CIDADE LABIRINTO E ARTICULAÇÕES SIMBÓLICAS DE UM IMAGINÁRIO URBANO:

REPRESENTAÇÕES INFANTIS SOBRE IMBITUBA, SANTA CATARINA

Palavras-chave: Imaginário, Imaginário Infantil, Hermenêutica Simbólica, Labirinto, Imbituba/SC

Resumo

Este artigo propõe a discussão sobre o imaginário urbano de Imbituba, Santa Catarina, a partir de representações infantis. O que nos instigou a proposta de análise foi parte dos resultados de uma pesquisa mais ampla sobre os símbolos da cidade, identidade e pertencimento. Aqui, especificamente, tratamos da articulação simbólica com o mito do labirinto. Estamos baseadas nas estruturas do Imaginário, a partir de Durand, entendidas como a razão interna que anima nossos modos de ser, pensar e estar no mundo. Assim, pela Hermenêutica simbólica, buscamos compreender as representações que forjam um imaginário de cidade, a partir das constelações simbólicas e emergência mítica que suscitaram, especialmente a imagem do labirinto. Pela representação dos (des)caminhos da cidade podemos perceber a busca de uma trajetória (do lugar e de si).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Juncklaus Preis Moraes, Universidade do Sul de Santa Catarina

Doutora. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina. Líder do Grupo de Pesquisas do Imaginário e Cotidiano.

Emanuelle Querino Alves de Aviz, Universidade do Sul de Santa Catarina

Mestre e Doutoranda qdo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina. Integrante do Grupo de Pesquisas do Imaginário e Cotidiano.

Referências

ARAÚJO, Alberto Filipe; ALMEIDA, Rogério de. Fundamentos metodológicos do imaginário: mitocrítica e mitanálise. In: Téssera, v.1, n.1, p. 18-42, Uberlândia, jul-dez 2018.

ARAÚJO, Alberto Filipe; WUNENBURGER, Jean-Jacques. Introdução ao imaginário. In: ARAÚJO, Alberto Filipe. BAPTISTA, Fernando Paulo. Variações sobre o imaginário. Piaget: Lisboa, 2003. p. 23-44.

AVIZ, Emanuelle Querino Alves de. Símbolos de Imbituba/SC: análise comparativa entre o brasão do município e o Imaginário das crianças das escolas municipais. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem). Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2019.

BARRETO, Marco Heleno. Imaginação Simbólica: Reflexões Introdutórias. Loyola: São Paulo, 2008. 104 p.

BERTIN, G. Gilbert Durand ou o novo espírito antropológico. In: TONIN, Juliana; AZUBAL, Larissa. Comunicação e Imaginário. Porto Alegre: Edipucrs, 2016. P. 17-34.

CAMPBELL, Joseph. As transformações do mito através do tempo. Trad. Heloysa de Lima Dantas. 2 ed. São Paulo: Cultrix, 2015. 260 p.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário: introdução à arquetipologia geral. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 552 p.

______. Campos do Imaginário. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

ELIADE, Mircea. Imagens e Símbolos. Lisboa: Arcádia, 1979. 173 p.

FERREIRA-SANTOS, Marcos; ALMEIDA, Rogério de. Aproximações ao imaginário: bússola de investigação poética. São Paulo: Képos, 2012. 176 p.

MAFFESOLI, Michel. O imaginário é uma realidade. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 15, p.74-82, agosto. 2001a.

______. O eterno instante. Lisboa: Piaget, 2001b.

MEUNIER, Mário. Nova mitologia clássica: a legenda dourada, história dos deuses e heróis da antigüidade. 2. ed. São Paulo: IBRASA, 1976. 391 p.

MORAES, Heloisa Juncklaus Preis. A descoberta e a vivência do virtual: experiências infantis. Florianópolis: DIOESC, 2012. 194 p.

ORTIZ-OSÉS, Andrés. Hermenêutica, Sentido e Simbolismo. In: ARAÚJO, Alberto Filipe. BAPTISTA, Fernando Paulo. Variações sobre o imaginário. Piaget: Lisboa, 2003. p. 93-139.

PAULA CARVALHO, José Carlos de. Pedagogia do Imaginário e culturanálise de grupos: educação fática e ação cultural. In. R.Fac.Educ., São Paulo (15)2; 133-151 jul/dez 1989.

PITTA, Danielle Perin Rocha. Iniciação à teoria do imaginário de Gilbert Durand. Rio de Janeiro: Atlântica Editora, 2005. 106 p.

PRECIOSO, Adriana Lins. O Mito do Labirinto e o Percurso até a Cidade Moderna. In: RAMOS, Celeste. (Org.) Mitos: perspectivas e representações. Campinas: Alínea, 2005. p. 75-83.

PREFEITURA DE IMBITUBA. Brasão de Imbituba. Disponível em: <http://www.imbituba.sc.gov.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/49285>. Acesso em: 04 mai. 2018.

RANDAZZO, Sal. A criação de mitos na publicidade: como os publicitários usam o poder do mito e do simbolismo para criar marcas de sucesso. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

WUNENBURGER, Jean-Jaques. A árvore de imagens. Revista Intexto, Porto Alegre, UFRGS, n. 41, p. 58-69, jan./abr. 2018.

______. O imaginário. Trad. Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2007. 104 p.

Publicado
2019-12-17