Literatura infantil na sala de aula: experiências com obras literárias de Ruth Rocha

Main Article Content

Eliana Aparecida Carleto
Selva Guimarães

Resumo

O caráter multidisciplinar de uma obra literária pode ser um poderoso aliado do professor para formar leitores críticos, plurais. Muito mais do que uma atividade inserida em propostas de conteúdos curriculares, oferecer e discutir literatura em sala de aula, propondo indagações ao leitor, estimulando a curiosidade e, instigando assim, a produção de novos conhecimentos, é poder formar leitores. Trabalhar com literatura infantil por meio de diálogos em sala de aula é o tema discutido neste artigo. Este texto versa sobre experiências com duas obras da autora Ruth Rocha, a saber: Quem tem medo de quê? e As coisas que a gente fala. Com base nessas obras, ao compartilhar as impressões sobre o texto lido, por meio de diálogos, os alunos e professores foram capazes de expressar seus sentimentos, medos, aflições e vivenciar o poder das palavras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Carleto, E. A., & Guimarães, S. (2017). Literatura infantil na sala de aula: experiências com obras literárias de Ruth Rocha . Ensino Em Re-Vista, 1(1), 244-266. https://doi.org/10.14393/ER-v24n1a2017-11
Seção
DOSSIÊ

Referências

AGUIAR, Vera Teixeira de. Literatura e educação: diálogos. In: PAIVA, Evangelista, et al(Org.). Literatura:saberes em movimento. Belo Horizonte: CEALE/ Autêntica. 2007, p.17 –27.
AMORIM, Galeno. Os muitos retratos da leitura no Brasil. In: ______ (Org.) Retratos da leitura no Brasil.São Paulo: Imprensa Oficial: Instituo Pró-Livro, 2008, p. 15-28. Disponível em: < http://www.prolivro.org.br/ipl/publier4.0/dados/anexos/1815.pdf > Acesso em: 05 de jun. 2012.
BARBIER, René.A pesquisa-ação.Brasília: Líber Livro Editora, 2007.
BOSI, Ecléa. Sugestões para um jovem pesquisador. In: ______. O tempo vivido da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003, p. 58-67.
BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais:Língua Portuguesa.Brasília: MEC/SEF, v. 2, 1997.
CARLETO, Eliana Aparecida. Literatura infantil como experiência de formação:um estudo com obras de Ruth Rocha. 2014. 404 f. Tese (Doutorado em Educação) -Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil:teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.
CUNHA, Maria Antonieta Antunes. O acesso à leitura no Brasil –os recados dos ‘retratos da leitura’. In: FAILLA, Zoara (Org.). Retratos da Leitura no Brasil 3.São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Instituto Pró-Livro, 2012, p. 83 -91.
ELLIOTT, John. Recolocando a pesquisa-ação em seu lugar original e próprio. In: GERALDI, Corinta Maria Grisoli; FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabete Monteiro de Aguiar (Org.). Cartografias do trabalho docente:professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado das Letras, 1998, p.137-152.
KEMMIS, Stephen; WILKINSON, Mervyn. A pesquisa-ação participante e o estudo da prática. In: PEREIRA, Júlio Emílio Diniz; ZEICHNER, Kenneth M. (Org.).A pesquisa na formação e no trabalho docente.Belo Horizonte: Autêntica, 2002, p.43-63.
LERNER, Délia. Ler e escrever na escola:o real, o possível e o necessário. Trad. Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2002.
PEREIRA Diniz, Júlio Emílio. A pesquisa dos educadores como estratégia para construção de modelos críticos de formação docente. In: PEREIRA, Júlio Emílio Diniz; ZEICHNER, Kenneth M. A pesquisa na formação e no trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2002, p. 11-42. PIMENTA, Selma Garrido. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa.São Paulo, v.31, n. 3, set/dez. 2005, p. 521-539.
ROCHA, Ruth. Quem tem medo do quê?São Paulo: Global, 2003.
______. As coisas que a gente fala.Rio de Janeiro: Salamandra, 1998.
SILVA, Ezequiel Theodoro da. De olhos abertos:reflexões sobre o desenvolvimento da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1991.
SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins; BRANDÃO, Heliana Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani (Org.). Escolarização da leitura literária.2. ed. 3 reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, p. 17–48.
ZAMBONI, Ernesta e GUIMARÃES, Selva. Contribuições da literatura infantil para a aprendizagem das noções de tempo histórico: leitura e indagações. Cadernos Cedes,v.30, n.82, p.339-353, set.dez.2010.
ZILBERMAN, Regina.A literatura infantil na escola.2. ed, São Paulo: Global, 1982.