A imaginação e seu processo formativo à luz da psicologia histórico-cultural

Main Article Content

Mariana Cristina da Silva
Juliana Campregher Pasqualini

Resumo

Tanto no senso comum como em algumas teorias psicológicas e pedagógicas, é assumido o pressuposto de que a imaginação da criança é mais rica e desenvolvida que a do adulto. O presente artigo contrapõe-se à tese do embotamento natural da imaginação no curso da periodização do desenvolvimento, submetendo o fenômeno da imaginação à análise científica de orientação histórico-cultural. O objetivo central é demonstrar que a imaginação é um processo psíquico que se desenvolve e se complexifica à medida da também complexificação da atividade da pessoa no mundo. Tendo em vista elucidar o processo formativo da imaginação, abordamos sua especificidade em relação às demais funções psíquicas; pontuamos e analisamos suas expressões ativa e passiva; e apresentamos as técnicas imaginativas, em um esforço de sistematização das determinações e traços essenciais desse processo psíquico decodificados por Vigotski (2009), Vygotski (2014), Ignatiev (1960), Petrovski (1960), Repina (1974) e Rubinstein (1978). Concluímos o artigo focalizando implicações pedagógicas da discussão apresentada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Silva, M. C. da, & Pasqualini, J. C. (2019). A imaginação e seu processo formativo à luz da psicologia histórico-cultural. Obutchénie: Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 3(3), 1-24. https://doi.org/10.14393/OBv3n3.a2019-51700
Seção
Dossiê: Periodização histórico-cultural do desenvolvimento humano

Referências

ANJOS, R. E. O desenvolvimento histórico-cultural da imaginação na adolescência e a educação escolar. Temas em Educação e Saúde, Araraquara, v. 13, n. 2, p. 271-285, jul./dez. 2017. doi: 10.26673/rtes.v13.n2.juldez.2017.9602. https://doi.org/10.26673/rtes.v13.n2.jul-dez.2017.9602

GIANNONI, A. P. Uma história da psicologia soviética explicitada pelas abordagens da função imaginativa (1917-1960). 2018. 250 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2018. https://doi.org/10.5327/z1679443520180084

IGNATIEV, I. E. La imaginación. In: SMIRNOV, A. A.; LEONTIEV, A. N.; RUBINSTEIN, S. L.; TIEPLOV, B. M. (org.). Psicologia. México: Grijalbo, 1960.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas: Autores Associados, 2013. https://doi.org/10.1590/s1414-32832012000100025

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2013. (Livro I: o processo de produção do capital).

PETROVSKI, A. V. La imaginación. In: PETROVSKI, A. V. Psicologia General: manual didáctico para los institutos de pedagogia. Moscú: Progreso, 1985.

REPINA, T. A. Development of imagination. In: ZAPOROZHETS, A. V.; ELKONIN, D. B. The psychology of preschool children. Cambridge: MIT Press, 1974.

RUBINSTEIN, S. L. La imaginación. In: RUBINSTEIN, S. L. Principios de psicología general. México: Grijalbo, 1978.

SACCOMANI, M. C. da S. A criatividade na arte e na educação escolar: uma contribuição à pedagogia histórico-crítica à luz de Georg Lukács e Lev Vigotski. Campinas: Autores Associados, 2016. https://doi.org/10.20396/rho.v12i47.8640060

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas: Autores Associados, 2012. https://doi.org/10.5212/praxeduc.v.8i1.0013

SILVA, M. C. da. O desenvolvimento da imaginação e a atividade da criança em idade pré-escolar. 2019. 199 f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2019. https://doi.org/10.11606/d.7.2006.tde-02102006-155956

VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância. São Paulo: Ática, 2009.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas II: problemas de psicología general. Madrid: Antonio Machado Libros, 2014.