O conceito matemático de área na Atividade Orientadora de Ensino

Main Article Content

Marisa da Silva Dias
Cybelle Cristina Ferreira do Amaral

Resumo

RESUMO
Este artigo refere-se a uma pesquisa cujo objetivo foi compreender as significações do conceito matemático de área produzidas por meio das atividades de ensino fundamentadas na Atividade Orientadora de Ensino a partir do movimento lógico-histórico desse conceito. A investigação teve por base contribuições da Psicologia Histórico-Cultural, da Teoria da Atividade e do Materialismo Histórico e Dialético. Os procedimentos metodológicos apoiaram-se na atividade de pesquisa que delineou motivos, ações, operações e objetivo como uma construção que considera a pesquisa qualitativa fundamentada na Teoria da Atividade. Entre os resultados principais destacam-se o desenvolvimento de uma sequência de atividades pautada nos pressupostos teórico-metodológicos da Atividade Orientadora de Ensino com dezenove estudantes do quinto ano do Ensino Fundamental em uma escola do município de Bauru, Estado de São Paulo e o estudo histórico do conceito de área para a elaboração de situações desencadeadoras de aprendizagem. Além disso, as manifestações dos estudantes mostram o movimento dialético entre a atividade de ensino e atividade de estudo atrelado aos nexos conceituais de área evidenciados nos elementos lógico-históricos do conceito matemático: delimitação de porção de terra, divisão dessa porção e mensuração por meio de grãos, tijolos, ladrilhos e um instrumento que fora criado. Considera-se a pesquisa um contributo à formação de professores que ensinam matemática no que se refere aos elementos teóricos e metodológicos da organização do ensino.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Dias, M. da S., & Amaral, C. C. F. do. (2020). O conceito matemático de área na Atividade Orientadora de Ensino. Obutchénie: Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 460-482. https://doi.org/10.14393/OBv4n2.a2020-57491
Seção
DOSSIÊ - Atividade Orientadora de Ensino

Referências

ABRANTES, A. A.; EIDT, N. M. Psicologia histórico-cultural e a atividade dominante como mediação que forma e se transforma: contradições e crises na periodização do desenvolvimento psíquico. Obutchénie: Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 3, n. 3, p. 1-36, 22 nov. 2019. https://doi.org/10.14393/OBv3n3.a2019-51694 .

AMARAL, C. C. F. A significação do conceito matemático de área expressa por estudantes proveniente de uma Atividade Orientadora de Ensino. 190 f. 2018. Dissertação (Mestrado em docência para educação básica) – Unesp, Faculdade de ciências, Bauru-SP, 2018.

ASBAHR, F. S. F. Idade escolar e atividade de estudo: educação, ensino e apropriação dos sistemas conceituais. In: MARTINS, L. M. et al. (Org.) Periodização histórico-cultural do desenvolvimento psíquico: do nascimento à velhice. Campinas: Autores Associados, 2016. p. 171-192.

BAURU. Currículo Comum do Ensino Fundamental do Sistema Municipal de Ensino de Bauru. 2016. Disponível em CD.

BOYER, C. História da matemática. 1. ed. São Paulo: Edgard Blucher - Universidade de São Paulo, 1974.

CHILDE, V. G. A evolução cultural do homem. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

CUNHA, M. R. K. da. Estudo das elaborações dos professores sobre o conceito de medida em atividades de ensino. 2008. 135f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

DAVÍDOV, V. La enseñanza escolar y el desarrollo psíquico. Moscou: Progreso, 1988.

DAVYDOV, V. Tipos de generalización en la enseñanza. Havana: Pueblo y Educación, 1982.

DIAS, M. da S. Formação da imagem conceitual da reta real: um estudo do desenvolvimento do conceito na perspectiva lógico-histórica. 2007. 252 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. DOI: https://doi.org/10.11606/t.48.2007.tde-10102007-145627.

ELKONIN, D. Psicologia do jogo. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

EVES, H. Introdução à História da matemática. 5. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2011.

FACCO, S. R. Conceito de área: uma proposta de ensino-aprendizagem. 2003. 185 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.

HOGBEN, L. Maravilhas da Matemática: influência e função da matemática nos conhecimentos humanos. Tradução de Paulo Moreira da Silva, Roberto Bins e Henrique Carlos Pfeifer. 2. ed. Porto Alegre, RS: Globo,1970.

KOPNIN, P. V. Fundamentos lógicos da ciência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.

KOPNIN, P. V. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo humano. São Paulo: Moraes, 1978.

LEONTIEV, A. Actividad, consciência, personalidade. Ciudad de La Habana: Pueblo y Educación, 1984.

LIMA, C. P. de; SEKKEL, M. C. Notas sobre as relações entre escola, família e sociedade na formação da atividade de estudo. Obutchénie: Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 3, n. 3, p. 1-31, 22 nov. 2019. https://doi.org/10.14393/OBv3n3.a2019-51705 .

MOURA, M. O. de. A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, São Paulo, ano II, n. 12, p. 29-43, 1996.

MOURA, M. O. de. A atividade de ensino como ação formadora. In Amélia D. de C., A.M.P.de C., Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Pioneira, p.143-162, 2001.

MOURA, M. O. de et al. A atividade Orientadora de Ensino como unidade entre ensino e aprendizagem. In: A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília: Líber Livro, 2010. DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v10i29.3094.

MOURA, M. O. de (Org.). Educação Escolar e a pesquisa na teoria histórico-cultural. São Paulo: Loyola, 2017.

MOURA, M. O. de; LANNER de MOURA, A.R. Escola: Um Espaço Cultural. Matemática na Educação Infantil: Conhecer, (re) criar - Um modo de lidar com as dimensões do mundo. São Paulo: Diadema/SECEL, 1998.

PANOSSIAN, M. L. O movimento histórico e lógico dos conceitos algébricos como princípio para constituição do objeto de ensino da álgebra. 2014. 317f. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. DOI: https://doi.org/10.11606/t.48.2014.tde-14052014-153038.

REZENDE, J. P. Sentidos e significados manifestos por licenciandos e pós-graduandos ao produzirem atividades de ensino de matemática na perspectiva lógico-histórica. 2015. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.

SANTOS, E. S. C. dos. A construção do conceito de área e procedimentos para sua medida no quinto ano do ensino fundamental: atividades fundamentadas na história da matemática. 2014. Tese (Doutorado) –Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

SMITH, D.E. History of Mathematics. V. II. New York: Dover, 1958.

VIGOTSKI, L.S. A formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKII, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

VIGOTSKI, L.S; LURIA, A.R.; LEONTIEV, A.N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Tradução de Maria da Penha Villalobos .11. ed. São Paulo: Ícone, 2017.