Aula expositiva e Paulo Freire

Main Article Content

Mauro Antonio Andreata

Resumo

Nas tradicionais aulas expositivas, os alunos ficam em silêncio e imóveis. Mesmo quando o professor é um excelente expositor, os resultados da verificação da aprendizagem costumam ser inexpressivos. Preocupados com o mau desempenho nas verificações da aprendizagem e com a passividade dos alunos, alguns autores fizeram críticas à aula expositiva. Os professores brasileiros, todavia, costumam conhecer apenas a técnica expositiva. Por isso, discutimos as principais vantagens e desvantagens da aula expositiva, apresentamos as características de uma boa aula expositiva e, com base nos princípios educacionais freirianos, fazemos dez sugestões para que as potencialidades da aula expositiva sejam aproveitadas ao máximo. Em especial, destacamos a importância de incluir o diálogo entre professor e educandos e entre os educandos nas aulas. Nossa proposta é aplicável em qualquer sala de aula, tanto urbana quanto rural, sem a necessidade de dispor de recursos sofisticados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Andreata, M. A. (2019). Aula expositiva e Paulo Freire . Ensino Em Re-Vista, 26(3), 700-724. https://doi.org/10.14393/ER-v26n3a2019-4
Seção
Artigos/Articles

Referências

AGUAYO, Alfredo Miguel. Didática da escola nova. Tradução de João Baptista Damasco Penna e Antônio d’Ávila. 14. ed. São Paulo: Nacional, 1970. 368 p. [Título original (em espanhol): Didáctica de la escuela nueva, 1932.]

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Ensinar, aprender, apreender e processos de ensinagem. In: ______.; ALVES, L. P. (orgs.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 8. ed. Joinville: Univille, 2009. 155 p.

ANDREATA, Mauro Antonio; BARROS, Fernanda. Centros de interesse nas aulas de física do ensino superior. In: FALEIRO, Wender; ASSIS, Maria Paulina de (orgs.). Ciências da natureza e formação de professores: entre desafios e perspectivas apresentados no CECIFOP 2017. Jundiaí/SP: Paco, 2017a. 384 p. Disponível em: < http://docs.wixstatic.com/ugd/898a9f_b09cebdda4614e148a31318d9792fcac.pdf>. Acesso em: 18 fev. 2018.

______. O bom professor segundo os alunos de pós-graduação em ciências exatas. In: CONGRESSO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIAS E FORMAÇÂO DE PROFESSORES, 1., 2017b, Catalão. Disponível em : < http://cecifop.sistemasph.com.br/index. php/cecifop /CECIFOP2017>. Acesso em: 18 fev. 2018.

ANDREATA, Mauro Antonio; SOUZA, Thaianne Lopes de. O bom professor segundo os alunos universitários de física. Itinerarius Reflectionis, Jataí, v. 2, n. 15, p. 1-10, 2013. Disponível em: < https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/27514/19275>. Acesso em: 18 fev. 2018.

APPLE, Michael W.; GANDIN, Luís Armando; HYPOLITO, Álvaro Moreira. Paulo Freire 1921 – 97. In: PALMER, Joy A. (org.). 50 grandes educadores modernos: de Piaget a Paulo Freire. Tradução de Mirna Pinsky. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2011. 351 p. [Título original (em inglês): Fifty modern thinkers on education: from Piaget to the present, 2006.]

BARTOLOMEIS, Francesco de. Introdução à didáctica da escola activa. Tradução de José Luís Borges Coelho. Lisboa: Livros Horizonte, 1984. 323 p. [Título original (em italiano): Introduzione alla didattica della scuola attiva, 1953.]

BHATTACHARYA, Asoke. Paulo Freire: Rousseau of the twentieth century. Rotterdam: Sense Publishers, 2011. 311 p.

BORDENAVE, Juan Díaz; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. 29. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. 316 p.

CLAPARÈDE, Édouard. Introdução: psicologia, biologia, educação. In: ______. A educação funcional. Tradução de João Baptista Damasco Penna. 5. ed. São Paulo: Nacional, 1958a. 294 p. [Título original (em francês): L'éducation fonctionnelle, 1931.]

______. A psicologia da inteligência. In: ______. A educação funcional. Tradução de João Baptista Damasco Penna. 5. ed. São Paulo: Nacional, 1958b. 294 p. [Título original (em francês): L'éducation fonctionnelle, 1931.]

______. A psicologia da escola ativa. In: ______. A educação funcional. Tradução de João Baptista Damasco Penna. 5. ed. São Paulo: Nacional, 1958c. 294 p. [Título original (em francês): L'éducation fonctionnelle, 1931.]

______. Reflexões de um psicólogo. In: ______. A educação funcional. Tradução de João Baptista Damasco Penna. 5. ed. São Paulo: Nacional, 1958d. 294 p. [Título original (em francês): L'éducation fonctionnelle, 1931.]

CLAUSSE, Arnould. A relatividade educativa: esboço de uma história e de uma filosofia da escola. Coimbra: Almedina, 1976. 331 p. [Título original (em francês): La relativité educationnelle, 1975.]

COSTA, Cruz. Platão. In: ______; BELLO, Ruy de Ayres; D’AVILA, Antônio; PENNA, João Baptista Damasco. Grandes educadores. Porto Alegre: Globo, 1949. 333 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 35. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007. 146 p. [A primeira edição é de 1996.]

______. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2010. 213 p. [A primeira edição, publicada em inglês, é de 1970.]

