Manifestação e ambientação do insólito ficcional em Psicose, de Robert Bloch

Palavras-chave: Psicose, insólito ficcional, espaço, ambientação

Resumo

Sob a ótica dos estudos literários relacionados ao insólito ficcional, este estudo teve como propósito analisar a construção do espaço e a ambientação do insólito em Psicose (1959), de Robert Bloch. A base teórica deste trabalho está fundamentada nos estudos de literatura fantástica e suas vertentes, principalmente nos conceitos elaborados por Tzvetan Todorov (2003), Remo Ceserani (2006), Howard Phillips Lovecraft (2007) e Edgar Allan Poe (2017). Por fim, foi possível perceber de que forma o insólito, amarrado à ambientação, tornam-se fundamentais no desenvolvimento do enredo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Helena Lange, Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Mestranda do Programa de Pós-graduação em Letras (PPGL): Linguagem, Cultura e Sociedade, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Pato Branco, com ênfase em Literatura, Sociedade e Interartes. Graduada em Letras - Português e Inglês, pela mesma universidade. Faz parte do Grupo de Pesquisa "Estudos de literatura contemporânea : comparatismo, tradução e interartes" (GELCON) da UTFPR.
Mauricio Cesar Menon, Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Doutor em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (2007). Atualmente é professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (Departamento de Humanidades DAHUM e do Mestrado em letras PPGL) e Membro de corpo editorial do Diálogo e Interação.

Referências

BLOCH, Robert. Psicose. Tradução Anabela Paiva. Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2013.

BRANDÃO, Luis Alberto. Teorias do espaço literário. São Paulo: Perspectiva; Belo Horizonte, MG: FAPEMIG, 2013.

CESERANI, Remo. O Fantástico. Tradução de Nilton Cezar Tridapalli. Curitiba: Ed. UFPR, 2006.

COSOY, Ilana. Serial killers: louco ou cruel? Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2014.

DARKSIDE. Psicose: classic edition. Disponível em: <http://www.darksidebooks.com.br/psicose/>. Acesso em: 18 jul. 2017.

DUTRA, Daniel Iturvides. O horror sobrenatural de H.P. Lovecraft: teoria e praxe estética do horror cósmico. 2015. 263 f. Tese (Doutorado em Literatura Comparada) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/128999>. Acesso em: 14 jul. 2017.

FREUD, Sigmund. O estranho (1919). In: ______. Uma neurose infantil e outros trabalhos, Vol. XVII. Rio de Janeiro: Imago, 1977, p. 273-314. Disponível em: <http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/01/freud-sigmund-obras-completas-imago-vol-17-1917-1918.pdf>. Acesso em: 01 dez. 2017.

______. O Eu e o Id (1923). In: ______. Obras completas, volume 16: O Eu e o Id, “autobiografia” e outros textos (1923-1925). Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. Disponível em: <https://www.companhiadasletras.com.br/trechos/13032.pdf>. Acesso em: 01 dez. 2017.

GARCÍA, Flavio (org.). A banalização do insólito: questões de gênero literário – mecanismos de construção narrativa. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2007. Disponível em: <http://www.dialogarts.uerj.br/admin/arquivos_tfc_literatura/livro_insolito.pdf>. Acesso em: 14 jul. 2017.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Minidicionário da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

LOVECRAFT, Howard Phillips. O horror sobrenatural em literatura. Tradução Celso M. Paciornik. São Paulo: Iluminuras, 2007.

OLIVEIRA, Bruno Silva de; GAMA-KHALIL, Marisa Martins. O espaço como elemento irradiador do medo na literatura sertanista de Afonso Arinos e Bernardo Guimarães. Abusões, v. 1, n. 1, 2016. Disponível em: <http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/abusoes/article/view/22022/18384>. Acesso em: 14 jul. 2017.

POE, Edgar Allan. A filosofia da composição. ______. In: Medo clássico: Edgar Allan Poe: coletânea inédita de contos do autor. Tradução Marcia Heloisa Amarante Gonçalves. Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2017.

REBELLO, Stephen. Alfred Hitchcock e os bastidores de Psicose. Tradução Rogério Durst. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

THE pervert’s guide to cinema. Direção: Sophie Fiennes. Produção: Amoeba Film. Roteiro: Slavoj Žižek. Reino Unido, Áustria, Holanda: Amoeba Film, 2006, 153 min., color., 35 mm., DVD.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à Literatura Fantástica. 2ª Ed. São Paulo: Perspectiva, 2003.

Publicado
2018-11-26
Como Citar
LANGE, C. H.; MENON, M. C. Manifestação e ambientação do insólito ficcional em Psicose, de Robert Bloch. Téssera, v. 1, n. 1, p. 110-125, 26 nov. 2018.