Sensibilidade Espectral dos Índices de Vegetação: GNDVI, NDVI e EVI na Mata Ciliar do Reservatório de Serrinha II – PE, Brasil

Palavras-chave: Índices de Vegetação, Classificação Binária, Matas Ciliares, Caatinga, Reservatórios

Resumo

Matas ciliares são florestas associadas a córregos, rios e lagos possuindo influência na proteção dos ecossistemas de ações antrópicas. O objetivo deste estudo foi identificar as alterações nas áreas de mata ciliar da Caatinga, a partir da sensibilidade espectral dos índices de vegetação (IVs): GNDVI, NDVI e EVI, considerando uma análise espaço temporal (1985 a 2019) no entorno do Reservatório de Serrinha II – PE - Brasil. Para isso, foram utilizadas imagens dos satélites TM - Landsat 5, OLI - Landsat 8 e MSI - Sentinel 2. Os IVs foram validados comparando perfis espectrais e correlação dos produtos gerados pelo Landsat 8 e Sentinel 2. Através da classificação binária dos índices, foram identificadas as alterações na cobertura vegetal, entre 1996 e 2019, resultando uma perda de 55,40% de vegetação. Estes eventos, associados aos efeitos da seca também foram observados para o reservatório, entre 2012 e 2019, com 32,36% de redução do espelho d’água. Entre os IVs, o GNDVI e NDVI apresentaram maior sensibilidade para identificar a mata ciliar com coeficiente de Pearson igual a 0,93 para o Landsat 8; 0,94 para o Sentinel 2 e acurácia global superior a 95%. Por outro lado, o EVI mostrou-se mais sensível para identificar a área do reservatório, com acurácia global de 99,48%. O monitoramento de reservatórios artificiais e mata ciliares de florestas sazonalmente secas como a Caatinga se beneficiam do uso de IVs onde a escolha de um determinado IV isolado deve ser interpretada com cautela de acordo com as características da região estudada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ubiratan Joaquim da Silva Junior, Universidade Federal de Pernambuco

Mestrando em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação pela UFPE (2019) e Graduação em Engenharia Cartográfica pela UFPE (2017). Tem experiência em cartografia e geodésia, atuando principalmente nos seguintes temas: monitoramento costeiro, Hidrologia, sensoriamento remoto e recursos hídricos, com ênfase em Tecnologia Ambiental.

Rodrigo Mikosz Gonçalves, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Possui graduação em Engenharia Cartográfica pela UFPR (1999), mestrado em Engenharia Elétrica e Informática Industrial pela UTFPR (2004), doutorado em Ciências Geodésicas pela UFPR (2010) com período de pesquisa no Instituto de Geodésia de Karlsruhe, KIT, Alemanha (2008-2009) e Pós-Doutorado no departamento de Ciências Espaciais, Curtin University, Austrália (2014-2015). Atualmente é professor associado e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação da UFPE. Tem experiência em cartografia e geodésia, atuando principalmente nos seguintes temas: monitoramento costeiro (GNSS), vulnerabilidade à erosão costeira e variabilidade climática nos recursos hídricos (GRACE).

Leidjane Maria Maciel de Oliveira, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Doutora em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco - Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos (2012), Pós-doutorado em Engenharia Civil na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco - Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos (2007) e graduação em Engenharia Civil pela Universidade Católica de Pernambuco (1991). Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal de Pernambuco - Centro de Tecnologia e Geociências (CTG) - Departamento de Engenharia Civil, Membro Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação, Membro Permanente e vice-coordenadora do Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua). Foi bolsista DTI - Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-CNPq do Projeto BEER/REHISA e Tutora a Distância em Gestão dos Recursos Hídricos no Curso Tecnologia em Gestão Ambiental pelo Programa Universidade Aberta do Brasil - UAB tendo o órgão executor o IFPE - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos, atuando principalmente nos seguintes temas: Hidrologia, sensoriamento remoto, recursos hídricos, bacia experimental e lisimetria.

Juarez Antonio da Silva Júnior, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Estudante do Curso Bacharelado em Engenharia Cartografica e Agrimensura da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Possui experiência em Sensoriamento Remoto para o monitoramento da vegetação e áreas queimadas. 

Publicado
2021-02-19
Como Citar
SILVA JUNIOR, U. J. DA; GONÇALVES, R. M.; OLIVEIRA, L. M. M. DE; SILVA JÚNIOR, J. A. DA. Sensibilidade Espectral dos Índices de Vegetação: GNDVI, NDVI e EVI na Mata Ciliar do Reservatório de Serrinha II – PE, Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, v. 73, n. 1, p. 17-35, 19 fev. 2021.
Seção
Artigos Originais