Gincana Popneuro instrumento de ação extensionista para divulgação e popularização da neurociência

instrumento de ação extensionista para divulgação e popularização da neurociência

  • Lucas Nunes de Castro Universidade Federal de Pelotas
  • Franciele Dorneles Casarotto Universidade Federal do Pampa
  • Liane da Silva de Vargas Universidade Federal do Pampa
  • Pâmela Billig Mello-Carpes Universidade Federal do Pampa

Resumo

Os avanços da neurociência na área da educação têm contribuído para modificar o cenário do ensino-aprendizagem entre alunos e professores. O ensino de assuntos que relacionam o sistema nervoso com o cotidiano vivenciado desperta nos alunos um maior interesse e motivação sobre essa ciência. Esse trabalho relata uma ação do programa de extensão POPNEURO, realizada em 2015, que teve por objetivo disseminar e popularizar a neurociência, divulgando o conhecimento científico por meio de abordagens lúdicas, proporcionando uma descontração no momento da aprendizagem. A gincana POPNEURO, elaborada pelos membros do programa, foi realizada em quatro escolas no município de Uruguaiana-RS, com alunos entre 10 e 13 anos de idade. As atividades abordaram assuntos explanados nas ações em sala de aula e contaram com seis tarefas recreativas. Os resultados se mostraram satisfatórios, visto que a forma de atividade lúdica despertou o interesse dos alunos sobre neurociência, tornando-se um instrumento de ensino facilitador, além de promover a popularização da neurociência no âmbito escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Nunes de Castro, Universidade Federal de Pelotas

Graduando em Odontologia na Universidade Federal de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Franciele Dorneles Casarotto, Universidade Federal do Pampa

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Federal do Pampa, Campus Uruguaina, Rio Grande do Sul, Brasil.

Liane da Silva de Vargas, Universidade Federal do Pampa

Doutoranda em Ciências Biológicas (Fisiologia) na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil; professora adjunta da Universidade Federal do Pampa, Rio Grande do Sul

Pâmela Billig Mello-Carpes, Universidade Federal do Pampa

Doutora em Ciências Biológicas (Fisiologia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil; professora associada da Universidade Federal do Pampa, Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

ALVARENGA S. P. Contribuição da neurociência no processo de ensino-aprendizagem em alunos com paralisia cerebral. 2012. 39 f. Monografia de Conclusão de Curso (Especialização) – Faculdade Integrada, Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Caderno de Educação Popular e Saúde, Brasília: MS, 2007. 160 p.

BURMESTER, A. Gincana estudantil de integração do IFSC Canoinhas. Caminho aberto, Florianópolis, Ano 2, n. 2, jan-jun. 2015. Disponível em: http://periodicos.ifsc.edu.br/index.php/caminhoaberto/article/view/1577. Acesso em: 15 maio 2018.

DALLABONA, S. R.; MENDES S. M. S. O lúdico na educação infantil. Rev. Divulg. Téc.-Cient. ICPG, Florianópolis, v. 1, n. 4, p. 107-112, jan./mar., 2004. Disponível em: https://conteudopedagogico.files.wordpress.com/2011/02/o-ldico-na-educao-infantil.pdf. Acesso em: 15 maio 2018.

DAS, J. P.; KAR, B. C.; PARRILA, R. K. Cognitive Planning: the psychological basis of intelligent behavior. New Delhi: Sage Publications, 1996. 202 p.

DAVOGLIO, R. S. et al. Extensão universitária: uma experiência positiva de educação em saúde no assentamento Luiz Nunes, Casa Nova-BA. Extramuros, Petrolina, v. 3, n. 1, 2015. Disponível em: http://www.periodicos2.univasf.edu.br/index.php/extramuros/article/viewArticle/661. Acesso em: 15 maio 2018.

DEMARZO, M. M. P.; AQUILANTE, A. G. Saúde escolar e escolas promotoras de saúde. In: Programa de Atualização em Medicina de Família e Comunidade. v. 3. Porto Alegre, RS: Artmed; Pan- Americana, 2008. p. 49-76.

