Amanhecer em extensão

prevenção e controle da anemia gestacional na atenção primária em saúde da cidade de Belém, Pará

  • Marcello José Ferreira Silva Universidade Federal do Pará
  • Nilson Dias Brabo Neto Universidade Federal do Pará
  • Luiz Wanderley Fontel dos Reis Junior Universidade Federal do Pará
  • Marden Cravo de Oliveira Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Educação médica, Relações comunidade-instituição, Anemia, Gravidez, Pré-natal

Resumo

A promoção de saúde consiste em uma série de ações as quais almejam a educação, conscientização e prevenção de doenças. Neste conjunto, a educação em saúde se demonstra como um fator imprescindível para a formação não somente do estudante, mas para toda a comunidade em que ele se insere. Os desafios da aplicação dessa educação margeiam toda a conjuntura socioeconômica e cultural da população alvo e, nesse sentido, a extensão acadêmica cumpre o papel de ponte de saberes entre a universidade e a sociedade. Realizada ao longo de um ano, promoveu-se em distritos específicos da cidade de Belém, capital do Pará, um projeto extensionista com o objetivo de sensibilizar a população sobre a anemia gestacional, doença altamente prevalente em todo mundo, afetando mais de 40% das gestantes em território nacional. Foram realizadas palestras e gincanas pautadas na metodologia peer education, a fim de permitir uma transmissão horizontal do conhecimento, sem sobreposições de classes sociais ou intelectuais. As gestantes participantes, cientes das adversidades nas quais estavam inseridas foram educadas a como manejar a necessidade da nutrição combinando estratégias de dieta rica em verduras e frutas das feiras da vizinhança, bem como a importância do pré-natal, efetivamente conscientizando esta população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcello José Ferreira Silva, Universidade Federal do Pará

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Pará, Brasil.

Nilson Dias Brabo Neto, Universidade Federal do Pará

Graduando em Medicina na Universidade Federal do Pará, Brasil.

Luiz Wanderley Fontel dos Reis Junior, Universidade Federal do Pará

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Pará, Brasil.

Marden Cravo de Oliveira, Universidade Federal do Pará

Graduando em Medicina na Universidade Federal do Pará, Brasil.

Referências

BOEHS, A. et al. A interface necessária entre enfermagem, educação e saúde e o conceito de cultura. Texto contexto: enferm, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 307-314, abr.-jun. 2007. Doi: 10.1590/S0104-07072007000200014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: MS, 2012.

CANDEIAS, N. Conceitos de educação e de promoção em saúde: mudanças individuais e mudanças organizacionais. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 209-213, 1997. Doi: 10.1590/S0034-89101997000200016.

DEL GIGLIO, A; KALIKS, R. Princípios de hematologia clínica. Rio de Janeiro: Manole, 2007.

DEL RIO, V; OLIVEIRA, L. (org.). Percepção ambiental: a experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel, 1996.

DUARTE, C.; PAIXÃO, A. A importância da abordagem da educação em saúde: revisão de literatura. Revasf, Petrolina, v. 6, n. 11, p. 80-90, dez. 2016.

FIGUEIREDO, C. et al. Suplementação de sulfato ferroso na gestação e anemia gestacional: uma revisão da literatura. Arq. Catarin Med., v. 47, n. 1, p. 198-206, jan.-mar. 2018.

FOLEY, B. C. et al. Evaluation of a peer education program on student leaders’ energy balance-related behaviors. BMC Public Health, v. 17, n. 1, p. 695, 2017. Doi: 10.1186/s12889-017-4707-8.

GAZZINELLI, M; GAZINELLI, A; REIS, D; PENNA, C. Educação em saúde: conhecimentos, representações sociais e experiências da doença. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 200-206, jan.-fev. 2005. Doi: 10.1590/S0102-311X2005000100022.

GUERRA, E. et al. Prevalência de anemia em gestantes de primeira consulta em centros de saúde de área metropolitana, Brasil. Rev. Saúde Públ., São Paulo, v. 24, n. 5, p. 380-386, 1990. Doi: 10.1590/S0034-89101990000500005.

LOPES, M.; FERREIRA, L.; BATISTA, M. Uso diário e semanal de sulfato ferroso no tratamento de anemia em mulheres no período reprodutivo. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, p. 799-808, 1999. Doi: 10.1590/S0102-311X1999000400014.

MAGALHÃES, E. et al. Prevalência de anemia e determinantes da concentração de hemoglobina em gestantes. Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, v. 6, n. 4, p. 384-390, oct.-dez. 2018. Doi: 10.1590/1414-462x201800040085.

MONTEIRO, M. R. Promoção da Saúde: Recurso Hídrico, Educação, Saúde e Meio Ambiente para a prática da cidadania no interior do Amazonas. Sustinere, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 5-28, 2017. Doi: 10.12957/sustinere.2017.27825

PAULA, W. K. A. S; GOMES, E. A. S.; SILVA, I. C. Prevalência de anemia em gestantes acompanhadas nas unidades básicas de saúde do município de Caruaru-PE. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 415-426, 2016. Doi: 10.12957/demetra.2016.17431.

RODRIGUES, L. P.; JORGE, S. R. P. F. Deficiência de ferro na gestação, parto e puerpério. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., São Paulo, v. 32, suppl. 2, p. 53-56, 2010. Doi: 10.1590/S1516-84842010005000057.

SHARMA, M. Theoretical foundations of health education and health promotion. 3. ed. Massachusettes: Jones & Bartlett Publishers, 2016.

SOUZA, A; FILHO, M. Diagnóstico e tratamento de anemias carenciais na gestação: consensos e controversas. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, v. 3, n. 4, p. 473-479, dez. 2006. Doi: 10.1590/S1519-38292003000400012.

UNICEF. Preventing iron deficiency in women and children: technical consensus on key issues. Boston: International Nutrition Foundation, 1999.

VITOLO, M. R.; BOSCAINI, C.; BORTOLINI, G. A. Baixa escolaridade como fator limitante para o combate à anemia entre gestantes. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., São Paulo, v. 28, n. 6, p. 331-339, 2006. Doi: 10.1590/S0100-72032006000600003.

WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. Aide-memoire for national blood programmes. 2002. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/67384. Acesso em: 10 jan. 2019.

WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Ottawa charter for health promotion. Ottawa Canadá: WHO, 1986. Disponível em: https://www.who.int/healthpromotion/conferences/previous/ottawa/en/. Acesso em: 10 jan. 2019.

WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Worldwide prevalence of anaemia 1993 2005: Who global database on anaemia. Geneva: WHO, 2008. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/43894/9789241596657_eng.pdf. Acesso em: 10 fev. 2019.

ZUGAIB, M. et al. Zugaib obstetrícia. 2. ed. Barueri, SP: Manole, 2012.

Publicado
2020-01-22
Como Citar
SILVA, M. J. F.; NETO, N. D. B.; FONTEL DOS REIS JUNIOR, L. W.; CRAVO DE OLIVEIRA, M. Amanhecer em extensão. Revista Em Extensão, v. 18, n. 2, p. 104-113, 22 jan. 2020.
Seção
Relatos de Experiência