A prática da contação de histórias por professoras da educação infantil

Main Article Content

Maria Irene Miranda
Valéria Silva

Resumo

O presente artigo versa sobre uma investigação de campo desenvolvida com professoras do segmento da educação infantil que contam histórias. A contação de história, componente primordial do universo literário, está presente nesse contexto. O objetivo do trabalho foi conhecer as concepções de contação de histórias destas docentes, analisar como a literatura é levada para as escolas, como recorrem e escolhem as obras; e ainda, identificar interfaces entre esta prática e a realidade e dos alunos. Apresentamos o delineamento da pesquisa, as descobertas e resultados alcançados definidos por dois eixos temáticos que destacam as concepções e escolhas das professoras no que tange a contação de histórias, bem como a interfaces com a realidade e demandas dos alunos. O texto aponta avanços e ambiguidades das docentes na abordagem com as histórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Miranda, M. I., & Silva, V. (2019). A prática da contação de histórias por professoras da educação infantil. Ensino Em Re-Vista, 26(3), 745-762. https://doi.org/10.14393/ER-v26n3a2019-6
Seção
Artigos

Referências

BETTELHEIM, Bruno. A Psicanálise dos contos de fadas. Trad. Arlene Caetano. 16ªa ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

BRANDÃO Ana C. P, ROSA, Ester C. de S. (org.). Ler e Escrever na Educação Infantil: Discutindo práticas pedagógicas. 2ª. ed. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BUSSATO, Cléo. A arte de contar histórias no século XXI: tradição e ciberespaço. Petropólis, Rj:Vozes, 2006.

CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil? 4ª ed.São Paulo: Brasiliense, 1987.

EGAN, Kieran. O uso da narrativa como técnica de ensino. Trad. Maria do Céu Roldão. Lisboa: Dom Quixote, 1994.

______ . A mente educada: os males da educação e a ineficiência educacional das escolas. Trad. Eduardo Francisco Alves. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

GATTI, Bernadete A. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Liber Livro Editora, 2005.

GOULART, Ilsa do Carmo Vieira. (org.). Ler e contar histórias: Das experiências profisisonais às vivências pedagógicas. São Carlos: Pedro & João Editores, 2019.

HUNT, Peter. Crítica, teoria e literatura infantil. Trad. Cid Knipel. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

KHALIL, Marisa M. G, ANDRADE, Paulo F. (org.). A literatura infantil e juvenil...ainda uma vez. Uberlândia: GPEA, 2013.

MACHADO, Regina. Acordais: fundamentos teórico-poéticos da arte de contar histórias. São Paulo. Editora cultural do livro, 2004.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo:Hucitec, 2010.

OLIVEIRA, Zilma Ramos de (org.). O trabalho do professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012.

REYES, Yolanda. A casa Imaginária: Leitura e literatura na primeira infância. 1ª ed. São Paulo: Global, 2010.

SANTOS FILHO, José Camilo dos (org.). GAMBOA, Silvio. S. Pesquisa Educacional: quantidade-qualidade. 6. ed. São Paulo, Cortez, 2007.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Trad. Caio Meira- 4ª ed. Rio de Janeiro DIFEL, 2012.

SZYMANSKI, Heloisa (org.). A entrevista na educação: a prática reflexiva. 3ª ed. Brasília: líber Livro editora, 2010.

ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na escola. 11ªed. São Paulo: Global, 2003.