Uma Revisão sobre Sistemas de Referenciamento Linear para Cadastro Rodoviário e seu Potencial de Aplicação no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil)

  • Aline Gomes da Silva Druzina Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia, Programa de Pós-Graduação em Sensoriamento Remoto http://orcid.org/0000-0003-0962-4787
  • Sérgio Florêncio de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia, Programa de Pós-Graduação em Sensoriamento Remoto http://orcid.org/0000-0002-4720-6714
  • Felipe Geremia Nievinski Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia, Programa de Pós-Graduação em Sensoriamento Remoto http://orcid.org/0000-0002-3325-1987
Palavras-chave: SIG, SRL, Cadastro, Rodovias, Transporte

Resumo

No setor rodoviário, a atividade de cadastro e integração das informações é tarefa contínua, podendo ser realizada com a utilização de Sistemas de Referenciamento Linear (SRL) e/ou de Sistemas de Informações Geográficas (SIG). Os SRL são baseados na determinação unidimensional de um ponto desconhecido considerando uma referência, direção e distância conhecidas. Os SIG são baseados em geometrias bidimensionais e apresentam conceitos, algoritmos e modelos de dados próprios, sendo ferramentas indispensáveis no desenvolvimento dos processos de transportes. SRL e SIG são complementares tendo suas vantagens e desvantagens particulares. O desafio por décadas tem sido desenvolver práticas e modelos de dados genéricos para SRL que sejam adaptáveis, flexíveis e personalizáveis para atender a diferentes ambientes. Infelizmente, não há um consenso com relação à metodologia e padrões a serem seguidos para a integração das informações rodoviárias no Brasil. Por exemplo, muitos aspectos das normativas vigentes no âmbito da Comissão Nacional de Cartografia são diferentes das adotadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Nos EUA, diversas modelagens conceituais de dados foram propostas ao longo dos anos, comprovando uma preocupação constante na padronização e integração das informações rodoviárias. Internacionalmente, foi desenvolvida a norma ISO 19148 para SRL. Diante deste cenário e da ausência de normativas e especificações no Brasil para SRL, o presente artigo apresenta uma revisão a respeito das principais definições e modelos de dados para SRL existentes que possam ser aplicados ao sistema rodoviário. Diversos aspectos da normativa internacional são discutidos, como por exemplo métodos (absoluto – quilometragem, milhagem, etc. –, relativo, interpolativo) e elementos (curva, feição, aresta direcionada) para SRL. Um estudo de caso preliminar no âmbito do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do estado do Rio Grande do Sul também é descrito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Gomes da Silva Druzina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia, Programa de Pós-Graduação em Sensoriamento Remoto

Possui graduação em Engenharia Cartográfica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005) e mestrado em Sensoriamento Remoto pelo Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia - UFRGS (2007). Atualmente está cursando doutorado em Sensoriamento Remoto  CEPSRM - UFRGS e trabalha no Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do RS - DAER como Especialista Rodoviário - Área de Engenharia Cartográfica. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Topografia, Cartografia, Geoprocessamento e Geodésia aplicados a projetos de engenharia e transportes.

Referências

ADAMS, T. M.; KONCZ, N. A.; VONDEROHE, A. P. Guidelines for the implementation of multimodal transportation location referencing systems. Washington, D.C, EUA: National Cooperative Highway Research Program, Transportation Research Board, National Research Council, National Academic Press, 2001. 79p

BARNARD, H. Surveying in Egypt. In: Encyclopaedia of the History of Science, Technology, and Medicine in Non-Western Cultures. Springer, 2008. pp. 2067

BORGES, R. DE O.; FAZAN, A. J. A modelagem geográfica para planejamento da infraestrutura de transportes. 1a SEMANA DO PLANEJAMENTO - DNIT. Brasília, 2017. 35p

BRASIL. Lei no 10.233 de 5 de junho de 2001. Dispõe sobre a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre, cria o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários e o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes, e dá outras providências. Brasília, Diário Oficial da União, 6 de junho de 2001.

BRASIL. Decreto no 6.666 de 27 de novembro de 2008. Institui, no âmbito do Poder Executivo federal, a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais - INDE, e dá outras providências. Brasília, Diário Oficial da União, 28 de novembro de 2008.

BRASIL. Lei no 12.379 de 6 de janeiro de 2011. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Viação - SNV. Brasília, Diário Oficial da União, 7 de janeiro de 2011.

BRASIL. Lei no 12.743 de 19 de dezembro de 2012. Altera as Leis nos 10.233, de 5 de junho de 2001, e 12.404, de 4 de maio de 2011, para modificar a denominação da Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A. - ETAV para Empresa de Planejamento e Logística S.A. - EPL, e ampliar suas competências; e revoga dispositivo da Lei no 11.772, de 17 de setembro de 2008. Brasília, Diário Oficial da União, 20 de dezembro de 2012.

