Território de plantar, colher e adoecer? Produção agrícola, agrotóxicos e adoecimento em Goiás, Brasil (2000 a 2013)
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Bioma Cerrado
Intoxicação
Microrregião de Ceres

Como Citar

TAVARES, G. G.; LEAL, A. C.; CAMPOS, F. I.; CAMPOS, D. M. B.; DE JESUS, L. H.; SOUSA, O. F. Território de plantar, colher e adoecer? Produção agrícola, agrotóxicos e adoecimento em Goiás, Brasil (2000 a 2013). Sociedade & Natureza, v. 32, p. 381-391, 15 jun. 2020.

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir a expansão do agronegócio no estado de Goiás, Brasil, o uso de agrotóxicos e o adoecimento da população nos anos 2000 a 2013, com ênfase em cinco municípios localizados na Microrregião de Ceres (Goianésia, Itapaci, Uruana, Rialma e Barro Alto). O procedimento metodológico consistiu em pesquisa bibliográfica, análise exploratória de dados e análise descritiva e estatística não paramétrica. Os resultados demonstram que nos anos 2000 a 2013 o estado de Goiás e os municípios investigados tiveram crescimento da área urbana; redução do bioma Cerrado e aumento da produtividade agrícola da cana-de-açúcar, milho e soja, acompanhados, conforme dados registrados em sistemas de informação em saúde, do aumento de casos de intoxicação, tentativas de suicídios com uso de agrotóxico, neoplasias e malformações congênitas.

https://doi.org/10.14393/SN-v32-2020-46823
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

ABREU, P.H.B.de; ALONZO, H. G. A. O agricultor familiar e o uso (in) seguro de agrotóxicos no município de Lavras/MG. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 41, p.1-12, 2016. https://doi.org/10.1590/2317-6369000130015

ACQUAVELLA, J. et al. Cancer among farmers: a meta-analysis. Annals of Epidemiology, v. 8, p. 64-74, 1998. https://doi.org/10.1016/S1047-2797(97)00120-8

AGRODEFESA. Agência Goiana de Defesa Agropecuária. Agrotóxicos. 2018. Disponível em: <http://www.agrodefesa.go.gov.br/post/ver/186586/agrotoxicos>. Acesso em: 03 de Fevereiro de 2018..

ALAVANJA, M. C. et al. Use of Agricultural Pesticides and Prostate Cancer Risk in the Agricultural Health Study Cohort. American Journal of Epidemiology, v. 157, p. 800-814, 2003. https://doi.org/10.1093/aje/kwg040

ALAVANJA, M. C. et al. Pesticides and lung cancer risk in the agricultural health study cohort. American Journal of Epidemiology, v. 160, p. 876-885, 2004. https://doi.org/10.1093/aje/kwh290

ALBUQUERQUE, P.C. C. de et al. Sistemas de informação em saúde e as intoxicações por agrotóxicos em Pernambuco. Revista Brasileira deEpidemiologia, v. 18, p. 666-678, 2015. https://doi.org/10.1590/1980-5497201500030012

ALVES, G. L. F. Expansão canavieira e seus efeitos na violência em Goianésia. Dissertação (Mestrado em Agronegócio) – Goiânia: UFG, 2012.

BARBALHO, M. G. Relatório de Pós- doutoramento. Brasília: UnB, 2018, 65p. BOMBARDI, L. M. Atlas: Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e na Europa.2017. Disponível em: <https://www.larissabombardi.blog.br/atlas2017> Acesso em: 20 de Novembro de 2017.

BRASIL Ministério da Saúde. Protocolo de Atenção à Saúde dos Trabalhadores Expostos a agrotóxicos, 2013. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_atencao_saude_trab_exp_agrotoxicos.pdf> Acesso em: 09 de Dezembro de 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Relatório Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos no Estado de Goiás. 2016. Disponível em: <http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/julho/08/Relat--rio-Goi--s.pdf>. Acesso em: 01 de Janeiro de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas Casos registrados de intoxicação humana e envenenamento: região Centro Oeste. 2017. Disponível em: <http://www.fiocruz.br/sinitox.> Acesso em: 20 de Junho 2017

CARNEIRO, F. F. et al. Dossiê: Um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, 2015.

CASTILHO, D. A dinâmica socioespacial de Ceres e Rialma-GO no âmbito da modernização de Goiás: território em movimento, paisagens em transição. Tese (Doutorado em Geografia) – Goiânia: UFG. 2007.

