Rastreamento da pressão arterial em uma cidade do interior de Minas Gerais

um relato de experiência

  • Willian Alves Fonseca Universidade Federal de Uberlândia
  • Patricia Magnabosco Universidade Federal de Uberlândia
  • Omar Pereira Almeida Neto Universidade Federal de Uberlândia
  • Valéria Nasser Figueiredo Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: pressão arterial, doença cardiovascular, educação em saúde

Resumo

Este relato tem como objetivo descrever a experiência e a importância de um projeto de extensão desenvolvido por alunos e professores da Universidade Federal de Uberlândia em parceira com o Programa de Rastreamento da Pressão Arterial no Brasil em outubro de 2016. Relata como foram desenvolvidas as atividades de rastreamento, orientação e educação em saúde cardiovascular para a população local. Descreve o local da intervenção e quais instrumentos utilizados para a realização das ações para rastreamento dos valores pressóricos além dos materiais para intervenção e educação em saúde. Como resultados, obtivemos os valores da pressão arterial da população e suas características sociodemográficas e clínicas. Concluímos a importância da continuidade de realização e apoio em pesquisas para o desenvolvimento de diretrizes para o rastreamento da pressão arterial com intuito de minimizar seus agravos e complicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willian Alves Fonseca, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando em Enfermagem (Bacharelado e Licenciatura) na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Patricia Magnabosco, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo, Brasil; professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

Omar Pereira Almeida Neto, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Atenção à Saúde pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, Brasil; professor na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais.

Valéria Nasser Figueiredo, Universidade Federal de Uberlândia

Pós-Doutora em Ciências Médicas pela Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Brasil; professora da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

Referências

ANDRADE, S. S. de A. et al. Prevalência de hipertensão arterial autorreferida na população brasileira: análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 24, n. 2, p. 297-304, jun. 2015. doi: 10.5123/S1679- 49742015000200012.

ARRUDA, G. O. et al. Association between self-reported health and sociodemographic characteristics with cardiovascular diseases in adults. Revista da Escola de Enfermagem da Usp, São Paulo, v. 49, n. 1, p.61-68, fev. 2015. Doi: 10.1590/S0080-131623420150000100008.

BEEVERS, G.; LIP, G. Y. H.; O’BRIEN, E. ABC of hypertension: blood pressure measurement: Part II - Conventional sphygmomanometry: technique of auscultatory blood pressure measurement. BMJ: British Medical Journal, v. 322, n. 7.293, p. 1.043-1.047, April 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Brasília. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?hiperdia/cnv/hdmg.def. Acesso em: 20 jun. 2018.

CARVALHO, C. A. et al. Associação entre fatores de risco cardiovascular e indicadores antropométricos de obesidade em universitários de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p.479-490, fev. 2015. doi: 10.1590/1413-81232015202.02342014.

DANIEL, A. C. Q. G; VEIGA, E. V. Fatores que interferem na adesão terapêutica medicamentosa em hipertensos. Einstein, Ribeirão Preto, v. 11, n. 3, p. 331-337, set. 2013. doi: 10.1590/ S1679-45082013000300012.

ESTACIO, R. O. et al. Effect of blood pressure control on diabetic microvascular complications in patients with hypertension and type 2 diabetes. Diabetes care, v. 23, n. 2, p. 54-64, 2000. doi: 10.1046/j.1523-1755.2002.00213.x.

FERES, F. et al. Diretriz da sociedade brasileira de cardiologia e da sociedade brasileira de hemodinâmica e cardiologia intervencionista sobre intervenção coronária percutânea. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 109, n. 1, p. 1-81, 2017. doi: 10.5935/abc.20170111.

JARDIM, P. C. B. V. et al. I RBH – First Brazilian Hypertension Registry. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 93-98, 2016. doi: 10.5935/abc.20160120.

LOBO, L. A. C. et al. Tendência temporal da prevalência de hipertensão arterial sistêmica no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 33, n. 6, p.1-13, jul. 2017. doi: 10.1590/0102-311x00035316.

MACHADO, J. C. et al. Análise de três estratégias de educação em saúde para portadores de hipertensão arterial. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 611-620, fev. 2016. doi: 10.1590/1413-81232015212.20112014.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderno de Atenção Primária. n. 29, Brasília: MS, 2010.

PASSOS, V. M. de A.; ASSIS, T. D.; BARRETO, S. M. Hipertensão arterial no Brasil: estimativa de prevalência a partir de estudos de base populacional. Epidemiologia e serviços de Saúde, Brasília, v. 15, n. 1, p. 35-45, 2006. doi: 10.5123/S1679-49742006000100003.

RADOVANOVIC, C. A. T. et al. Intervenção multiprofissional em adultos com hipertensão arterial: ensaio clínico randomizado. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 69, n. 6, p. 1.067-1.073, 2016. doi10.1590/0034-7167-2016-0320.

SCHRIER, R. W. et al. Effects of aggressive blood pressure control in normotensive type 2 diabetic patients on albuminuria, retinopathy and strokes. Kidney international, v. 61, n. 3, p. 1.086-1.097, 2002. Doi: 10.1046/j.1523-1755.2002.00213.x

TEIXEIRA, J. de F. et al. Hypertensives’ knowledge about high-sodium foods and their behavior. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 106, n. 5, p. 404-410, 2016. doi: 10.5935/ abc.20160049.

TOLEDO, M. M.; RODRIGUES, S. de C.; CHIESA, A. M. Educação em saúde no enfrentamento da hipertensão arterial: uma nova ótica para um velho problema. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 233-8, 2007. doi: 10.1590/S0104-07072007000200004.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Resolução nº 04/2009 do Conselho Universitário. Disponível em: http://www.reitoria.ufu.br/Resolucoes/ataCONSUN-2009-4.pdf. Acesso em: 9 jul. 2018.

Publicado
2019-02-17
Como Citar
FONSECA, W. A.; MAGNABOSCO, P.; NETO, O. P. A.; FIGUEIREDO, V. N. Rastreamento da pressão arterial em uma cidade do interior de Minas Gerais. Revista Em Extensão, v. 17, n. 2, p. 123-132, 17 fev. 2019.
Seção
Relatos de Experiência