Projeto Corpo e(m) Movimento

improvisação em dança em uma escola da rede estadual de ensino em Uberlândia, Minas Gerais

Palavras-chave: Dança, Improvisação, Escola

Resumo

Este relato busca demonstrar a importância de um processo educacional de/em/na dança para o desenvolvimento das crianças como indivíduos. Pretende também apontar a dificuldade de acesso a esse tipo de atividade por pessoas de baixa renda e da periferia, ressaltando a importância de projetos que viabilizem a educação pela arte a algumas minorias. Discorre sobre procedimentos de ensino-aprendizagem em dança, mais especificamente sobre improvisação em dança no primeiro ciclo da educação infantil, procurando compreender como o modo de condução das experiências potencializa a construção de conhecimento e a criatividade da criança. Também ressaltamos a importância de se repensar determinados conceitos e pré-conceitos para tornar o estudo da dança acessível à criança, em um momento tão importante do processo de desenvolvimento do indivíduo, como o período da infância. O relato tem como base as atividades do Projeto Corpo e(m) Movimento, realizado em uma escola da rede estadual de ensino em Uberlândia, Minas Gerais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Bernardes de Andrade Gomes, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Dança na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; bolsista do Programa de Extensão Integração UFU/Comunidade (PEIC).

Patrícia Chavarelli Vilela da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Mestre em Artes Visuais pela Universidad Internacional Tres Fronteras, Cidade de Leste, Paraguay; professora do Instituto de Artes da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Referências

BALDUINO, G.; CUNHA, M. Brinca você, brincamos nós: imaginação infantil e escola de ensino fundamental. Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 8 n. 2, p. 1-17, 2013.

BARLILI, D.; CINTRA, R. C. G. G. Dança na educação infantil: uma estratégia pedagógica para uma educação sustentável. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (EDUCERE), 11., Curitiba, 2013. Anais [...]. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2013/13432_6725.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

BERTAZZO, I. Cérebro ativo. São Paulo: Manole, 2012.

GIRARDELLO, G. Imaginação: arte e ciência na infância. Pró-posições, Campinas, v. 22, n. 2, p. 75-92, 2011. Doi: 10.1590/S0103-73072011000200007.

MARQUES, I. A. Dançando na escola. Motriz, Rio Claro, v. 3, n. 2, p. 20-27, 1997.

STRAZZACAPPA, M. A educação e a fábrica de corpos: a dança na escola. Cadernos CADES, Campinas, v. 21, n. 53, p. 69-83, 2001. Doi: 10.1590/S0101-32622001000100005.

VILLAS BOAS, P. A improvisação em dança: um diálogo entre a criança e o artista professor. 2012. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

Publicado
2020-01-22
Como Citar
GOMES, L. B. DE A.; SILVA, P. C. V. DA. Projeto Corpo e(m) Movimento. Revista Em Extensão, v. 18, n. 2, p. 186-199, 22 jan. 2020.
Seção
Relatos de Experiência