Diálogos, vivências e abordagens teóricas sobre formação de professores: Entrevista com Manoel Oriosvaldo de Moura

Main Article Content

Dilza Côco
Mariana Dionizio dos Santos
Priscila de Souza Chisté Leite
Sandra Aparecida Fraga da Silva

Resumo

A epígrafe nos indica sobre a importância do olhar do outro na constituição singular de cada sujeito. Essa constituição singular revela sínteses que podem ser reconfiguradas a cada encontro dialógico possível no grande tempo da vida. Considerando essa importância dos encontros dialógicos para o processo de elaboração de modos de ver, analisar e atuar no mundo, é que compartilhamos a entrevista realizada com o professor Dr. Manoel Oriosvaldo de Moura, no dia 19 de setembro de 2016, na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Conversar com o professor Moura constituiu uma oportunidade de enxergar o mundo, as pessoas, o processo educativo de um modo sensível, que aposta na potencialidade do outro em conhecer o legado das produções humanas para se fazer humano. O professor Moura ou Ori, como é comumente conhecido, é um piauiense, mas que já está há 50 anos em São Paulo. Possui licenciatura em Matemática pela Universidade de São Paulo, mestrado em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo. Desde 1986, atua na Universidade de São Paulo (USP), e tem se dedicado a estudos e pesquisas sobre formação de professores e sobre educação matemática. O professor Moura ao longo destes anos tem desenvolvido discussões com base na perspectiva da Teoria da Atividade (LEONTIEV, 1975) e trabalhado na elaboração de uma proposta teórico- metodológica para o ensino de matemática, a Atividade Orientadora de Ensino (AOE). Fundou há mais de 17 anos o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Atividade Pedagógica – GEPAPe, que realiza investigações em um coletivo, constituído por professores pesquisadores de todo Brasil. Atualmente, esse grupo se organiza a partir de uma rede de colaboração denominada GEPAPe em Rede. Diferentes pesquisas foram desenvolvidas a partir da organização de ações formativas envolvendo a AOE e este aspecto se efetiva a partir de um tipo de formação que merece ser debatida no âmbito da pesquisa em educação matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Côco, D., Santos, M. D. dos, Leite, P. de S. C., & Silva, S. A. F. da. (2020). Diálogos, vivências e abordagens teóricas sobre formação de professores:. Obutchénie: Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 562-582. https://doi.org/10.14393/OBv4n2.a2020-57496
Seção
Entrevista

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

FREITAS, M. T. A. A abordagem Sócio-Histórica como Orientadora da Pesquisa Qualitativa. Caderno de Pesquisa, 116, 21-39, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/s0100-15742002000200002.

LEONTIEV, A. N. Actividad, consciência, personalidade. Editorial Puebro y Educacion: Ciudad de La Habana, 1975.

MOURA, M. O. Entrevista sobre formação de professores [19 de setembro de 2016]. Entrevistadoras: Dilza Côco e Priscila de Souza Chisté Leite. São Paulo, 2016. 1 arquivos em vídeo (45 min). Entrevista concedida ao Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Educação na Cidade e Humanidades.

SANTOS, M. D.; LEITE, P. S. C.; CÔCO, D. O gênero entrevista como estratégia de estudos sobre a cidade e suas relações com a educação. In: EEBA - Encontro de Estudos Bakhtinianos, IV, Campinas/SP, 2017. Anais. Campinas/SP: UICAMP, 2017, p. 758-766. Disponível em: https://eebaunicamp.wixsite.com/eeba/caderno-de-textos.

SANTOS, M. D.; LEITE, P. S. C.; CÔCO, D. Polifonia e dialogismo em entrevista: relações entre o discurso de Gabino Cárdenas Olivares e o materialismo histórico-dialético. In: Círculo Rodas Bakhtinianas, VII, Cascavel/PR, 2018. Anais. Cascavel/PR: UNIOESTE, 2018, p. 260-269. Disponível em: https://circulorodas2018.wixsite.com/rodas2018/caderno-de-textos.