Educação Ambiental: um estudo de caso em uma comunidade ribeirinha do Estado do Amazonas

Main Article Content

Maria de Nazaré Leal Nogueira
Leandro de Oliveira Souza

Resumo

O presente artigo é resultado de uma investigação que objetivou entender o ambiente escolar e a problemática socioambiental nas comunidades ribeirinhas no estado do Amazonas, com base na literatura e na observação de campo. Parte-se da seguinte questão: quais os problemas enfrentados e por que promover educação ambiental nas comunidades ribeirinhas amazônicas? Trata-se de um estudo analítico descritivo, que fez uso de entrevistas com registro em áudio e imagens e observação direta com registro em diário de campo. Os sujeitos da pesquisa foram moradores de uma comunidade ribeirinha. A análise dos dados deu-se de forma hermenêutica e a comunicação pautada na metodologia de estudo de caso. Os resultados apontam que a educação ambiental, se pautada na realidade local e promovida dentro das comunidades, torna-se um alicerce para que futuras gerações e, em especial, os próprios moradores se tornem capazes de planejar, desenvolver e superar problemas no ambiente em que vivem.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Nogueira, M. de N. L., & Souza, L. de O. (2019). Educação Ambiental: um estudo de caso em uma comunidade ribeirinha do Estado do Amazonas . Ensino Em Re-Vista, 26(2), 320-344. https://doi.org/10.14393/ER-v26n2a2019-2
Seção
Dossiê Revisitando a Educação em Ciências e em Matemática

Referências

ADAMS, Cristina; MURRIETA, Rui Sérgio; SANCHES, Rosely. Agricultura e alimentação em populações ribeirinhas das várzeas do Amazonas: novas perspectivas. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 65-86, 2005.

ALENCAR, Tatiane; NASCIMENTO, Maria; ALENCAR, Bruno. Hermenêutica dialética: uma experiência enquanto método de análise na pesquisa sobre o acesso do usuário à assistência farmacêutica. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 25, n. 2, p. 243-250, 2012.

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BRANDÃO, Carlos. O que é educação. São Paulo: Brasiliense. 2002, 117 p.

BRASIL. Decreto nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 7 de fevereiro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm. Acesso em: 15 ago. 2015.

BRITO, Maria. Educação matemática, cultura amazônica e práticas pedagógicas: a margem de um rio. Dissertação (Mestrado) –Núcleo Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento Científico) –Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

CARDOSO, Renato; FREITAS, Carlos. A pesca de pequena escala no rio Madeira pelos desembarques ocorridos em Manicoré (estado do Amazonas), Brasil. Acta Amazônica, Manaus, v. 38, n. 4, p. 781-788, 2008.

CASTRO, Albejamere et al. A agricultura familiar: principal fonte de desenvolvimento socioeconômico e cultural das comunidades da área focal do Projeto Piatam. In: FRAXE, Therezinha, PEREIRA; Henrique; WITKOSKI, Antônio (Orgs.) Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus: EDUA, 2007, v. 2, p. 55-88.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática e educação. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 10, n. 1, p. 7-19, 2002.

FERNANDES, Valdir; SAMPAIO, Carlos. Problemática ambiental ou problemática socioambiental? A natureza da relação sociedade/meio ambiente. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, n. 18, p. 87-94, jul./dez. 2008.

FREIRE,Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GHEDIN, Evandro. Hermenêutica e pesquisa em educação: caminhos da investigação interpretativa.In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA E ESTUDOS QUALITATIVOS, 2., 2004,Bauru. Anais... Disponível em: https://arquivo.sepq.org.br/II-SIPEQ/Anais/pdf/gt1/10.pdf. Acesso em: 09 maio, 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE. Incêndios florestais. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2016.

JACOBI, Pedro. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 118, n. 3, p. 189-205, 2003.
LIMA, Maria; ANDRADE, Erika. Os ribeirinhos e sua relação com os saberes. Revista Educação em Questão, Natal, v. 38, n. 24, p. 58-87, maio/ago. 2010.

