Meio ambiente: a extensão na Operação Forte dos Reis Magos do Projeto Rondon em Acari, Rio Grande do Norte

Resumo

Na sociedade atual, é fundamental o debate acerca do meio ambiente. Assim, as perspectivas acadêmicas e científicas se expandem pela extensão universitária, gerando, inclusive, novos pressupostos e resultados. Diante disso, uma das oficinas do Projeto Rondon, Operação Forte dos Reis Magos 2016, no município de Acari, Rio Grande do Norte, foi a de meio ambiente, que ocorreu no ensino infantil, ensino fundamental, ensino médio e na capacitação docente, alcançando os professores, alunos e a sociedade local. As oficinas buscaram conscientizar, problematizar e capacitar sobre o meio ambiente associado à  sociedade local e suas preocupações. Para isso, trabalhou-se com levantamento bibliográfico acerca da extensão universitária e do meio ambiente, que alicerçou a construção do material apostilado utilizado na aplicação das oficinas. Este texto tem como objetivo principal apresentar a experiência com essas oficinas em uma atividade de extensão no interior do Rio Grande do Norte. Os procedimentos metodológicos foram: levantamento bibliográfico, realização das oficinas de extensão e sistematização dos resultados. Os principais resultados foram quanto à  conscientização acerca do meio ambiente, visto que a realidade na qual o município está inserido se relaciona diretamente com a questão ambiental, sobretudo acerca do acesso à água e sobre a vegetação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Carnevalli Fernandes, Universidade Estadual do Norte do Paraná

Doutor em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá, Paraná, Brasil; professor da Universidade Estadual do Norte do Paraná, Campus Cornélio Procópio, Paraná, Brasil.

Luan Vitor Alves de Lima, Universidade Estadual de Londrina

Mestrando em Genética pela Universidade Estadual de Londrina, Paraná, Brasil.

Referências

PREFEITURA MUNICIPAL DE ACARI. História e contexto atual. 2018. Disponível em: http://www.acari.rn.gov.br/178/DadosMunicipais/. Acesso em: 12 mar. 2018.

AFONSO PINHEIRO, A. C.; CARVALHO, M. L. S. Economia e política agrícola. Lisboa: Edições Sílabo, 2003. 328 p.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. 292 p.

______. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938.htm. Acesso em: 12 mar. 2018.

CORTEZ, A. T.; ORTIGOZA, S. A. G. (Org.). Da produção ao consumo: impactos socioambientais no espaço urbano. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 146 p.

FLICKR. A. P. Fotos de Acari, Rio Grande do Norte. Disponível em: https://www.flickr.com/search/?user_id=53057644%40N00&view_all=1&text=acari Acesso em: 7 abr. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Demográfico de 2010. Disponível em: www.censo2010.ibge.gov.br. Acesso em: 4 abr. 2018.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p. 189-206, mar. 2003. doi: 10.1590/S0100-15742003000100008.251

MEDEIROS, A. B. et al. A importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, Montes Belos v. 4, n. 1, set. 2011. Disponível em: http://revista.fmb.edu.br/index.php/fmb/article/view/30. Acesso em: 15 abr. 2018.

NUNES, A. L. P. F.; SILVA, M. B. C. A extensão universitária no ensino superior e na sociedade. Mal-Estar e Sociedade, Barbacena, Ano IV, n. 7, p. 119-133, jul./dez. 2011. Disponível em: http://revista.uemg.br/index.php/malestar/article/view/60. Acesso em: 15 abr. 2018.

PIANA, P. H. P. Alimentos geneticamente modificados e a construção do quadro regulatório no Brasil. 2013. 55 f. Monografia (Bacharel em Direito) – Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2013.

PITOMBO, L. R. M.; LISBÔA, J. C. F. Sobrevivência humana: um caminho para o desenvolvimento do conteúdo químico no ensino médio. Química Nova na Escola, São Paulo, n. 14, 2001.

PROKOP, P.; TUNNICLIFFE, S. D. “Disgusting” animals: primary school children’s attitudes and myths of bats and spiders. Eurasia Journal of Mathematics, Science & Technology Education, London, v. 4, n. 2, p. 87-97, 2008. doi: 10.12973/ ejmste/75309.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. São Paulo: Cortez, 2002. 96 p.

REIS JÚNIOR, A. M. A formação do professor e a educação ambiental. 2003. 177 f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

RIO GRANDE DO NORTE. Rio Grande do Norte: história, indicadores e fotos. 2018. Disponível em: www.rn.gov.br. Acesso em: 8 mar. 2018.

RODRIGUES, A. R. F.; LABURU, C. E. A educação ambiental no ensino de biologia e um olhar sobre as formas de relação entre seres humanos e animais. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 171-184, 2014. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2700/2066. Acesso em: 15 mar. 2018.

RONDON. História do Projeto Rondon. 2018. Disponível em: http://www.projetorondon.defesa.gov.br/portal/index/pagina/id/9718/area/C/module/defaul. Acesso em: 8 de mar. 2018.

SANTOS, F. R.; SILVA, A. M. A importância da educação ambiental para graduandos da Universidade Estadual de Goiás: Campus Morrinhos. Interações, Campo Grande, v. 18, n. 2, p. 71-85, 2017. doi: 10.20435/inter.v18i2.1427.

SILVA, L. F.; TEIXEIRA, E. S. Educação para a sustentabilidade: representações de educação ambiental em docentes de formação de professores. Revista de Ciências Humanas, Frederico Westphalen, v. 16, n. 27, p. 7-21, 2015. doi: 10.31512/rch. v16i27.1501

SNADDON, J.; TURNER, E.; FOSTER, W. Children’s perceptions of rainforest biodiversity: which animals have the lion’s share of environmental awareness? Plos One, San Francisco, v. 3, n. 7, p. e2579, 2008. doi: 10.1371/journal.pone.0002579.

SORRENTINO, M. et al. Educação ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-299, maio-ago. 2005. doi: 10.1590/S1517-97022005000200010

SOUSA, R. G. et al. Meio ambiente e insetos na visão de educandos de 6º e 8º ano de escolas públicas em Anápolis-GO. Ambiente & Educação, Rio Grande, v.18, n. 2, 2013. Disponível em: https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/3244. Acesso em: 10 abr. 2018.

SOUSA, R. G.; SANTOS, M. L. Percepção ambiental dos usuários da Fazenda Santa Branca Ecoturismo (APA – Ribeirão João Leite), Teresópolis-GO. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 3, n. 3, p. 460-477, 2010. Disponível em: http://www.sbecotur.org.br/rbecotur/artigos/abstract38.pdf. Acesso em: 15 abr. 2018.

STEARNS, S. Life history evolution: successes, limitations, and prospects. Naturwissenschaften, v. 87, n. 11, p. 476-486, 2000. doi10.1007/s001140050763253

UNESCO. Década da educação das Nações Unidas para um desenvolvimento sustentável, 2005-2014: documento final do plano internacional de implementação. Brasília: Unesco, 2005. 120 p.

Publicado
2019-02-17
Como Citar
FERNANDES, P. H. C.; LIMA, L. V. A. DE. Meio ambiente: a extensão na Operação Forte dos Reis Magos do Projeto Rondon em Acari, Rio Grande do Norte. Em Extensão, v. 17, n. 2, p. 235-253, 17 fev. 2019.
Seção
Relatos de Experiência