CORCINO, C. O. et al. Avaliação do efeito do uso de agrotóxicos sobre a saúde de trabalhadores rurais da fruticultura irrigada. Ciência Saúde Coletiva, v. 24, p. 38-51, 2019. https://doi.org/10.1590/1413-81232018248.14422017

DAYRELL, E. G. Colônia Agrícola Nacional de Goiás: análise de uma política de colonização. Tese (Doutorado em História) – Goiânia: UFG, 1974.

DOULL, J.; LEVIEN, R.S. Global estimates of acute pesticide morbidity and mortality. Reviews of Environmental Contamination and Toxicology, v. 129, p.29-44, 1993. https://doi.org/10.1007/978-1-4684-7106-9_3

DUTRA SILVA, S.D.; BARBALHO, M.G.; FRANCO, J.L. A Expansão sucroalcooleira e a devastação ambiental nas matas de São Patrício, Microrregião de Ceres, Goiás. História, histórias, v. 01, p. 230-247, 2013.https://doi.org/10.26512/hh.v1i2.10735

EATON, D.L.et al Review ofthe toxicology of chlorpyrifos with an emphasison human exposure and neurodevelopment.critical Reviews in Toxicology, v.2, p.1-125, 2008. https://doi.org/10.1080/10408440802272158

ESTEVAM, L. O tempo da transformação : estrutura e dinâmica na formação econômica de Goiás. 1997. 245 f. Tese (Doutorado em Economia) - Campinas: UNICAMP. 1997.

FREITAS, W. A.; de MELLO, M. de. A colônia agrícola nacional de Goiás e a redefinição nos usos do território. Sociedade & Natureza, v. 26, p. 471-482, 2014. https://doi.org/10.1590/1982-451320140306.

FERREIRA, L. C. G. A evolução do setor sucroalcooleiro na microrregião Ceres (GO): dinâmica espacial e impactos socioeconômicos. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Goiânia: UFG, 2010.

FERREIRA, L. C. G.; DEUS, J. B. de. O uso do território e as redes na microrregião de Ceres (GO): o caso das agroindústrias sucroalcooleiras. Boletim Goiano de Geografia, v. 30, p.67-80, 2012. https://doi.org/10.5216/bgg.v30i2.13795

GOIÁS. Secretaria de Saúde do Estado de Goiás. Uso de agrotóxicos na RS Central. Notificação de intoxicações por agrotóxicos em Goiás. 2016. Disponível em: <http://www.sgc.goias.gov.br/upload/arquivos/2016-06/uso-de-agrotoxicos-na-rs-central.pdf>. Acesso em: 02 de Março de 2018.

HRW – Human Rights Watch. “Você não quer mais respirar veneno” as falhas do Brasil na proteção da comunidades rurais expostas à dispersão de agrotóxicos, 2018. Disponível em: <https://www.hrw.org/pt/report/2018/07/20/320417> Acesso em: 28 de Julho de 2018.

IBGE – Instituto Brasileira de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário. 1970. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/45/ca_1970_v3_t23_go.pdf> Acesso em: 03 de Outubro de 2018.

_______. Censo Agropecuário. 1985. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/47/ca_1985_n27_go.pdf> Acesso em: 03 de Outubro de 2018.

_______. Censo Agropecuário.1996. Disponível em:<https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/48/agro_1995_1996_n25_go.pdf> Acesso em: 03 de Outubro de 2018.

_______. Censo Demográfico. 1980. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/72/cd_1980_v1_t4_n25_go.pdf> Acesso em: 03 de Outubro de 2018..

_______. Censo Demográfico. 1991. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/82/cd_1991_n27_caracteristicas_populacao_domicilios_go.pdf > Acesso em: 19 de Outubro de 2018.

_______.Censo Demográfico. 2000. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/83/cd_2000_caracteristicas_populacao_amostra.pdf> Acesso em: 19 de Outubro de 2018.

_______.Censo Demográfico 2010. Disponível em: <https://censo2010.ibge.gov.br/resultados.html> Acesso em: 19 de Outubro de 2018. IMB - Instituto Mauro Borges. Dados sobre Goiás. 2018. Disponível em: <http://www.imb.go.gov.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=19&Itemid=151>. Acesso em: 18 de Janeiro de 2018.

