Os diferentes olhares sobre humanização da assistência na Atenção Básica à Saúde

uma revisão integrativa

  • Herika da Silva Souza Federal University of Piauí
  • Karynne Machado de Sampaio Universidade Federal do Piauí
  • Mayane Carneiro Alves Pereira Prefeitura Municipal de Piripiri
  • Monara Kedma Gomes Nunes Universidade Federal do Piauí
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Atenção Básica, Humanização da assistência, Saúde Pública

Resumo

A Política Nacional de Humanização surge, em 2003, para efetivar os princípios do Sistema Único de Saúde no cotidiano das práticas de atenção e gestão. Essa pesquisa objetivou discutir sobre as percepções acerca do atendimento humanizado nas principais áreas da saúde. Realizou-se um levantamento bibliográfico nas bases de dados SciELO, MEDLINE/PUBMED e LILACS, com estudos publicados nos últimos 10 anos, encontrando 19 trabalhos que atendiam aos critérios de inclusão: artigos que objetivaram avaliar a percepção de profissionais acerca do tema humanização e textos completos. Foi realizada uma leitura exploratória dos resumos, materiais/métodos e resultados dos artigos, os quais foram divididos em tabelas, caracterizando-os quanto a amostra, objetivo, principais resultados encontrados e analisados quanto a qualidade metodológica por meio da Escala PEDro. Os artigos abordavam fatores que impulsionam o processo de trabalho, como: acolhimento, acessibilidade, trabalho em equipe e gestão participativa. Quanto à qualidade metodológica, apenas quatro estudos obedeceram aos critérios avaliados, com escore maior ou igual a seis. Os resultados foram analisados por três aspectos: o conceito humanizador; ser humanizado em saúde; e o usuário no contexto da humanização da assistência. Evidenciou-se que esta é uma temática de extrema eficácia para o processo de trabalho, fazendo-se necessários novos estudos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Herika da Silva Souza, Federal University of Piauí

Graduanda em Fisioterapia na Universidade Federal do Piauí, Brasil.

Karynne Machado de Sampaio, Universidade Federal do Piauí

Graduanda em Fisioterapia na Universidade Federal do Piauí, Brasil.

Mayane Carneiro Alves Pereira, Prefeitura Municipal de Piripiri

Mestra em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Piauí, Brasil; fisioterapeuta na Prefeitura Municipal de Piripiri, Piauí, Brasil.

Monara Kedma Gomes Nunes, Universidade Federal do Piauí

Doutoranda em Biotecnologia na Universidade Federal do Piauí, Brasil.

Referências

BARBOSA, M. I. S.; BOSI, M. L. M. Vínculo: um conceito problemático no campo da saúde coletiva. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 27, n. 4, p. 1.003-1.022, 2017. Doi: 10.1590/s0103-73312017000400008.

BARBOSA, S. P. Acesso a atenção primária à saúde em municípios de uma região de saúde de Minas Gerais. 2013. Tese (Doutorado em Enfermagem) – Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

BECCHI, A. C. et al. Perspectivas atuais da cogestão na saúde: experiências do Grupo de Trabalho de Humanização em atenção primária à saúde. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 653-660, 2012. Doi: 10.1590/S0104-12902013000200032.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES nº 1.133, de 7 de agosto de 2001. Dispõe sobre as diretrizes curriculares nacionais dos cursos de graduação em Enfermagem, Medicina e Nutrição. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/Enf.pdf . Acesso em: 8 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Educação Permanente em Saúde. 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/folder/educacao_permanente_saude.pdf. Acesso em: 25 jan. 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização – HumanizaSUS. 2019. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/projeto-lean-nas-emergencias/693-acoes-e-programas/40038-humanizasus. Acesso em: 25 nov. 2019.

BRUNELLO, M. E. F. et al. O vínculo na atenção à saúde: revisão sistematizada na literatura, Brasil (1998-2007). Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 131-135, 2010. Doi: 10.1590/S0103-21002010000100021.