CONCAR. Plano de Ação para Implantação da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais - INDE. Rio de Janeiro: Comissão Nacional de Cartografia, Comitê de Planejamento da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais, 2010a. 205p.

CONCAR. ET-EDGV Versão 2.1.3: Especificação Técnica para a Estruturação de Dados Geoespaciais Vetoriais. 2.1.3 ed. Brasília: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Comissão Nacional de Cartografia, Diretoria de Serviço Geográfico do Exército Brasileiro, 2010b. 246p.

CURTIN, K. M.; NICOARA, G.; ARIFIN, R. R. A comprehensive process for linear referencing. URISA Journal, vol. 19, n. 2, 2007. pp. 41

DAER. Plano Geral Rodoviário do Estado do Rio Grande do Sul - Revisão de 1958. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, 1959. 65p.

DAER. Plano Geral Rodoviário do Estado do Rio Grande do Sul - Revisão de 1975. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, 1975. 59p.

DAER. Inventário Final e Completo das Rodovias Pavimentadas pelo DAER. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Equipe de Projetos de Pavimentação, 1977. 22p.

DAER. Revisão Antecipada do Sistema Rodoviário do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, 1990. 160p.

DAER. Execução de serviços de levantamento hodométrico e implantação de marcos de referência na malha rodoviária estadual. Relatório Técnico, Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Etel Estudos Técnicos Ltda, Porto Alegre, 1998.

DAER. Histórico dos pavimentos da malha rodoviária do Rio Grande do Sul. Relatório Técnico, Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Departamento de Programação Rodoviária, Seção de Cadastro, Porto Alegre, 2003a.

DAER. Processo Administrativo no 011999-1835/03-1 - Contrato PJ/CD/171/02 - Sistema de planejamento rodoviário integrado Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Consórcio Prodec - Transplan - Beck de Souza, Porto Alegre, 2003b.

DAER. Revisão Antecipada do Sistema Rodoviário do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, 2006. pp. 1-39

DAER. Inventário de Obras de Arte Especiais. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Departamento de Programação Rodoviária, Seção de Cadastro, 2007.

DAER. Contratos de serviços especializados para levantamentos nas rodovias pavimentadas do DAER. Porto Alegre: Secretaria dos Transportes, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Diretoria de Gestão e Projetos, Superintendência de Pesquisas Rodoviárias, 2016.

DAER. Composição da Malha Rodoviária do Rio Grande do Sul de Julho/2018. Site <http://www.daer.rs.gov.br/composicao-da-malha>, acessado em outubro de 2018.

DAL SANTO, M. A.; HUBNER, C. E.; DE OLIVEIRA, F. H. Gestão da Informação Geográfica e Cadastral no Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, vol. 67, n. 2, 2015. pp. 215

DE SOUSA NETO, J. A.; CARNEIRO, A. F. T. Modelagem do Cadastro Nacional de Imóveis Rurais

DEMIREL, H. An Integrated Approach to the Conceptual Data Modeling of an Entire Highway Agency Geographic Information System ( GIS ). Tese de doutoramento. Universidade Técnica de Berlim, Faculdade VI - Engenharia Civil e Geociências Aplicadas, Berlim, Alemanha, 2002. 131p.

DNIT. Roteiro Básico para Sistemas Rodoviários Estaduais. 2. ed. Brasília: Ministério dos Transportes, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Instituto de Pesquisas Rodoviárias, 2006. 56p.

DNIT. Sobre o DNITGeo. Site <http://www.dnit.gov.br/planejamento-e-pesquisa/dnit-geo/copy_of_dnitgeo>, acessado em agosto de 2018.

DORNELLES, M. A.; IESCHECK, A. L. Análise da aplicabilidade da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE) para dados vetoriais em escalas grandes. Boletim de Ciências Geodésicas, vol. 19, n. 4, 2013. pp. 667

DRUZINA, A. G. DA S. Mapa Interativo Rodoviário do RS. Revista Estradas, vol. 14, n. 20, 2015. pp. 69

DUEKER, K. J.; BUTLER, J. A. GIS-T enterprise data model with suggested implementation choices. Journal of the Urban and Regional Information Systems Association, vol. 10, n. 1, 1998. pp. 12

EPL. Relatório com a metodologia de elaboração da rede georreferenciada multimodal. Relatório Técnico, Empresa de Planejamento e Logística S.A, Brasília, 2014. 40p.

FHWA. ARNOLD-All Road Network of Linear Referenced Data: Task 3- LRS Components and Best Practices Report. Relatório Técnico, United States Department of Transportation, Federal Highway Administration, Applied Geographics Inc., Washington, D.C, EUA, 2014a. 59p.