______ . Conjuntura Econômica Goiana. Boletim Trimestral SEGPLAN, n. 24, p. 1-102, 2013. Disponível em: <http://wwwold.imb.go.gov.br/down/conjuntura24.pdf>. Acesso em: 20 de Março de 2018.

INOCÊNCIO, M. E.; CALAÇA, M. Cerrado: fronteira da produção capitalista do século XX. In: ENCONTRO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRARIA, 19.,2009, São Paulo, Anais […] São Paulo: USP, 2009, p. 1- 16.

INOCÊNCIO, M. E. O PROCEDER: as tramas do poder na territorialização do capital no Cerrado: o PRODECER. Tese (Doutorado em Geografia) – Goiânia: UFG. 2010.

JOBIM, P. F. C. et al. Existe uma associação entre mortalidade por câncer e uso de agrotóxicos? Uma contribuição ao debate. Ciência Saúde Coletiva, v. 15, p. 277-288, 2010. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000100033

LEVINE, R. S.; DOULL, J. Global estimates of acute pesticide morbidity and mortality. Ver. Environmental Contamination and Toxicology, v. 129, p. 29-50, 1992. https://doi.org/10.1007/978-1-4684-7106-9_3

MATOS, P. F. de. Agronegócio no sudeste goiano e as disputas pelo uso do território. Acta Geográfica, v. 3, p.153-165, 2013. https://doi.org/10.5654/actageo2013.0003.0008

_______As tramas do agronegócio nas“terras” do Sudeste Goiano. Tese (Doutorado em Geografia) – Uberlândia: UFU. 2011.

NVEVSP – Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Vale de São Patrício. 2018. Disponível em: < https://www.saude.go.gov.br/vigilancia-em-saude/vigilancia-epidemiologica> Acesso em: 06 de Setembro de 2018.

PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do Desenvolvimento Humano. 2013. Disponível em: <http://atlasbrasil.org.br/2013/> Acesso em: 10 de Agosto de 2017.

PORTO, M. F.; SOARES, W. L. Modelo de desenvolvimento, agrotóxicos e saúde: um panorama da realidade agrícola brasileira e propostas para uma agenda de pesquisa inovadora. Revista Brasileira Saúde Ocupacional, v.37, p.17-31, 2012. https://doi.org/10.1590/S0303-76572012000100004.

RODRIGUES, D. M. T. Sustentabilidade do setor sucroalcooleiro na Microrregião de Ceres – GO, Tese (Doutorado em Ciências Ambientais). Goiânia: UFG. 2013. SIEG. Sistema Estadual de Geoinformação. Base Cartográfica do Sistema de Informação do Estado de Goiás. 2017. Disponível em: <http://www.sieg.go.gov.br/siegmapas/mapa.php>. Acesso em: 20 de Dezembro de 2017.

SIFAEG. Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás. 2018. Cana de Açúcar. Disponível em: <http://www.sifaeg.com.br/cana-de-acucar/>Acesso em: 20 de Outubro de 2018.

SILVA, J. M. da et al . Agrotóxico e trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador rural.Ciência e Saúde Coletiva,v. 10, p. 891-903, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000400013

SILVEIRA, M. R. da. A dinâmica do agronegócio no estado de Goiás e a centralidade do município de Rio Verde. Tese (Doutorado em Geografia) —Brasília: UnB. 2016.

SIM: Sistema de Informação sobre Mortalidade. Brasil, 2018. Disponível em: <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sim/cnv/obt10uf.def>. Acesso em: 18 de Outubro 2018

SINAN: Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Brasil, 2018. Disponível em: <http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0203&id=29878153> Acesso em: 18 de Outubro 2018.

STABENOW, P. Levantamento de indicadores e as dimensões de sustentabilidade: a expansão do setor agropecuário e sua relação com a saúde pública na Microrregião de Ceres (município de Itapuranga) – GO. Mestrado (Dissertação em Ecologia) – Goiânia: PUC – GO. 2014.

STOPPELLI, I. M. de B. S. Agricultura, ambiente e saúde: uma abordagem sobre o risco de contato com os agrotóxicos a partir de um registro hospitalar de referência regional. Tese (Doutorado em Saúde) - São Paulo: USP. 2005.

TEJERINA, G. R. de L. Intoxicações e óbitos por agrotóxicos no Estado de Goiás, Brasil e Inovações Legislativas Caderno Ibero-Americanos de Direito Sanitário, v. 7, p. 01-21, 2018. https://doi.org/10.17566/ciads.v7i1.471

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.