A FLORESTA LABIRÍNTICA: UMA ANÁLISE DA “FLORESTA DAS TREVAS” NA OBRA O HOBBIT DE J.R.R.TOLKIEN

  • Gabriela Soncini UFU - Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

Um labirinto representa um estado do ser que está perdido. A situação labiríntica se apresenta não somente em labirintos em forma, com suas curvas, caminhos emaranhados e com sua difícil travessia para a chegada ao centro ou ao fim. Os labirintos podem se apresentar de diversas formas ao viajante que está em busca de algo, ou seja, daqueles com o propósito de chegar a determinado lugar no fim de sua jornada. Neste sentido, este artigo pretende realizar uma análise da passagem pela “Floresta das Trevas”, um dos caminhos atravessados na aventura contada na obra O Hobbit (1937) do escritor J.R.R.Tolkien. Ao passarem por essa floresta misteriosa, os personagens em jornada irão se deparar com sensações e sentimentos de um estado labiríntico, de perda, esquecimento, e de extrema necessidade de se chegar ao fim dessa floresta.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-17