LUCCA, Emerson; BRUM, Argemiro. Educação ambiental: como implantá-la no meio rural? Revista de Administração IMED, Passo Fundo, v. 3, n. 1,p. 33-42, 2013.

MATOS, Jônatas; NOGUEIRA, Amélia. As terras-caídas no careiro de várzea e as implicações para os moradores da comunidade Miracauera no Paraná do Careiro (Careiro da Várzea-AM). Revista Geonorte, Manaus, v. 5, n. 20, p. 128-134, Out. 2014.

MENDONÇA, Maria et al. Etnobotânica e saber tradicional. In: FRAXE, Therezinha, PEREIRA; Henrique; WITKOSKI, Antônio (Orgs.) Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus: EDUA, 2007, v. 2, p.

MUCCI, José. Introdução às ciências ambientais. In: PHILIPPI JR, Arlindo; PELICIONI, Maria Cecília Focei. (Org.). Educação ambiental e sustentabilidade. 2. ed. Tamboré: Manole Ltda., 2014. v. 1, p. 16-36.

NODA, Hiroshi; NODA, Sandra. Agricultura familiar tradicional e conservação da sócio biodiversidade amazônica. Interações, Campo Grande, v. 4, n. 6, p. 55-66, 2013.

NOGUEIRA, Maria; SOUZA, Leandro. O ensino presencial por mediação tecnológica e o aprendizado da matemática no interior do estado do Amazonas. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 12., 2016, São Paulo. Anais... Disponível em: < http://sbem.bruc.com.br/xiienem/pdf/6200_2662_ID.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

OLIVA, Jaime. A educação ambiental na escola. In: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação a Distância. Textos da Série Educação Ambiental do Programa Salto para o Futuro. Brasília, jun. 2000.

OLIVEIRA, José. Os ribeirinhos da Amazônia: das práticas em curso à educação escolar. Revista de Ciências da Educação, São Paulo, v. 1, n. 32, p. 73-95, 2015.

PHILIPPI JR, Arlindo; PELICIONI, Maria. Bases políticas, conceituais, filosóficas e ideológicas da educação ambiental. In: PHILIPPI JR, Arlindo; PELICIONI, Maria Cecília Focei. (Org.). Educação ambiental e sustentabilidade. 2. ed. Tamboré: Manole Ltda., 2014. v. 1, p. 3-12.

ROSA, Teresa et al. A educação ambiental como estratégia para a redução de riscos socioambientais. Ambiente & sociedade, São Paulo, 2015, v.18, n.3, p. 211-230.

SANTOS, Boaventura; MENESES, Maria. Epistemologias do sul. Coimbra: Almedina, 2009. 532 p.

SANTOS, Geraldo; SANTOS, Ana. Sustentabilidade da pesca na Amazônia. Estudos avançados, São Paulo, v. 19, n. 54, p. 165-182, 2005.

SILVA, Juniele; HESPANHOL, Rosangela. Discussão sobre comunidade e características das comunidades rurais no município de Catalão (GO). Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 28, n. 3, 361-374, set/dez, 2016.

SILVA, Simone et al. Rotinas familiares de ribeirinhos amazônicos: uma possibilidade de investigação. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, v. 26, n. 2, p. 341-350, 2010.

TÖNNIES, Ferdinand. Comunidade e sociedade como entidades típico-ideais. In. FERNANDES, Florestan (Org.) Comunidade e sociedade. 1 ed. São Paulo: Nacional, 1973, p. 97-285.

TORRES, Iraildes. O Ethos das mulheres da floresta. 22. ed. Manaus: Valer, 2012.

VERONESE, Marília; GUARESCHI, Pedrinho. Hermenêutica de profundidade na pesquisa social. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 42, n. 2, p. 85-93, 2006.

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. ABREU, M. C. T. Azevedo de. O professor universitário em aula:prática e princípios teóricos. São Paulo: Cortez, 1980.