FHWA. ARNOLD-All Road Network of Linear Referenced Data: Task 6- Reference Manual. Relatório Técnico, United States Department of Transportation. Federal Highway Administration. Applied Geographics Inc., Washington, D.C, EUA, 2014b. 100p.

ISAKSSON, P. Specifications for Establishing a Road Data Infrastructure. Integrating Generations - FIG Working Week, Estocolmo, Suécia, 2008. 14p.

ISO 19133: Geographic information

ISO 19148: Geographic information

ISO 19152: Geographic information - Land Administration Domain Model (LADM). International Organization for Standardization, 2012b.

KIEL, D. GEOG 497C Transportation GIS: Lesson 2 - GIS-T Concepts and Linear Referencing Systems. The Pennsylvania State University, College of Earth and Mineral Sciences, John A. Dutton e-Education Institute. Site <https://www.e-education.psu.edu/transportation/print/book/export/html/6>, acessado em julho de 2016.

LEWIS, J. S. Transportation linear referencing toolboxes

LOCH, C. Cadastro Técnico Multifinalitário: Rural e Urbano. Cambridge, Massachusetts, EUA: Lincoln Institute of Land Policy, 2007. 142p.

LOPES, C. H. R. Considerações sobre a estrutura de dados espaciais de rodovias no Brasil. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-graduação em Engenharia de Transporte e Gestão Territorial, Florianópolis, 2017. 154p.

MATEUS, D. L. S. Infraestrutura de Dados Espaciais (IDE-DNIT), Workshop Observatório Logístico de Transporte, Brasília, 2015. 16p.

MINIST

MINIST

MINIST

MTPA. Plano Estratégico de Geoinformações de Transportes

OGC 07-036: Geography Markup Language (GML) - Encoding Standard, 3.2.1 ed. Open Geospatial Consortium, Clemens Portele, 2007.

OGC 06-104r4: Implementation Standard for Geographic information - Simple feature access - Part 2: SQL option, 1.2.1 ed. Open Geospatial Consortium, John R. Herring, 2010.

OGC 10-030: Abstract Specification - Topic 19: Geographic information - Linear referencing (ISO 19148). Open Geospatial Consortium, Paul Scarponcini, 2012a.

OGC 10-129r1: Geography Markup Language (GML) - Extended schemas and encoding rules, 3.3.0 ed. Open Geospatial Consortium, Clemens Portele, 2012b.

OGC 15-111r1: Land and Infrastructure Conceptual Model Standard (LandInfra), 1.0 ed. Open Geospatial Consortium, Paul Scarponcini, 2016.

OGC. Geography Markup Language - OGC. Site <http://www.opengeospatial.org/standards/gml>, acessado em 22 maio de 2017.

OLIVEIRA, W. DE L.; QUEIROZ, F. IDE-T Infraestrutura de Dados Espaciais de Transportes. Encontro de usuários ESRI Brasil. Rio de Janeiro, 2015. Site <http://archive.img.com.br/apresentacoes_euesri/trilha_governo_federal/euesri2015_govfed_a_geoinformacao_no_setor_dos_transportes_min_dos_transportes_wagnerlima_felipequeiroz.pdf>, acessado em 21 maio de 2017

PAULSON, J. F. Surveying in Ancient Egypt. From Pharaohs to Geoinformatics - FIG Working Week and GSDI-8. Cairo, Egito, 2005. 12p.

RIO GRANDE DO SUL. Lei no 750 de 11 de agosto de 1937. Cria o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem diretamente subordinada à Secretaria de Estado dos Negócios das Obras Públicas e determina outras providências. Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, 11 de agosto de 1937.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto no 47.199 de 27 de abril de 2010. Dispõe sobre o Regulamento do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem

SCARPONCINI, P. Generalized Model for Linear Referencing in Transportation. GeoInformatica, vol. 6, n. 1, 2002, pp. 35

SCARPONCINI, P. ISO 19133 Tracking and Navigation Standard: 6.6 Linear Reference System Standard. Transportation Research Record: Journal of the Transportation Research Board, vol. 1935, 2005, pp. 77

SIMMONS, S. Pedido de acesso a OGC 10-030, Abstract Specification Topic 19: Geographic information - Linear referencing. [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 11 de agosto de 2016.

VONDEROHE, A.; HEPWORTH, T. A Methodology for Design of a Linear Referencing System for Surface Transportation. Albuquerque, New Mexico: Sandia National Laboratories, 1997. 79p.

Publicado
2019-12-13
Como Citar
DRUZINA, A. G. DA S.; SOUZA, S. F. DE; NIEVINSKI, F. G. Uma Revisão sobre Sistemas de Referenciamento Linear para Cadastro Rodoviário e seu Potencial de Aplicação no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil). Revista Brasileira de Cartografia, v. 71, n. 4, p. 1156-1192, 13 dez. 2019.
Seção
Artigos de Revisão