Diálogos sobre o currículo da formação inicial de professores de matemática: narrativas discentes

Main Article Content

Cleber Dias da Costa Neto
Victor Giraldo

Resumo

Este trabalho investiga o currículo da Licenciatura em Matemática de uma perspectiva dos discentes desse curso na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Analisamos episódios selecionados dos dados produzidos em uma roda de conversa com doze participantes, egressos e estudantes do curso. Buscamos responder às questões acerca das percepções desses atores sobre como suas práticas são constituídas pelo currículo do curso, relacionando-as com as formas por meio das quais suas ações como discentes têm um papel na construção desse currículo. A metodologia utilizada baseou-se em um processo de re-storying (NARDI, 2016), por meio do qual identificamos episódios, analisados em diálogos ficcionais entre personagens, sob um prisma teórico de narrativas (BARBOSA, 2015), formação de professores (TARDIF, 2013; NÓVOA, 2009; COCHRAN-SMITH, LYTLE, 1999; MOREIRA, 2012) e currículo (LOPES, 2013; GABRIEL, 2013; SILVA, 2014). Nossa análise revela percepções, consensos e contradições dos participantes sobre o currículo da Licenciatura em Matemática na Instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Neto, C. D. da C., & Giraldo, V. (2020). Diálogos sobre o currículo da formação inicial de professores de matemática: narrativas discentes. Ensino Em Re-Vista, 27(3), 1029-1054. https://doi.org/10.14393/ER-v27n3a2020-11
Seção
Dossiê Currículos em Educação Matemática II

Referências

BARBOSA, J.C. Formatos insubordinados de dissertações e teses na Educação Matemática. In: D’AMBROSIO, B.S.; LOPES, C.E. (Orgs). Vertentes da subversão na produção científica em educação matemática. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

BRASIL. Parecer CNE-CP nº 02, de 09 de junho de 2015. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2015.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. Relationships of knowledge and practice: teacher learning in communities. Review of Research in Education, London: Sage, n.24, p. 249-305, 1999.

COSTA-NETO, C.; GIRALDO, V. Do 3 + 1 à prática como componente curricular: uma narrativa possível sobre o currículo da formação inicial de professores de matemática na UFRJ. Revista Paranaense de Educação Matemática, v. 8, n. 17, p. 369-394, 2019.

CURY, F.; SOUZA, L.; SILVA, H. Narrativas: um olhar sobre o exercício historiográfico na Educação Matemática. Bolema, v. 28, n. 49, p. 910-925, 2014.

GABRIEL, C. T. Conhecimento Científico e Currículo: Anotações sobre uma articulação impossível e necessária. Revista Teias, v. 14, n. 33, p. 44–57, 2013.

FERREIRA, L. S. “Ser” ou “não ser” professora/professor? Eis uma questão em busca de respostas. Educ. rev. [online]. n.59, p.175-192, 2016.

FIORENTINI, D.; OLIVEIRA, A. T. C. C. O lugar das matemáticas na Licenciatura em Matemática: que matemáticas e que práticas formativas? Bolema, v. 27, n. 47, p. 917–938, 2013.

LIMA, F. H. Um método de transcrições e análise de vídeos: a evolução de uma estratégia. Anais do VII Encontro Mineiro de Educação Matemática, 2015.

LOPES, A. Teorias Pós-Críticas, Política e Currículo. Educação, Sociedade e Culturas, n. 39, p. 7-23, 2013.

MOREIRA, P.C. 3+1 e suas (in)variantes: reflexões sobre as possibilidades de uma nova estrutura curricular na licenciatura em matemática. Bolema, n. 26, p. 1137–1150, 2012.

NARDI, E. Where form and substance meet: Using the narrative approach of re-storying to generate research findings and community rapprochement in (university) mathematics education. Educational Studies in Mathematics, n. 92, v. 3, p. 361–377, 2016.

NÓVOA. A. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, p. 25-46, 2009.

OLIVEIRA, A.; LOPES, A. A abordagem do ciclo de políticas: uma leitura pela teoria do discurso. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 38, p. 19-41, 2011.

PEMAT. Apresentação. In: IV Seminário da Licenciatura (4º, 2016, Rio de Janeiro, Brasil). Seminário de Licenciatura. Rio de Janeiro, Brasil, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática (PEMAT), UFRJ, 2016.

POWELL, A.; FRANCISCO, J.; MAHER, C. Uma Abordagem à Análise de Dados de Vídeo para Investigar o Desenvolvimento das Idéias Matemáticas e do Raciocínio de Estudantes. Tradução de Antônio Olimpio Junior. Boletim de Educação Matemática - BOLEMA. Rio Claro, n. 17, v. 21, 2004.

SHULMAN, L. S. Those Who Understand: Knowledge Growth in Teaching. Educational Researcher, n. 15, v. 2, p. 4-14, 1986.

SILVA, M. A. Currículo como Currere, como Complexidade, como Cosmologia, como Conversa e como Comunidade: contribuições teóricas pós-modernas para a reflexão sobre currículos de matemática no ensino médio. Bolema. Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, n. 28, v. 49, p. 516-535, 2014.

TARDIF, M. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educ. Soc. [online], n. 34, v. 123, p. 551–571, 2013.

UFRJ. Grades curriculares do curso de Licenciatura em Matemática. In: Sistema Integrado de Gestão Acadêmica. Disponível em: < https://siga.ufrj.br/sira/intranet >. Acesso em: 14 jul. 2017, 2017.