Geração de Funcionais da Gravidade a partir de Observações Aerogravimétricas e de Modelos Geodésicos Globais

Palavras-chave: Rede Vertical de Referência do Brasil, Aerogravimetria, Compatibilização de SGRs e Sistemas de Marés Permanentes, MERIT, XGM2019

Resumo

A Rede Vertical de Referência do Brasil – RVRB é estruturada em dois segmentos distintos com discrepância entre si (offset). Cada qual é vinculado a um Datum Vertical – DV distinto: Imbituba e Santana. Sobre a realização 2018 da RVRB já existem determinações do offset no espaço do geopotencial com base em gravimetria e nivelamento. Estas soluções têm como pontos fracos a utilização de levantamentos sobre ramais abertos e DVs locais. A visão atual é a de que cada segmento deva ter seu offset referido a uma mesma referência global. Para tanto, é recomendada tal determinação com base em soluções do Problema do Valor de Contorno da Geodesia em referencial global. Para estas soluções são necessárias funcionais da gravidade (e.g. distúrbio da gravidade) independentes de reduções em referencias locais. Na região de conexão dos segmentos, nos estados do Pará e do Amapá, se dispõe de um extenso levantamento aerogravimétrico para finalidades geofísicas, devendo receber profunda depuração para aplicações em Geodesia. No presente trabalho são apresentadas todas as atividades de depuração e compatibilização com referencial global deste levantamento aerogravimétrico. O Modelo Digital de Altitude MERIT substituiu ao SRTM nas reduções da gravidade. O Modelo Global do Geopotencial XGM2019 em substituição ao EGM96 e a modelagem das marés permanentes, foram requisitos fundamentais para o vínculo ao espaço do geopotencial e a um único referencial global. Com as estratégias empregadas, foi obtida uma melhora significativa na aderência das funcionais geradas com modelos globais da Geodesia (RMS melhor que 7mGal).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-02-19
Como Citar
SANTACRUZ JARAMILLO, A. G.; FREITAS, S. R. C. DE. Geração de Funcionais da Gravidade a partir de Observações Aerogravimétricas e de Modelos Geodésicos Globais. Revista Brasileira de Cartografia, v. 73, n. 1, p. 245-260, 19 fev. 2021.
Seção
Artigos Originais