Mapeamento ambiental como ferramenta de localização de riscos à saúde

  • Valdecir Barbosa da Silva Júnior Universidade Federal de Pernambuco
  • Maria Tatiane Alves da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Jorgiana de Oliveira Mangueira Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Mapeamento Geográfico, Meio Ambiente, Saúde Ambiental.

Resumo

Este texto apresenta o relato de experiência sobre o mapeamento ambiental em saúde vinculado ao projeto de extensão “Interface entre Meio Ambiente e a Rede de Atenção Básica à Saúde” que foi desenvolvido entre os meses de abril e dezembro de 2017. Para o desenvolvimento do projeto foi selecionado o Bairro Maués do município de Vitória de Santo Antão, Pernambuco, que apresentava vários problemas ambientais. Os riscos à saúde, decorrentes do meio ambiente, foram localizados e fotografados a partir das visitas ao território. Esses dados foram a base para o mapeamento ambiental do território, utilizando-se a ferramenta Google Earth. Foram identificados problemas ambientais, como esgotos sem saneamento, acúmulo de resíduos sólidos, terrenos baldios, matadouro clandestino e moradias inadequadas, apenas nas áreas periféricas do bairro. Os riscos estão intimamente relacionados à ocorrência de diversas doenças infecciosas e parasitárias. A identificação clara desses problemas foi possível devido à utilização da ferramenta de mapeamento, demonstrando a importância dessa técnica na análise dos problemas ambientais e de saúde e na tomada de decisão, a fim de melhorar a qualidade de vida da população do território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdecir Barbosa da Silva Júnior, Universidade Federal de Pernambuco

Graduando em Saúde Coletiva na Universidade Federal de Pernambuco, Brasil

Maria Tatiane Alves da Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Graduanda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Pernambuco, Brasil

Jorgiana de Oliveira Mangueira, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Saúde Coletiva pelo Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães/ FIOCRUZ-Pernambuco, Brasil; professora no Curso de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Pernambuco, Campus de Vitória de Santo Antão, Brasil 

Referências

ARAÚJO, P. R. Evolução da mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias. 2015. 60 f. Dissertação (Mestrado), Fundação Oswaldo Cruz, Teresina, 2015.

BATALHA, E. Geografia da saúde: contexto é dimensão essencial das políticas e ações de saúde. RADIS, Rio de Janeiro, n. 138, p. 10-13, mar. 2014.

BRUGGER, P. Educação ou adestramento ambiental? Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1994. 142 p.

CARVALHO, A. I. de. Determinantes sociais, econômicos e ambientais da saúde. In: Fundação Oswaldo Cruz (Org.). A saúde no Brasil em 2030 - prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro: população e perfil sanitário. Rio de Janeiro: Fiocruz; Ipea; MS, 2013. p. 19-38.

FERREIRA, D.; FERREIRA, F. L. A. Teniase e Cisticercose. PUBVET, Maringá, v.11, n.2, p.154-158, fev. 2017. Doi: 10.22256/pubvet.v11n2.154-158.

GONÇALVES, N. V. et al. Distribuição espaço-temporal da leptospirose e fatores de risco em Belém, Pará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 12, p. 3.947-3.955, 2016. Doi: 10.1590/1413-812320152112.07022016.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasil, Pernambuco, Vitória de Santo Antão. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/vitoria-de-santo-antao/panorama>. Acesso em: 28 out. 2018.

MARTINS, L. J.; SEABRA, V. da S.; CARVALHO, V. S. G. de. O uso do Google Earth como ferramenta no ensino básico da Geografia. SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, FOZ DO IGUAÇU, 16., 2013, Foz do Iguaçu. Anais [...] Foz do Iguaçu: IPEA, 2013.

MONTEIRO, M. R. Promoção da saúde: recurso hídrico, educação, saúde e meio ambiente para a prática da cidadania no interior do Amazonas. Revista SUSTINERE, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 5-23, jan.-jun. 2017. Doi: 10.12957/sustinere.2017.27825.

RIBEIRO, N. A. S; TELLES, E. O.; BALIAN, S. de C. O complexo teníase humana-cisticercose: ainda um sério problema de saúde pública. MV&Z, São Paulo, v. 10, n. 1, 2012.

SANTOS, T. C. C.; CÂMARA, J. B. D. GEO Brasil 2002: perspectivas do meio ambiente no Brasil. Brasília: Edições IBAMA, 2002. 440 p.

SANTOS, M. O espaço da cidadania e outras reflexões. Porto Alegre: Fundação Ulysses Guimarães, 2011. 205 p.

SOUZA, P. D. F. B.; SANTOS, D. B. Percepção de alunos sobre a relação saúde e meio ambiente. Carpe Diem, Natal, v. 14, n. 1, 2016. Disponível em: https://periodicos.unifacex.com.br/revista/article/view/697. Acesso em: 28 out. 2018.

ZARA, A. L. de S. A. et al. Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 25, n. 2, p. 391-404, abr.-jun. 2016. Doi: 10.5123/s1679-49742016000200017.

Publicado
2019-09-18
Como Citar
SILVA JÚNIOR, V. B. DA; SILVA, M. T. A. DA; MANGUEIRA, J. DE O. Mapeamento ambiental como ferramenta de localização de riscos à saúde. Revista Em Extensão, v. 18, n. 1, p. 122-133, 18 set. 2019.
Seção
Relatos de Experiência