FROTA-PESSOA, Oswaldo; GEVERTZ, Rachel; DA SILVA, Ayrton Gonçalves. Como ensinar ciências. São Paulo: Nacional/EDUSP, 1970. 218 p.

GADOTTI, Moacir. Convite à leitura de Paulo Freire. 2. ed. 4. reimp. São Paulo: Scipione, 2004. 175 p.

GAL, Roger. História da educação. Tradução de Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1989. 115p. [Título original (em francês): Histoire de l’éducation, 1948.]

GAUTHIER, Clermont; TARDIF, Maurice (orgs.). A pedagogia: teorias e práticas da Antiguidade aos nossos dias. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. 2. ed. rev. e atual. Petrópolis: Vozes, 2013. 477 p. [Título original (em francês): La pédagogie: théories et pratiques de l’Antiquité à nos jours, 3. ed., 2012.]

GHIRALDELLI Jr., Paulo. História da educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1994. 240 p.

GUSDORF, Georges. Professores para quê?: para uma Pedagogia da Pedagogia. Tradução de João Bénard da Costa e António Ramos Rosa. 2. ed. Lisboa: Moraes, 1970. 319 p. [Título original (em francês): Pourquoi des professeurs?, 1963.]

HEUVELEN, Alan Van. Learning to think like a physicist: a review of research-based instructional strategies. American Journal of Physics, Melville, v. 59, n. 10, p. 891-897, out. 1991.

HUBERT, René. Tratado de pedagogía general. Tradução em espanhol de Juana Castro. 5. ed. 1. reimp. Buenos Aires: El Ateneo, 1968. 602 p. [Título original (em francês): Traité de pédagogie genéral, 1946.]

LARROYO, Francisco. História geral da pedagogia. Tradução de Luiz Aparecido Caruso. São Paulo: Mestre Jou, 1970. v. 2. 499 p. [Título original (em espanhol): Historia general de la pedagogía, 10. ed., 1967.]

LEIF, Joseph Jacques; RUSTIN, Georges. Pedagogia geral: pelo estudo das doutrinas pedagógicas. Tradução de Luiz Damasco Penna e João Baptista Damasco Penna. São Paulo: Nacional, 1960. 429 p. [Título original (em francês): Pédagogie générale par l’étude des doctrines pédagogiques, 1953.]

LIMA, Lauro de Oliveira. Escola secundária moderna: organização, métodos e processos. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1973. 670 p.

______. Mutações em educação segundo McLuhan. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 1979. 63 p.

LOMBARDO-RADICE, Giuseppe. Leccíones de didáctica y recuerdos de experiencia docente. Tradução em espanhol de Pablo Martínez de Salinas. 1. reimp. Barcelona: Labor, 1950. 483 p. [Título original (em italiano): Lezioni di didattica e ricordi di esperienza magistrale, 1912.]

MARTINS FILHO, Eduardo Lopes. Manual de redação e estilo de O Estado de São Paulo. 3. ed. rev. ampl. São Paulo: O Estado de São Paulo, 1997. 400 p.

MATTOS, Luiz Alves de. Sumário de didática geral. 2. ed. Rio de Janeiro: Aurora, 1959. 463 p.

MAYER, Frederick. História do pensamento educacional. Tradução de Helena Maria Camacho. Rio de Janeiro: Zahar, 1976. 666 p. [Título original (em inglês): A history of educational thought, 3. ed., 1973.]

MEZIROW, Jack. Visão geral sobre a aprendizagem transformadora. In: ILLERIS, Knud (org.). Teorias contemporâneas da aprendizagem. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. 280 p. [Título original (em inglês): Contemporary theories of learning: learning theorists... in their own words, 2009.]

MIALARET, Gaston. A formação dos professores. Tradução de Joaquim Filipe Machado. Coimbra: Almedina, 1981. 163 p. [Título original (em francês): La formation des enseignants, 1977.]

MOREIRA, Marco Antonio. Atividade docente na universidade: alternativas instrucionais. Porto Alegre: Luzzatto Editores/Rio Grande: Editora da FURG, 1985. 136 p.

______. Teorias de aprendizagem. 2. ed. ampl. reimp. São Paulo: EPU, 2015. 248 p.

NÉRICI, Imídeo Giuseppe. Introdução à didática geral: dinâmica da escola. 7. ed. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1968. 512 p.

PILETTI, Claudino. Didática geral. 8. ed. São Paulo: Ática, 1987. 258 p.

RAYMONT, Thomas. Educação moderna: objetivos e métodos. Tradução de Manuel Campos. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961. 266 p. [Título original (em inglês): Modern Education: its aims and methods, 4. ed, 1953.]

REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da filosofia. [Tradução de Ivo Storniolo.] 8. ed. São Paulo: Paulus, 2007. v. 3. 1141 p. [Título original (em italiano): Il pensiero occidentale dalle origini ad oggi, 1986.]

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou da educação. Tradução de Roberto Leal Ferreira. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004. 711 p. [Título original (em francês): Émile ou de l’éducation, 1762.]

THORNDIKE, Edward Lee; GATES, Arthur I. Princípios elementares de educação. Tradução de Haydée Bueno de Camargo. São Paulo: Saraiva, 1936. 396 p. [Título original (em inglês): Elementary principles of education, 1929.]

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Construção do conhecimento em sala de aula. 19. ed. São Paulo: Libertad, 2014. 144 p.

ZANETTI, Maria Aparecida. Pedagogia da esperança: reflexões sobre o reencontro com a pedagogia do oprimido. In: SOUZA, Ana Inês (org.). Paulo Freire: vida e obra. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010. 343 p.