QUADRO CLÍNICO DE CÃES COM LEISHMANIOSE VISCERAL E SUA CORRELAÇÃO COM A SENSIBILIDADE DO TESTE PARASITOLÓGICO

  • Larissa Fernandes Magalhães
  • Tais Meziara Wilson
  • Alessandra Aparecida Magalhães

Resumo

A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é uma enfermidade sistêmica severa cuja manifestação clínica relaciona-se com o tipo de resposta imunológica expressa pelo animal infectado. É causada por um protozoário do gênero Leishmania, espécie Leishmania chagasi, e tem como principal transmissão, a picada do inseto vetor. Para ter o diagnóstico desta doença realizam-se testes sorológicos e/ou parasitológicos, uma vez que os sinais clínicos são diversos e podem se assemelhar a várias outras doenças infecciosas. Este trabalho teve como intuito verificar quais foram os principais sinais clínicos encontrados em cães sororreagentes para LVC provenientes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Uberlândia - MG e realizar exame parasitológico de amostras coletadas em baço e linfonodo poplíteo de cães sororreagentes e correlacionar seu resultado com a sintomatologia apresentada pelo cão. Verificou-se que os principais sinais clínicos ocorreram na pele e anexo (79,41%); linfadenomegalia (52,94%); hepatomegalia (50%); emagrecimento (26,47%); esplenomegalia (23,52%); apatia (23,52%); hipertermia (20,58%); alterações oftálmicas (17,6%) e mucosas hipocoradas (14,70%). Treze dos 34 animais foram positivos no exame parasitológico, sendo que foi mais frequente a visualização de formas amastigotas no baço. Foi verificado que 42% dos animais assintomáticos deram positivos no exame parasitológico, confirmando a importância deste grupo para a disseminação inaparente desta doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-06-06
Seção
Epidemiologia e Saúde Pública