Atividade de formação de professores de matemática mediada pela Atividade Orientadora de Ensino

Main Article Content

Ana Paula Gladcheff Munhoz
Manoel Oriosvaldo de Moura

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a Atividade Orientadora de Ensino, por meio dos elementos que a caracterizam, como mediação do processo de formação do professor que ensina matemática. Para isso, tomou-se por base uma pesquisa fundamentada na Teoria da Atividade, na qual foi analisada a significação da atividade de ensino de matemática durante um processo de formação de professores. O pressuposto fundamental é o de que há uma relação entre as ações organizadas durante a atividade de formação e o processo de significação da atividade de ensino dos professores, o que torna possível compreender o quanto essas ações são orientadoras de tal processo. A atividade de formação desencadeou-se por uma proposição aos professores para desenvolverem atividades de ensino, organizados em pequenos grupos e orientados pelos princípios teórico-metodológicos da Atividade Orientadora de Ensino. Esta, por adquirir força mobilizadora, tornou-se uma atividade específica na perspectiva formulada por Leontiev, podendo ser caracterizada como mediadora no processo de significação da atividade de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Munhoz, A. P. G., & Moura, M. O. de. (2020). Atividade de formação de professores de matemática mediada pela Atividade Orientadora de Ensino. Obutchénie: Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 355-381. https://doi.org/10.14393/OBv4n2.a2020-57487
Seção
DOSSIÊ - Atividade Orientadora de Ensino

Referências

ALEXANDROV, A. D. Visión general de la matemática. In: ALEXANDROV, A. D. et al. La matemática: su contenido, método y significados. Madrid: Alianza, 2016.

ARAUJO, E. S. Mediação e aprendizagem docente. In: Anais... CONGRESSO NACIONAL DE PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL – ABRAPEE, 9., 2009, São Paulo – SP.

CARAÇA, B. J. Conceitos fundamentais da matemática. Revisto por Paulo Almeida. Lisboa: Gradiva, 2010.

CEDRO, W. L.; MOURA, M. O. Uma perspectiva histórico-cultural para o ensino de álgebra: o clube de matemática como espaço de aprendizagem. Zetetiké – Revista de Educação Matemática, Campinas-SP, v.15, n.27, p. 37-56, jan./jun. 2007. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v15i27.8647015.

DAVÍDOV, V. La enseñanza escolar y el desarrollo psiquico. Tradução de Marta Shuare. Moscú: Editorial Progreso, 1988.

DAVYDOV, V. Tipos de generalización en la enseñanza. Ciudad de La Habana: Editorial Pueblo y Educación, 1982.

DIAS, M. S.; SAITO, F. Interface entre história da matemática e ensino: uma aproximação entre historiografia e perspectiva lógico-histórica. In: Anais... SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2009, Brasília.

DUARTE, N. A individualidade para si. Campinas: Autores Associados, 1993.

FRANCO, P. L. J. O desenvolvimento de motivos formadores de sentido no contexto das atividades de ensino e de estudo na escola pública brasileira. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.

GLADCHEFF, A. P. Ações de estudo em atividade de formação de professores que ensinam matemática nos anos iniciais. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. DOI: https://doi.org/10.11606/T.48.2016.tde-09032016-103554.

HOLZMAN, L. Pragmatismo e materialismo dialético no desenvolvimento da linguagem. In: DANIELS, H. (Org.). Uma introdução a Vygotsky. São Paulo: Loyola, 2002.

KOPNIN, P. V. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

LANNER DE MOURA, A. R.; SOUSA, M. C. O lógico-histórico: uma perspectiva didática da álgebra na formação de professores. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 11., Goiânia. Anais... Goiânia: ENDIPE, 2002.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Tradução de Manuel Dias Duarte. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

LEONTIEV, A. Actividad, conciencia, personalidad. Tradução Librada Leyva Soler, Rosario Bilbao Crespo e Jorge Garcia. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1983.

MARCO, F. F. et al. A constituição de um projeto formativo: implicações para o professor que ensina matemática. Educação Unisinos (online), v. 22, p. 298-306, 2018.

MARTINS, L. M. A formação social da personalidade do professor: um enfoque vigotskiano. Campinas: Autores Associados, 2007.

MARTINS, L. M. Contribuições da psicologia histórico cultural para a pedagogia histórico-crítica. Exposição na Mesa-Redonda Marxismo e Educação: Fundamentos da Pedagogia Histórico-Crítica. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E ENGELS, 7., IFCH, UNICAMP, 2012.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. v.1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

MORETTI, V. D. Professores de matemática em atividade de ensino – uma perspectiva histórico-cultural para a formação docente. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. DOI: https://doi.org/10.11606/T.48.2007.tde-05102007-153534.

