RENDIMENTO DE CARCAÇA E CORTES EM FRANGOS DE CORTE FÊMEAS DE DUAS LINHAGENS SUBMETIDAS A DIFERENTES NÍVEIS NUTRICIONAIS

  • Marcella Machado Antunes
  • João Paulo Rodrigues Bueno
  • Marina Cruvinel Assunção Silva
  • Driene Bastos Soares
  • Isabella Lourenço dos Santos
  • Carolina Magalhães Caires Carvalho
  • Maiana Visoná de Oliveira
  • Evandro de Abreu Fernandes

Resumo

A carne de frango bem como seus cortes nobres (peito e coxa) vem ganhando destaque no mercado. Para diminuir os defeitos na carne, quantidade de gordura e aumentar as qualidades e rendimento; os fatores ambientais, sanitários e particularmente nutricionais e genéticos são de suma importância. Neste estudo objetivou-se avaliar os rendimentos de carcaça e cortes de duas linhagens de fêmeas de frangos de corte utilizando três diferentes níveis energéticos de dietas. Não foram encontradas interações entre linhagem e nível energético para rendimento de carcaça e cortes. A linhagem B teve maior rendimento de carcaça sem pés, pescoço e cabeça, peito sem osso e peito com osso. O nível energético não influenciou no rendimento de carcaça, carcaça sem pés, pescoço e cabeça, asas, peito sem pele, peito sem osso e peito com osso, apresentando o nível médio, menor rendimento de coxa e sobrecoxa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-06-06