ESPÍNDOLA, R. A. et al. O lúdico no processo ensino e aprendizagem. In: CONGRESSO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UEG – CEPE, 1., 2014, Pirenópolis. Anais... Pirenópolis: UFG, v. 1, 2014. p. 1-9. Disponível em: http://www.anais.ueg.br/index.php/cepe/article/view/9566/6677. Acesso em: 30 mar. 2018.

FADEL, C. B.; ALVES, F. B. T.; FILLUS, T. M. Gincana intelectual: instrumento de ação extensionista para educação em saúde. Em Extensão, Uberlândia, v. 14, n. 1, p. 106-115, 2015. Doi: 10.14393/REE_v14n12015_rel02.

FILIPIN, G. et al. Neuroblitz: uma proposta de divulgação da neurociência na escola. Revista Ciência em Extensão, São Paulo, v. 10, p. 69-76, 2014. Disponível em: http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/article/view/1098. Acesso em: 10 abr. 2018.

FILIPIN, G. et al. Despertando a curiosidade de escolares sobre o cérebro por meio de visitas semanais de estudantes de neurociência à escola. Revista de Ensino de Bioquímica, São Paulo, v. 13, n. 3, p. 100-112, 2015. Doi: 10.16923/reb.v13i2.553.

FONSECA, V. da. Importância das emoções na aprendizagem: uma abordagem neuropsicopedagógica. Rev. psicopedag., São Paulo , v. 33, n. 102, p. 365-384, 2016. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862016000300014. Acesso em: 10 abr. 2018.

LORBIESKI, R.; RODRIGUES, L. S. S.; D’ARCE, L. P. G. Trilha meiótica: o jogo da meiose e das segregações cromossômica e alélica. Genética na Escola, Ribeirão Preto, v. 5, n. 1, p. 25- 33, 2010. Disponível em: http://docs.wixstatic.com/ugd/b703be_927bc61a068946669405feebcc34e2e1.pdf. Acesso em: 10 abr. 2018.

LURIA, A. R. Fundamentos de neuropsicologia. Tradução de Ricardo Juarez Aranha. São Paulo: EDUSP, 1981. 346 p.

ORTEGA, F. Neurociências, neurocultura e autoajuda cerebral. Interface, Botucatu, v. 13, n. 31, p. 247-260, out.-dez. 2009. Doi: 10.1590/S1414-32832009000400002.

RIBEIRO, K. S. Q. S. A experiência na extensão popular e a formação acadêmica em fisioterapia. Caderno CEDES, Campinas, v. 29, n. 79, set.-dez., 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v29n79/04.pdf. Acesso em: 12 abr. 2018.

RIZZI, L.; HAYDT, R. C. Atividades lúdicas na educação da criança. 7. ed. São Paulo: Ática, 2004. 94 p.

RODRIGUES, N. Educação: da formação humana à construção do sujeito ético. Educ. Soc. [online], Campinas, ano XXII, n. 76, p. 232-257, out. 2001. Doi: 10.1590/S0101- 73302001000300013.

SCHMITT, F. E. et al. Gincana recreativa: uma atividade para estimular o conhecimento. Destaques Acadêmicos, Lajeado, v. 3, n. 4, p. 55-61, 2011. Disponível em: http://www.univates.br/revistas/index.php/destaques/article/view/127. Acesso em: 10 maio 2018.

SILVA, T. R. O lúdico no ensino de Ciências da Natureza: Gincana Água e Energia. Revista Fluminense de Extensão Universitária, Vassouras, v. 7 n. 1, p. 3-7, jan.-jun. 2017. Disponível em: http://editora.universidadedevassouras.edu.br/index.php/RFEU/article/ view/629. Acesso em: 12 maio 2018.

Publicado
2019-02-17
Como Citar
CASTRO, L. N. DE; CASAROTTO, F. D.; VARGAS, L. DA S. DE; MELLO-CARPES, P. B. Gincana Popneuro instrumento de ação extensionista para divulgação e popularização da neurociência. Revista Em Extensão, v. 17, n. 2, p. 157-170, 17 fev. 2019.
Seção
Relatos de Experiência