Oficinas educativas/reflexivas e a interface com saúde e o meio ambiente

  • Allane Tenório Brandão da Silva Nascimento Universidade Federal de Pernambuco
  • Iris Fátima Santos Universidade Federal de Pernambuco
  • José Ronaldo Vasconcelos Nunes Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Atenção básica, Idosos, Meio Ambiente, Oficinas.

Resumo

Este relato de experiência aborda as oficinas reflexivas/educativas desenvolvidas no projeto “A interface entre a Rede de Atenção Básica e meio ambiente”, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Centro Acadêmico de Vitória, que teve como público alvo um grupo de idosos, moradores do bairro Maués, localizado na cidade de Vitória de Santo Antão, interior pernambucano. Participaram do grupo, 20 idosos de ambos os sexos. Foram realizadas três oficinas grupais de educação ambiental, envolvendo as temáticas: “Destino do lixo”, “Animais peçonhentos” e “Reciclagem e Arboviroses”, no período entre abril de 2017 e janeiro de 2018. Foram levantadas entre os idosos as principais dúvidas sobre os temas abordados, esclarecidas, no decorrer das oficinas, com utilização de estratégia participativa, associada a recursos dinâmicos. As oficinas mostraram uma estratégia eficiente de sensibilização sobre o tema “Meio Ambiente e Saúde”. Promoveu-se a reflexão sobre os problemas ambientais do cotidiano daquela comunidade e estimulou-se a comunidade a assumir um papel importante no seu autocuidado e cuidado com o meio ambiente. Estimularam-se as ações de reciclagem, de cuidados com sua produção de resíduos, bem como a importância do fortalecimento do controle social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Allane Tenório Brandão da Silva Nascimento, Universidade Federal de Pernambuco

Graduanda em Saúde Coletiva na Universidade Federal de Pernambuco, Brasil

Iris Fátima Santos, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada em Saúde Coletiva na Universidade Federal de Pernambuco, Brasil

José Ronaldo Vasconcelos Nunes, Universidade Federal de Pernambuco

Doutorando em Educação na Universidade Federal de Pernambuco, Brasil; professor assistente do curso de Bacharelado em Saúde Coletiva na mesma instituição e membro dos Grupos de Pesquisa Economia Política da Saúde (GPEPS) e Educação e Sociedade

Referências

BARCELLOS, C.; QUITERIO, L. A. D. Vigilância ambiental em saúde e sua implantação no sistema único de saúde. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 40, n.1, p.170-177, 2006. Doi: 10.1590/S0034-89102006000100025.

BELTRAME, V.; D’AGOSTINI, F. M. Acidentes com animais peçonhentos e venenosos em idosos registrados em municípios do estado de Santa Catarina, Brasil. RBCEH, Passo Fundo, v. 14, n. 3, p. 265-274, set./dez. 2017. Doi: 10.5335/rbceh.v14i3.6769.

BRASIL. Caderno de Educação Popular e Saúde. 2007. Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_educacao_popular_saude_p1.pdf. Acesso em: 14 ago. 2018.

CABRAL, J.R. et al. Oficinas de educação em saúde com idosos: uma estratégia de promoção da qualidade de vida. Revista Enfermagem Digital Cuidado e Promoção da Saúde, v. 1, n 2-4, p. 71-75, jul./dez. 2015. Doi: 1590/1413-81232015206.02382014.

COELHO, M. O.; JORGE, M. S. B. Tecnologia das relações como dispositivo do atendimento humanizado na atenção básica à saúde na perspectiva do acesso, do acolhimento e do vínculo. Ciência& Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.14, suppl.1, p. 1.523-1.531, 2009.

Doi: 10.1590/S1413-81232009000800026.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1992. 336 p.

GUERRERO, P. et al. O acolhimento como boa prática na atenção básica à saúde. Texto & Contexto Enferm, Florianópolis, v. 22, n. 1, p. 132-140, jan./mar. 2013. Doi: 10.1590/S0104-07072013000100016.

QUANDT, F. L. et al. Saúde Ambiental e atenção à saúde: construção e ressignificação de referências. Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p. 150-157, 2014. Doi: 10.1590/1414-462X201400020007.

LOPES, N.; LINHARES, R. E. C.; NOZAWA, C. Características gerais e epidemiologia dos arbovírus emergentes no Brasil. Revista Pan-Amaz Saude, Ananindeua, v. 5, n. 3, p. 55-64. 2014.

LOMASSO, A. L. et al. Benefícios e desafios na implementação da reciclagem: um estudo de caso no centro mineiro de referência em resíduos (CMRR). Revista Pensar Gestão e Administração, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, jan. 2015.

MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. Lixo perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 20, n. 1, p. 111-124, jun. 2008.

PARISE, E. V. Vigilância e monitoramento dos acidentes por animais peçonhentos no município de Palmas, Tocantins, Brasil. Hygeia, Uberlândia, v. 12, n. 22, p. 72-87, jun. 2016.

Publicado
2019-09-18
Como Citar
NASCIMENTO, A. T. B. DA S.; SANTOS, I. F.; NUNES, J. R. V. Oficinas educativas/reflexivas e a interface com saúde e o meio ambiente. Em Extensão, v. 18, n. 1, p. 134-144, 18 set. 2019.
Seção
Relatos de Experiência