Psicologia histórico-cultural e a atividade dominante como mediação que forma e se transforma: contradições e crises na periodização do desenvolvimento psíquico

Main Article Content

Angelo Antonio Abrantes
Nadia Mara Eidt

Resumo

Este artigo parte do fundamento de que somente é possível compreender o conceito de atividade dominante/guia e a periodização do desenvolvimento psíquico sistematizado pela Psicologia Histórico-Cultural tendo conhecimento dos princípios do materialismo histórico dialético, particularmente manejando a teoria como sistema conceitual advindo das contradições e transformações qualitativas da realidade. Nosso objetivo foi analisar a concretude supraindividual da categoria atividade e destacar as contradições inerentes à atividade dominante/guia compreendendo as crises como momentos de ruptura necessários ao desenvolvimento psíquico. A exposição foi organizada em dois momentos; no primeiro, destacou-se a unidade entre o conceito de atividade dominante e o de prática social, tendo a finalidade de apontar que a atividade dominante/guia é uma mediação que se transforma no decorrer da vida social em direção à atividade consciente de si. No segundo, sublinhou-se o processo de formação das contradições internas inerentes a cada período do desenvolvimento afirmando que as crises significam superações de contradições particulares que colocam desafios mais complexos à pessoa. Concluímos com apontamentos sobre o problema de manejar o conceito de atividade dominante na sociedade marcada pela desigualdade estrutural, considerando que as crises não podem ser concebidas como universais a-históricos, visto que possuem conteúdos sociais distintos e qualidades determinadas pela contradição humanização – alienação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Abrantes, A. A., & Eidt, N. M. (2019). Psicologia histórico-cultural e a atividade dominante como mediação que forma e se transforma: contradições e crises na periodização do desenvolvimento psíquico. Obutchénie: Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 3(3), 1-36. https://doi.org/10.14393/OBv3n3.a2019-51694
Seção
Dossiê: Periodização histórico-cultural do desenvolvimento humano

Referências

ABRANTES, A. A. Adolescência adulterada: a (contra) reforma do ensino médio e a formação do jovem adolescente a partir da Psicologia Histórico-Cultural. In: PENITENTE, L. A. A.; MENDONÇA, S. G. L.; MILLER, S. (org.). As (contra)reformas na educação hoje. São Paulo: Cultura acadêmica, 2018. v. 1, p. 125-148. https://doi.org/10.5965/198431781212016058

ANJOS, R. E.; DUARTE, N. A adolescência inicial: comunicação intima pessoal, atividade de estudo e formação de conceitos. In: Martins, L.M, Abrantes, A.A, Facci, M.G.D (orgs) Periodização histórico-cultural do desenvolvimento psíquico: do nascimento à velhice. 1ed. Campina: Autores Associados, 2016, V.1, p. 195-220.

DAVIDOV, V. V. La enseñanza escolar y el desarrollo psíquico. Moscú: Progreso, 1988.

DUARTE, N. A anatomia do homem é a chave da anatomia do macaco: a dialética em Vigotski e em Marx e a questão do saber objetivo na educação escolar. Educação & Sociedade, v. 21, n. 71, 2000, p. 79-115. https://doi.org/10.1590/s0101-73302000000200004

DRAGUNOVA, T. V. Características psicológicas do adolescente. In: PETROVSKI, A. Psicologia evolutiva y pedagogica. Moscu: Progresso, 1985. p. 120-174.

ELKONIN, D. B. Sobre el problema de la periodización del desarrollo psiquico en la infancia. In: DAVIDOV, V.; M. SHUARE, M. (Org.), La psicologia evolutiva e pedagógica en la URSS: Progresso. 1987. p. 125-142. https://doi.org/10.2307/j.ctv86dhbs.11

ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

ILYENKOV, E. V. Lógica Dialética: ensaios de história e teorias. Moscou: Progresso, 1977.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte Universitário, 1978a. 352p.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 6. ed. São Paulo: EDUSP, 1998. p. 59-83.

LEONTIEV, A. N. Actividade e Consciência. In: MAGALHÃES-VILHENA, V. (org.). Práxis: a categoria materialista de prática social. Lisboa: Livros Horizonte, 1980. v. 2.

MARKOVA, A. K.; ABRAMOVA, G. S. La actividad docente como objeto de la investigación psicológica. In: ILIASOV I. I.; LIAUDIS V. Y. Antología de la psicología pedagógica y de las edades. La Habana: Pueblo y Educación, 1986. 104-109. https://doi.org/10.4272/978-84-9745-925-9.ch2

MUKHINA, V. Preparação psicológica do pré-escolar para a escola. In: MUKHINA, V. Psicologia da idade pré-escolar. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

PRADO Jr., C. Dialética do Conhecimento. São Paulo: Brasiliense, 1969. v. 2.

SÉVE, L. Quelles contradictions? À propos de Piaget, Vygotski et Marx. In: CLOT, Y. (ed.). Avec Vygotski. 2e. ed. augmentée. Paris: La Dispute, 2002.

VIGOTSKI, L.S.. PRESTES, Z.; TUNES, E. (org.). Primeira aula: O objeto da pedologia. In: Sete aulas de L. S. Vigotski sobre os fundamentos da pedologia. Rio de Janeiro: E-Papers, 2018. p. 17-36. https://doi.org/10.4025/rtpe.v22i1.47437

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 2001.

VYGOTSKI, L. S. El problema de la edad. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Madrid: Visor, 1996a. v. 4. p. 251-274.

VYGOTSKI, L. S. El primer año. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Madrid: Visor, 1996b. v. 4. p. 275-318.

VYGOTSKI, L. S. Crisis del primer año de vida. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Madrid: Visor, 1996c. v. 4. p. 319-340.

VYGOTSKI, L. S. La crisis de los siete años. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Madrid: Visor, 1996d. v. 4. p. 377-386.