Histórico

Em Extensão foi criada em 1998, momento em que a instituição amadurecia sua prática extensionista e buscava a institucionalização da extensão em suas estruturas gerenciais, processos de divulgação, metodologia e práxis. Precursora de outras revistas voltadas para o registro e a divulgação de trabalhos na área de extensão, atualmente, Em Extensão se consolida como uma das mais conhecidas revistas de extensão publicam artigos que refletem a extensão, promovendo o intercâmbio entre estudantes e profissionais de diferentes áreas do conhecimento.

Foco e Escopo

Em Extensão destina-se à divulgação de trabalhos que apresentem resultados parciais e/ou finais de programas/projetos/ações de extensão; revisões críticas de obras publicadas que possam contribuir para a reflexão acerca da extensão universitária; e matérias que manifestem opiniões sobre a temática extensão.

Os textos publicados neste periódico apresentam conteúdo interdisciplinar vinculado às áreas temáticas estabelecidas no Plano Nacional de Extensão (Comunicação, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Meio Ambiente, Saúde, Tecnologia e Trabalho) e convergem para a intensificação da interação dialógica entre os saberes e do papel formativo-pedagógico da extensão para os sujeitos envolvidos no processo extensionista.

Qualis

B3 – Ensino / Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo

B4 – Interdisciplinar / Educação / Enfermagem/ Planejamento Urbano / Serviço Social

Indexadores/Base de Dados

Clase, Diadorim, DOAJ, EBSCO, Geodados, Google Acadêmico, Latindex, Periódicos Capes, Portal Mineiro de Periódicos, REDIB, Sumários Temas Políticas e ações de extensión universitária.

Seções

Cada número é composto por um mínimo de seis trabalhos de extensão, classificados tipologicamente em: Artigos originais; Comunicações; Relatos de Experiência; Entrevistas; Editoriais; Resenhas; Dossiês temáticos.

Periodicidade

A revista tem periodicidade semestral. Os textos aceitos para publicação serão lançados coletivamente quando o sumário referente ao número estiver pronto ao final de cada semestre.

Público-alvo

Em decorrência de seus objetivos, Em Extensão tem como público almejado alunos, professores e técnicos das diversas instituições de ensino nacionais e estrangeiras, membros de organizações públicas e da sociedade civil envolvidas em práticas de extensão universitária e comunidade em geral.

Processo de Avaliação

Primeiramente, os artigos submetidos passam pela pré-avaliação da Coodenação Editorial para verificação da pertinência do assunto. Uma vez aprovados nesta pré-seleção, os trabalhos são submetidos à apreciação de, no mínimo, dois pareceristas selecionados por especialidade e/ou afinidade em relação ao conteúdo temático dos trabalhos sob apreciação e não afiliados à instituição de origem do trabalho.

Os pareceristas revisam a qualidade dos trabalhos de acordo com seu rigor conceitual, relevância acadêmica, originalidade e clareza de exposição. A eles é reservado o direito de apresentar parecer favorável condicionado à reformulação do artigo ou trabalho congênere, apresentar sugestões para reformulação, bem como o direito de sugerir a edição do texto reformulado, desde que as eventuais alterações não afetem o seu conteúdo. Caso o parecer indique reformulações, todos os trechos deverão ser apontados com destaque de parágrafos e ou páginas, conforme o caso.

Os pareceristas têm um prazo de vinte dias corridos, a partir da data de entrega do artigo, para a apresentação do parecer. Este prazo poderá ser prorrogado por período igual ou menor, a critério do coordenador editorial, desde que a dilação do prazo não incorra em atraso nos trabalhos de composição e impressão da revista.

Os pareceristas são responsáveis pelo parecer referente à reavaliação do texto para o qual sugeriram alterações.

Os pareceristas devem revelar aos editores quaisquer conflitos de interesse que possam influir em suas opiniões sobre o manuscrito e declarar-se não qualificados para revisar originais específicos se acreditarem que esse procedimento é apropriado.

Processo de Revisão

O processo de revisão linguística dos artigos envolve uma média de dois meses.  E a notificação aos autores é feita em dois períodos: junho e dezembro.

Política de Acesso Livre

Esta revista segue a política de acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Esta política propõe romper as barreiras econômicas que geram desigualdades tanto no acesso à informação quanto na publicação de resultados de pesquisas e práticas de extensão que buscam ou se enquadram nos padrões editoriais da revista.

Nenhum encargo ou taxa é cobrado pela submissão ou publicação de artigos.

Os trabalhos estão licenciados sob a licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional - http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0

Política de Preservação

A revista está incluída na Rede Cariniana de Preservação Digital.

Política Antiplágio

Todos os trabalhos aceitos são submetidos a um software de detecção de plágio.

As suposições do plágio são: a) apresentar trabalhos de outros como seu; b) adotar palavras ou ideias de outros autores sem o devido reconhecimento; c) não usar aspas em uma citação literal; d) paráfrase de uma fonte sem mencioná-la; e) paráfrase abusiva, mesmo que a fonte seja mencionada.

Os pressupostos gerais da fraude científica são os seguintes: a) fabricação, falsificação ou omissão de dados e plágio; b) publicação duplicada; e c) conflitos de autoria.

As práticas relacionadas ao plágio e aos diversos casos de fraudes científicas detectadas serão debatidas pelos membros do Conselho Editorial, que decidirão as medidas a adotar. Os autores assumirão as consequências de qualquer natureza decorrentes do descumprimento das obrigações indicadas nessas regras editoriais.

A fim de lidar com casos em que o plágio é incorrido, a Coordenação Executiva seguirá os seguintes procedimentos: A evidência do plágio detectado será enviada ao(s) autor(es), solicitando uma explicação sobre o mesmo. Se a resposta não for satisfatória, o artigo não será publicado e, se aplicável, a mídia na qual o artigo plagiado original foi publicado será informada.

Propriedade intelectual

A propriedade intelectual dos artigos publicados é exclusiva dos autores, que cedem o direito de sua comunicação pública à revista. As opiniões expressas nos trabalhos publicados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem necessariamente a posição da equipe editorial da revista.