MORETTI, V. D.; MOURA, M. O. Professores de matemática em atividade de ensino: contribuições da perspectiva histórico-cultural para a formação docente. Ciência e Educação, Bauru, v.17, n.2, p.435-450, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132011000200012.

MOURA, M. O. A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, Rio Claro, v. 11, n. 12, p. 29-43,1996.

MOURA, M. O. A atividade de ensino como ação formadora. In: CASTRO, A. D.; CARVALHO, A. M. P. (Org.). Ensinar a ensinar: Didática para a Escola Fundamental e Média. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

MOURA, M. O. A dimensão da alfabetização na educação matemática infantil. In: KISHIMOTO, T. M.; OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. (Org.). Em busca da pedagogia da infância: pertencer e participar. Porto Alegre: Penso, 2013.

MOURA, M. O. (Org.). Educação escolar e pesquisa na teoria histórico-cultural. São Paulo: Loyola, 2017.

MOURA, M. O. et al. Atividade Orientadora de Ensino: unidade entre ensino e aprendizagem. Revista Diálogo Educacional – PUCPR, v.10, n.29, p. 205-229, 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v10i29.3094.

MOURA, M. O.; ARAUJO, E. S. A atividade orientadora de ensino como mediação. In: BEATÓN, G. A. et al. (Org.). Temas escolhidos na psicologia histórico-cultural interfaces Brasil – Cuba, 2018.

MUNHOZ, A. P. G.; MOURA, M. O. Ações formadoras em atividade de formação contínua com professores que ensinam matemática nos anos iniciais da escolarização: uma iniciativa na perspectiva da teoria histórico-cultural. Revista Paranaense de Educação Matemática, Campo Mourão, PR, v.8, n.15, p. 62-88, jan./jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.33871/22385800.2019.8.15.62-88.

NASCIMENTO, C. P. A atividade pedagógica da educação física: a proposição dos objetos de ensino e o desenvolvimento das atividades da cultura corporal. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. DOI: https://doi.org/10.11606/T.48.2014.tde-01102014-105809.

PETROVSKI, A. V. Personalidad, actividad y colectividad. Buenos Aires: Editorial Cartago, 1984.

POLINOVA, N. Particularidades da solução de um problema combinatório por estudantes em atuação de cooperação. In: GARNIER, C.; BERDNARZ, N.; ULANOVSKAYA, I. (Org.). Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista. Escolas russa e ocidental. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

ROSA, J. E.; MORAES, S. P. G.; CEDRO, W. L. As particularidades do pensamento empírico e do pensamento teórico na organização do ensino. In: MOURA, M. O. (Org.). A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília: Liber livro, 2010.

RUBTSOV, V. A atividade de aprendizado e os problemas referentes à formação do pensamento teórico dos escolares. In: GARNIER, C.; BERDNARZ, N.; ULANOVSKAYA, I. (Org.). Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista. Escolas russa e ocidental. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas: Autores Associados, 2011. (Coleção educação contemporânea).

SMOLKA, A. L. B. O (im)próprio e o (im)pertinente na apropriação das práticas sociais. Caderno CEDES, Campinas, v.20, n.50, p. 26-40, 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-32622000000100003.

SOUSA, M. C. O movimento lógico-histórico enquanto perspectiva didática para o ensino de matemática. Obutchénie: Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 1, n. 4, p. 40-68, 2018. DOI: https://doi.org/10.14393/OBv2n1a2018-3.

SOUSA, M. C.; MOURA, M. O. O movimento lógico-histórico em atividades de ensino de matemática: unidade dialética entre ensino e aprendizagem. In: Anais... ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 12., São Paulo. Anais... São Paulo: ENEM, 2016.

SOUSA, M. C. et al. Do movimento lógico e histórico à organização do ensino: o percurso dos conceitos algébricos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2014. (Série Educação Matemática)

SOUZA, N. M. M.; ESTEVES, A. K. Busca de superação das contradições da forma escolar no movimento de formação contínua de professores que ensinam matemática. Obutchénie: Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 2, n. 3, p. 669-697, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.14393/OBv2n3.a2018-47440.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia pedagógica. Tradução de Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004. (Psicologia e pedagogia).

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009. (Biblioteca pedagógica).

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Madrid: Aprendizaje Visor y Ministerio de Educación y Ciencia, 1991. Tomo I.