Formas e cores do imaginário na construção de um mito

  • Vera Maria Tietzmann Silva UFG
Palavras-chave: Narrativa infantil, Escravidão no Brasil., Chico Moleque, Herói negro

Resumo

Este artigo pretende analisar a ilustração de Chico Moleque, um sonho de liberdade, de Maria Luiza Batista Bretas. Trata-se da história de um ex-escravo que comprou a sua alforria e a da sua família e fundou um quilombo em Goiás para abrigar outros negros que quisessem lá viver em liberdade. Apesar de a narrativa ser bastante simples e despretensiosa, as imagens criadas por Santiago Regis, devido a seu teor simbólico e místico, dão uma dimensão maior aos subentendidos da história.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRETAS, Maria Luiza Batista. Chico Moleque, um sonho de liberdade. Il. De Santiago Régis. Goiânia: Cânone Editorial, 2016.

CAMARGO, Luís. Ilustração do livro infantil. [1995]. 2. ed. Belo Horizonte: Editora Lê, 1998.

LAGO, Angela. A intencionalidade da criação. Letras em Revista. Goiânia: CEGRAF, v. 2, n. 1, jan-dez 1991.

LINDEN, Sophie Van der. Para ler o livro ilustrado. Tradução de Dorothée de Buchard. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

MANGUEL, Alberto. Lendo imagens. Tradução de Rubens Figueiredo et al. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

OLIVEIRA, Rui de. A arte de contar histórias por imagens. Revista presença pedagógica. Belo Horizonte: Dimensão, v. 4, n. 19, jun-fev 1998.

RAMOS, Graça. A imagem nos livros infantis: caminhos para ler o texto visual. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

Publicado
2019-07-09
Seção
Artigos