Identidade profissional e agir docente do professor de língua materna

Main Article Content

José Cezinaldo Rocha Bessa
Franciclébia Nicolau da Silva

Resumo

Quanto mais trabalhos surgem com a proposta de apontar e explorar as contribuições do pensamento bakhtiniano, sobretudo aquelas relacionadas ao ensino de língua materna no Brasil, mais visualizamos a necessidade de pesquisas e do empreendimento de renovadas discussões. Assim, visando aprofundar a compreensão sobre os eventos que se dão no tempo-espaço da relação entre professor e aluno em sala de aula, inclinamo-nos a escutar a voz do eu-professor, objetivando investigar como ele constrói sua identidade professoral e seu agir docente. Para tanto, solicitamos ao professor participante que elaborasse um caso de ensino, este correspondente a um tipo de narrativa reflexiva sobre o vivido em sala de aula. A perspectiva que fundamenta este trabalho corresponde ao diálogo construído entre as vozes do Círculo de Bakhtin e de outros estudiosos que discutem sobre o ensino de língua materna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Bessa, J. C. R., & Silva, F. N. da. (2019). Identidade profissional e agir docente do professor de língua materna. Ensino Em Re-Vista, 26(3), 725-744. https://doi.org/10.14393/ER-v26n3a2019-5
Seção
Artigos

Referências

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Tradução do russo de Paulo Bezerra. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010a.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do ato responsável. Tradução aos cuidados de Valdemir Miotello & Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010b.

BAKHTIN, M. M. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010c.

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016.

BAKHTIN, M. M. Notas sobre literatura, cultura e ciências humanas. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2017.

BELOTI, A.; MENEGASSI, R. J. A constituição teórica, metodológica e prática sobre revisão e reescrita na formação docente inicial-PIBID. Diálogo das Letras, Pau dos Ferros, v. 06, n. 01, p. 9-32, jan./jun. 2017. Disponível em: < http://periodicos.uern.br/index.php/dialogodasletras/article/view/2396/1306>. Acesso em: 25 maio 2018.

BESSA, J. C. R. Das múltiplas facetas do dialogismo bakhtiniano: reflexões teóricas e um percurso analítico de estudo. In: FERREIRA, F. A.; LUDOVICE, C. A. B.; PERNAMBUCO, J. (Org.). O texto: processos, práticas e abordagens teóricas. 1ed.Franca, SP: Editora UNIFRAN, 2016, v. 1, p. 10-31.

BRAIT, B. As vozes bakhtinianas e o diálogo inconcluso. In: BARROS, D. L. P.; FIORIN, J. L. (Orgs.). Dialogismo, polifonia, intertextualidade. São Paulo: EDUSP, 1994, p. 11-27.

CAMPOS, M. I. B. Bakhtin e o ensino de língua materna no Brasil: algumas perspectivas. Conexão Letras, v. 11, n. 16, p. 123-137, 2016. Disponível em: < http://seer.ufrgs.br/index.php/conexaoletras/article/view/70359/39817>. Acesso em: 25 mai. 2018.

DUEK, V. P. Educação inclusiva e formação continuada: contribuições dos casos de ensino para os processos de aprendizagem e desenvolvimento profissional de professores. 2011. 349 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

FARACO, C. A.; CASTRO, G. de. Por uma teoria lingüística que fundamente o ensino de língua materna (ou de como apenas um pouquinho de gramática nem sempre é bom). Educ. rev., v. 15, n. 15, p.109-117, 1999. Disponível em: < https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/2061/1713>. Acesso em: 25 mai. 2018.

GERALDI, J. W. A linguagem em Paulo Freire. Educação, Sociedade & Culturas, n. 23, p. 7-20, 2005.

GERALDI, J. W. O ensino de língua portuguesa e a Base Nacional Comum Curricular. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 381-396, jul./dez. 2015. Disponível em: < http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/587/661>. Acesso em: 25 mai. 2018.

GERALDI, J. W. Passando em revista ideias sobre o ensino de língua portuguesa: uma entrevista com João Wanderley Geraldi. Diálogo das Letras, Pau dos Ferros, v. 6, n. 1, p. 490-496, jan./jun. 2017. Disponível em: < http://periodicos.uern.br/index.php/dialogodasletras/article/view/2433>. Acesso em 20 maio 2018.

GOLDSTEIN, N. S. Gêneros do discurso e gramática no ensino de língua materna. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 13, n. 24, p. 95-109, 1º sem. 2009. Disponível em: < http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4397/4558>. Acesso em: 25 mai. 2018.

PERNAMBUCO, J.; FIGUEIREDO, M. F. Contribuições bakhtinianas para o ensino da gramática. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 40, n. 2, p. 682-696, mai-ago 2011. Disponível em: < https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/1329/873>. Acesso em: 25 mai. 2018.

PUZZO, B. M.; SANTOS, S. S. B. Gênero discursivo e as novas linguagens no ensino de língua portuguesa. Linha D´Água (Online), São Paulo, v. 28, n. 2, p. 26-43, dez 2015. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/102989/106320>. Acesso em: 25 maio 2018.

SHULMAN, L. Just in case: reflections on learning from experience. In: COLBERT, J., TRIMBLE, K., AND DESBERG, P. Ed. The case for education: contemporary approaches for using case methods. Needham Heights, Massachusetts: Allyn & Bacon, 1996, p. 197-217.

VOLÓCHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Camargo Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.