Fragmentação da Paisagem na Região Metropolitana de Aracaju-SE, Brasil

  • Gabriela Bispo Valenzuela Universidade Federal de Pernambuco
  • Rodrigo Mikosz Gonçalves Universidade Federal de Pernambuco
  • Paulo Henrique Gomes de Oliveira Sousa Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira; Instituto de Desenvolvimento Rural
  • Heithor Alexandre de Araújo Queiroz Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Fragmentação da paisagem, Ecologia da paisagem, Uso do solo, Sensoriamento Remoto

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a fragmentação da paisagem e sua evolução temporal considerando um intervalo de 25 anos (1990 e 2015) para a região metropolitana de Aracaju, Sergipe, Brasil. Como materiais foram utilizadas imagens de satélites LANDSAT 5 e 8. As imagens foram classificadas pelo método supervisionado conforme a seleção de sete classes de uso do solo, sendo elas: Floresta, Mangue, Restinga, Cultivo e/ou Pastagem, Solo Exposto, Adensamento Urbano e Corpos D’Água. A validação das classificações foi feita através da análise da matriz de confusão e do cálculo do índice Kappa. A partir desta classificação, foram calculadas sete métricas à nível de fragmento (área total da classe, porcentagem da classe na paisagem, número de fragmentos por classe, densidade de fragmentos, tamanho médio do fragmento por classe, índice de proximidade médio, distância média até o vizinho mais próximo). Os resultados obtidos indicam que a área de estudo se encontra com transformações estruturais da paisagem desde 1990 e apresenta alto grau de fragmentação das áreas de vegetação natural (Floresta, Mangue e Restinga) sendo sobrepostas por classes relacionadas ao uso antrópico, principalmente no que diz respeito ao uso urbano e às atividades agropastoris.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Bispo Valenzuela, Universidade Federal de Pernambuco
Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe (2013) e tem experiência em pesquisa nas áreas de Geomorfologia e Geoprocessamento. No início de 2016 tornou-se Especialista em Geoprocessamento pela Universidade Tiradentes. Em 2018 tornou-se Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), vinculada ao Laboratório de Cartografia Costeira (LACCOST/UFPE). Também é integrante do Grupo de Pesquisa em Geoecologia e Planejamento Territorial - GEOPLAN/ CNPq/ UFS.
Rodrigo Mikosz Gonçalves, Universidade Federal de Pernambuco
Possui graduação em Engenharia Cartográfica pela UFPR (1999), mestrado em Engenharia Elétrica e Informática Industrial pela UTFPR (2004), doutorado em Ciências Geodésicas pela UFPR (2010) com período de pesquisa no Instituto de Geodésia de Karlsruhe, KIT, Alemanha (2008-2009) e Pós-Doutorado no departamento de Ciências Espaciais, Curtin University, Austrália (2014-2015). Atualmente é professor associado I e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação da UFPE. Tem experiência em cartografia e geodésia, atuando principalmente nos seguintes temas: monitoramento costeiro, linha de costa (GNSS), vulnerabilidade à erosão costeira, gerenciamento costeiro integrado, impactos nos recursos hídricos e armazenamento total de água (GRACE).
Paulo Henrique Gomes de Oliveira Sousa, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira; Instituto de Desenvolvimento Rural
Possui graduação em Geografia Bacharelado pela Universidade Estadual do Ceará (2004), mestrado em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (2007), doutorado em Oceanografia pela Universidade de São Paulo (2013) e pós-doutorado em Oceanografia pela Universidade de São Paulo (2016). Foi Professor Visitante do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB). Tem experiência na área de Geociências. Suas pesquisas visam compreender a dinâmica ambiental e suas relações com as atividades humanas com vista a fornecer subsídios para gestão e planejamento urbano e ambiental, mitigação de impactos no meio ambiente e promover o desenvolvimento sustentável. Tem interesse em Geografia Física, Oceanografia, Geologia, Geomorfologia, Impactos Ambientais, Recursos Hídricos, Geoprocessamento e SIG, Vulnerabilidade, Mudanças Climáticas e Processos Costeiros.
Heithor Alexandre de Araújo Queiroz, Universidade Federal de Pernambuco
Possui graduação em Geoprocessamento pelo IFPB (2015) e Mestrado em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação pela UFPE (2017). Atualmente é Pesquisador PCI/DC (CNPq) do Instituto Nacional do Semiárido (INSA-MCTIC). Tem experiência na área das Geociências com ênfase à Cartografia. Atua principalmente no mapeamento e monitoramento costeiros e modelagem computacional de informações geodésicas temporais.
Publicado
2019-09-25
Como Citar
VALENZUELA, G. B.; GONÇALVES, R. M.; SOUSA, P. H. G. DE O.; QUEIROZ, H. A. DE A. Fragmentação da Paisagem na Região Metropolitana de Aracaju-SE, Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, v. 71, n. 3, p. 647-678, 25 set. 2019.
Seção
Artigos Originais