ENTRE VIOLETAS E LABAREDAS, JANELAS E MOLDURAS:

O DUPLO NAS PERSONAGENS E ESPACIALIDADES DE “A DANÇA DO JAGUAR”

  • Rosana de Barros Varela Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Antonio Aparecido Mantovani Universidade do Estado de Mato Grosso
Palavras-chave: Duplo; Literatura. A dança do jaguar. Tereza Albues.

Resumo

O dilema da identidade, na literatura, é constantemente evocado a partir do mito do duplo. Para além das imagens conhecidas do gêmeo ou do sósia, o desdobramento também pode ocorrer de maneira extrínseca ao “eu” original, dando origem ao duplo exógeno. Partindo desta premissa, pretende-se, neste trabalho, analisar as configurações do duplo no romance A dança do jaguar (2000), de Tereza Albues. Na obra de Albues, o sobrenatural se manifesta na personagem a partir das metamorfoses e do desdobramento do eu, temas recorrentes na narrativa fantástica. De maneira concomitante, as espacialidades também se duplicam, gerando a confluência entre o ambiente doméstico e o cenário pictórico – representado pelas telas “Percepção-enigma” e “Asas Felinas” –, que se impõem à estrutura da casa onde reside a protagonista e são atreladas a eventos sobrenaturais. Como o fantástico privilegia a suspensão ou revelação dos limites entre matéria e espírito, no romance em estudo, o embate entre o eu e o outro adquire diferentes significados para as personagens, tais como a busca pelo conhecimento metafísico, que levaria ao retorno a uma unidade primordial.

 

Palavras-chave: Duplo; Literatura. A dança do jaguar. Tereza Albues.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosana de Barros Varela, Universidade do Estado de Mato Grosso
Mestra em Letras pelo Programa de Pós-graduação em Letras (PPGLetras) do Campus da UNEMAT de Sinop.
Antonio Aparecido Mantovani, Universidade do Estado de Mato Grosso
Professor do Curso de Letras do Campus da UNEMAT de Sinop, e membro permanente dos Programas de Mestrado em Letras PROFLETRAS e PPGLetras.

Referências

ALBUES, T. A dança do jaguar. Paris: Edição Zero Hora, 2000. 206 p.

ECO, U. Sobre os espelhos. In: ______. Sobre os espelhos e outros ensaios. Trad. Beatriz Borges. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989. p. 11-37.

ELIADE, M. Mefistófeles e o andrógino ou o mistério da totalidade. In: ______. Mefistófeles e o andrógino: comportamentos religiosos e valores espirituais não-europeus. Trad. Ivone Castilho Benedetti. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. p. 77-129.

FOUCAULT, M. Linguagem e literatura. In: MACHADO, Roberto. Foucault, a filosofia e a literatura. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. p.137-174.

FREUD, S. O inquietante. In: ______. História de uma neurose infantil: “O homem dos lobos”: além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). Trad. e notas Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. p. 328-376.

FURTADO, F. A construção do fantástico na narrativa. Lisboa: Livros Horizonte, 1980. 151 p.

GAMA-KHALIL, M. M. Espacialidades geradoras da ambientação fantástica em A invenção de Morel. In: BORGES FILHO, O.; BARBOSA, S. (Orgs.). Poéticas do espaço literário. São Paulo: Editora Claraluz, 2009. p. 63-74.

HATTSTEIN, M. Religiões do mundo. Trad. Paula da Silva. Bonner: Könemann, 2000. 120 p.

LINS, O. Lima Barreto e o espaço romanesco. São Paulo: Ática, 1976. 154 p.

PERSONA, L. Tereza Albues: a apaixonada cosmovisão. In: ALBUES, Tereza. Buquê de línguas. Cuiabá: Carlini & Caniato, 2008. 144 p.

POE, E. A. A filosofia da composição. In: ______. Ficção completa, poesia & ensaios. Org. e trad. Oscar Mendes. Rio de Janeiro: Nova Aguiar, 2001. p. 911-920.

PRADA OROPEZA, R. El discurso fantástico contemporáneo: tension semántica y efecto estético. Revista Semiosis. Tercera Época. Xalapa, Veracruz, México: Instituto de Investigaciones Lingüístico-Literarias. v. 2, nº 3, p. 54-76, Enero-Junio/2006.

RAMOS, D. G.; BIASE, M. C. de; BALTHAZAR, M. H. M.; RODRIGUES, M. L. P.; SAUAIA, N. M. L.; SAYEGH, R. R.; MALTA, S. M. T. C. A onça. In: ______. Os animais e a psique. Vol. I. São Paulo: Summus Editorial, 2005. p. 183-219.

ROSSET, C. O real e seu duplo: ensaio sobre a ilusão. Trad. José Thomaz Brum. 2 ed. revista. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008. 109 p.

SUZUKI, D.T. Introdução ao zen-budismo. São Paulo: Pensamento, 1969. 157 p.

TODOROV, T. Introdução à literatura fantástica. Trad. de Maria Clara Correa Castello. São Paulo: Perspectiva, 1975. 191 p.

Publicado
2019-12-17