paraná, Brasil. Natureza & Conservação, v.3, p. 43-58, 2005.

DESCROIX, L.; BRRIOS, J. L. G.; VIRAMONTES, D.; POULENARD, J.; ANAYA, E.; ESTEVES, M.; ESTRADA, J. Gully and sheet erosion on subtropical mountains slopes: Their respective roles and the scale effect. Catena, v.72, p. 325-339, 2008. https://doi.org/10.1016/j.catena.2007.07.003

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sistema de informações de solos brasileiros. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: <http://www.bdsolos.cnptia.embrapa.br/>. Acesso em: 08 abr. 2017.

FAO - Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação. La erosión del suelo por el água. Algunas medidas para combatirla en las tierras de cultivo. Cuadernos de fomento agropecuário da Org. De Las Naciones Unidas, Roma: FAO, v. 81, 207 p., 1967.

FAO - Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação. A América Latina e o Caribe celebram o Ano Internacional dos Solos. Relatório 2015. Disponível em: <http://www.fao.org/americas/noticias/ver/pt/c/270863/> Acesso: 08 jun. 2017.

FERREIRA, N. C. Vulnerabilidade ambiental do estado de Goiás – MACROZAEE, Goiânia, Goiás, 2014.

FORMAN, R. T. T.; GODRON, M. Landscape Ecology. New York: Wiley. 1986.

GARCIA, L. S.; SANTOS, A. M.; FOTOPOULOS, I. G.; FURTADO, R. S. “Fragmentação florestal e sua influência sobre a fauna: Estudo de Caso na Província Ocidental da Amazônia, Município de Urupá, Estado de Rondônia”. In: XVI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 2013, Foz do Iguaçu. Anais. Foz do Iguaçu: INPE, 2013. p. 3163-3170.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico de 2010. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: <http://cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?codmun=411520> Acesso em: 01 jul. 2017.

ITCO - Instituto de Desenvolvimento Tecnológico o Centro Oeste. ZEE – Goiânia: um instrumento de gestão ambiental urbana. Prefeitura Municipal de Goiânia. Goiânia: Prefeitura Municipal de Goiânia, 377p., 2008.

KURASZ, G.; ROSOT, N. C.; OLIVEIRA, Y. M. M.; ROSOT, M. A. Caracterização do entorno da reserva florestal Embrapa/ Epagri de Caçador (SC) usando imagem Ikonos. Floresta, v. 38, p. 641-649, 2008. https://doi.org/10.5380/rf.v38i4.13159

LANG, S.; BLASCHKE, T. Análise da paisagem com SIG. São Paulo, SP: Oficina de Texto, 2009.

LIMA, G. S. A.; FERREIRA, N. C.; RIBEIRO, H. J.; NOGUEIRA. S. H. M. Simulação de cenários de perda de solo por erosão laminar na região metropolitana de Goiânia. In: Anais Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR) 18, Santos-SP, Brasil. São José dos Campos, INPE, p. 3656-3663, 2017.

LIMA, G. S. A.; FERREIRA, N. C.; FERREIRA, M.E. Modelagem da Perda Superficial de Solo para Cenários de Agricultura e Pastagem na Região Metropolitana de Goiânia. RBC. Revista Brasileira de Cartografia (Online), v. 70, p. 1510-1536, 2018. https://doi.org/10.14393/rbcv70n4-46513

MACARTHUR, R. H.; WILSON, E. O. The Theory of Island Biogeography. Princeton Univ. Press, Princeton, 1967.

MARTINS. S. V. Recuperação de Matas Ciliares. Viçosa, Minas Gerais. Aprenda Fácil Editora, p. 143, 2001.

METZGER, J. P. Landscape ecology approach in the preservation and rehabilitation of riparian forest areas in S.E. Brazil. In: CHAVÉZ, S.; MIDDLETON, J. (Orgs.). Landscape Ecology as a Tool for Sustainable Development in Latin America: International Association for Landscape Ecology, 1998.

METZGER, J. P.; ALVES, L. F.; PARDINI, R.; DIXO, M.; NOGUEIRA, A. A.; NEGRÃO, M. F. F.; MARTENSEN, A. C; CATHARINO E. L. M. Ecological characteristics of the Morro Grande Forest Reserve and conservation implications. Biota Neotrop. v. 6 n. 2, 2006. https://doi.org/10.1590/S1676-06032006000200011

MORIN, P. Community Ecology. USA: Blackwell Publishing, 424p., 2005.

