O Imaginário erótico na poesia de Gilka Machado

Algumas reflexões

  • Maria do Socorro Pinheiro
Palavras-chave: Poesia, Imaginário, Erotismo, Gilka Machado

Resumo

Pretendemos refletir nesse artigo sobre o imaginário erótico na poesia de Gilka Machado, observando sua forma de constituição. Para tanto, investigamos como o eu poético feminino vive seu erotismo e por meio de que imagens ele se revela. Para esse estudo, nos debruçamos sobre os poemas de temática erótica, cuja simbologia e significação apontam para uma realidade do desejo feminino. Mantemos um diálogo com as ideias de Georges Bataille (2013) e Octavio Paz (1994, 2012) sobre o erotismo e com Gaston Bachelard (1988, 2001) sobre o imaginário, que revelam a importância desse assunto no âmbito social e cultural, e que pode nos ajudar a compreender as relações entre imaginário, poesia e erotismo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXANDRIAN. História da literatura erótica. Tradução de Ana Maria Scherer e José Laurênio de Mello. Rio de Janeiro: Rocco, 1993

ANDRADE, Carlos Drummond de. Gilka, a antecessora. Jornal do Brasil, 18 de dezembro de 1980, p.7. Fonte: Biblioteca Nacional Digital / Hemeroteca Digital.

BACHELARD, Gaston. O ar e os sonhos: ensaio sobre a imaginação do movimento. Trad. Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

____________. A poética do devaneio. Trad. Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

BATAILLE, Georges. O erotismo. Trad. Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

BUENO, Aleixei. Antologia Pornográfica: de Gregório de Matos a Glauco Mattoso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

CHEVALIER, Jean;GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Tradução, Vera da Costa e Silva... [et al.] 2. ed. (1ª. reimpressão). Rio de Janeiro: José Olympio, 1990.

FARRA, Maria Lúcia Dal. O corpo insepulto de Florbela (apontamentos para a marginalidade feminina) In: Marginalidades femininas: a mulher na literatura e na cultura brasileira e portuguesa. Luciene Marie Pavanelo, Maria Cristina Pais Simon, Osmar Pereira Oliva, Paulo Motta Oliveira (Orgs.). – Montes Claros: Unimontes, 2017.

MACHADO, Gilka. Poesias Completas. Rio de Janeiro: Leo Christiano Editorial: FUNARJ, 1991.

MURARO, Rose Marie. Sexualidade da mulher brasileira. Petrópolis: Vozes, 1983.

PAZ, Octávio. O arco e a lira. Tradução de Ari Roitman e Paulina Wacht. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

________. A dupla chama. Trad. Wladir Dupont. São Paulo: Siciliano,1994.

PINHEIRO, Maria do Socorro. O erotismo metafísico na poesia de Gilka Machado: símbolos do desejo. Fortaleza: EdUECE, 2019.

ROCHA, Zeferino. O desejo na Grécia Antiga. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2011.

SOARES, Angélica. A paixão emancipatória: vozes femininas da liberação do erotismo na poesia brasileira. Rio de Janeiro: DIFEL, 1999.

XAVIER, Elódia. Que corpo é esse? O corpo no imaginário feminino. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2007.

Publicado
2019-07-09
Como Citar
PINHEIRO, M. DO S. O Imaginário erótico na poesia de Gilka Machado. Téssera, v. 1, n. 2, p. 105-119, 9 jul. 2019.
Seção
Artigos