MYERS, J.; BAZELY, D. Ecology and Control of Introduced Plants. Ecology, Biodiversity and Conservation, Cambridge, p. 35-49, 2003. https://doi.org/10.1017/CBO9780511606564

NEIFF, J. J.; NEIFF, A. S. G. P.; CASCO, S. L. Importância Ecológica del Corredor Fluvial Paraguay-Parana, como Contexto del Manejo Sostenible. Enfoque Ecossistemico, v. 1, n.1, p. 193-210, 2005.

PDIRMG - Plano de desenvolvimento integrado da Região Metropolitana de Goiânia. Análise dos aspectos ambientais na Região Metropolitana de Goiânia. Relatório técnico. Goiânia, 2017. Disponível em: < http://pdi-rmg.secima.go.gov.br/wp-content/uploads/2017/10/4-Analise-dos-Aspectos-Ambientais.pdf> Acesso em: 14 mar. 2018.

PIROVANI, D. B.; SILVA, A. G. da; SANTOS, A. R. dos; CECÍLIO, R. A.; GLERIANI, J.

M.; MARTINS, S. V. Análise Espacial de Fragmentos Florestais na Bacia do Rio Itapemirim, ES. Revista Árvore, v. 38, n. 2, p. 271–281, 2014. https://doi.org/10.1590/S010067622014000200007

PRADO, P. I.; LANDAU, E. C.; MOURA, R. T.; PINTO, L. P. S.; FONSECA, G. A. B.; ALGER, K. (Org). Corredor de biodiversidade da Mata Atlântica do Sul da Bahia. Ilhéus. IESB/CI/CABS/UFMG/Unicamp, 2003.

PRIMACK, R. B.; RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Londrina: E. Rodrigues, 2001. https://doi.org/10.5433/16790359.2002v23n2p261

RODRIGUES, E. Efeito de borda em fragmentos de floresta. Cadernos de Biodiversidade, v. 1, p. 1-5, 1998.

REMPEL, R. S.; KAUKINEN, D.; CARR, A. P. Patch Analyst and Patch Grid. Ontario, Ontario Ministry of Natural Resources, Centre for Northern Forest Ecosystem Research. 2012.

SANTOS, M. P. D.; CERQUEIRA, P. V.; SOARES, L. M. S. Avifauna em seis localidades no Centro Sul do Estado do Maranhão, Brasil. Ornithologia v. 4, p. 49-65, 2010.

SANTOS, G. G.; GRIEBELER, N. P.; OLIVEIRA, L. F. C. Chuvas intensas relacionadas à erosão hídrica. R. Bras. Eng. Agric. Ambiental. v.14, n.2, p. 115-123, 2010. https://doi.org/10.1590/S14154366201000020001

SAUNDERS D. A.; HOBBS R. J.; MARGULES C. R. Biological consequences of ecosystem fragmentation: a review. Conservation Biology, v. 5, p. 18-32, 1991. https://doi.org/10.1111/j.15231739.1991.tb00384.x

TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C.; GASCON, C. Forest fragmentation, synergisms and the impoverishment of neotropical forests. Biodiversity and Conservation, v. 13, p. 1419-1425, 2004. https://doi.org/10.1023/B:BIOC.0000019398.36045.1b

TILMAN D. The ecological consequences of changes in biodiversity: a search for general principles. Ecology, v. 80, p. 1455-1474, 1999. https://doi.org/10.1890/00129658(1999)080[1455:TECOCI]2.0.CO;2

TURNER, I. M. Species loss in fragments of tropical rain forests: a review of the evidence. J. Appl. Ecol., v. 33, p. 200-209, 1996. https://doi.org/10.2307/2404743

VIANA, V. M.; TABANEZ, A. A. J.; MARTINS, J. L. A. Restauração e manejo de fragmentos florestais. In: Anais do Congresso Nacional Sobre Essências Nativas, São Paulo: Instituto Florestal de São Paulo, v. 2, p. 400-407, 1992.

VIANA, V. M.; PINHEIRO, L. A. F. V. Conservação da biodiversidade em fragmentos florestais. Série técnica IPEF, v. 12, n. 32, p. 25-42, 1998.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.