CARDOSO, I. M. Rodas de educação permanente na atenção básica de saúde: analisando contribuições. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 21, n. 1, p. 18-28, 2012. Doi: 10.1590/S0104-12902012000500002.

CARDOSO, J. R.; OLIVEIRA, G. N.; FURLAN, P. G. Gestão democrática e práticas de apoio institucional na Atenção Primária à Saúde no Distrito Federal, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, mar. 2016. Doi: 10.1590/0102-311X00009315.

CASATE, J. C.; CORREA, A. K. A humanização do cuidado na formação dos profissionais de saúde nos cursos de graduação. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 46, n.1, p. 219-226, 2012. Doi: 10.1590/S0080-62342012000100029.

CRUZ, J. G. O. O acolhimento na assistência especializada no estado do Acre: micropolítica e produção do cuidado em saúde. 2017. Tese (Doutorado em Serviços de Saúde Pública) – Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

EVANGELISTA, V. C. et al. Equipe multiprofissional de terapia intensiva: humanização e fragmentação do processo de trabalho. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 69, n. 6, p. 1.099-1.107, 2016. Doi: 10.1590/0034-7167-2016-0221.

FERRAZ, J. S. et al. Ações estruturantes interministeriais para reorientação da atenção básica em saúde: convergência entre educação e humanização. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 482-493, 2012.

FRACOLLI, L. A.; CASTRO, D. F. A. Competência do enfermeiro na atenção básica: em foco a humanização do processo de trabalho. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 427-432, 2012.

GODOY, D. C. O ensino da clínica ampliada na atenção primária à saúde: percepções e vivências de alunos de graduação médica. 2013. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Botucatu, 2013. Doi: 10.5151/medpro-cihhs-10351.

GONÇALVES, E. C. A. et al. PET-SAÚDE: possibilidades e limitações do grupo de trabalho e humanização em unidade básica de saúde. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, Umuarama, v. 18, n. 3, p. 205-207, 2014. Doi: 10.25110/arqsaude.v18i3.2014.5197.

GOULART, B. N. G.; CHIARI, B. M. Humanização das práticas do profissional de saúde: contribuições para reflexão. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 255-268, 2010. Doi: 10.1590/S1413-81232010000100031.

GRANJA, G. F.; ZOBOLI, E. L. C. P. Humanismo da atenção primária à saúde: gestão em redes e governança local. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 36, n.3, p. 494-501, 2012.

GUEDES, C. R.; PITOMBO, L. B.; BARROS, M. E. B. Os processos de formação na Política Nacional de Humanização: a experiência de um curso para gestores e trabalhadores da atenção básica em saúde. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 4, p. 1.087-1.109, 2009. Doi: 10.1590/S0103-73312009000400010.

JUNGES R. J. et al. O discurso dos profissionais sobre a demanda e a humanização. Saúde e Sociedade, v. 21, n. 3, p.686-697, 2012. Doi: 10.1590/S0104-12902012000300014.

LIBERATI, A.; ALTMAN, D. G.; TETZLAFF, J. et al. The PRISMA statement for reporting systematic reviews and meta-analyses of studies that evaluate healthcare interventions: explanation and elaboration. BMJ, v. 6, n. 7, jul. 2009. doi: 10.1371/journal.pmed.1000100.

MEDEIROS, L. M. O. P.; BATISTA, S. H. S. S. Humanização na formação e no trabalho em saúde: uma análise da literatura. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 925-951, 2016. Doi: 10.1590/1981-7746-sol00022.

MITRE, S. M.; ANDRADE, E. I. G.; COTTA, R. M. M. Avanços e desafios do acolhimento na operacionalização e qualificação do Sistema Único de Saúde na Atenção Primária: um resgate da produção bibliográfica do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 8, p. 2.071-2.085, 2012. Doi: 10.1590/S1413-81232012000800018.

MONDADORI, A. G. et al. Humanização da fisioterapia em unidade de terapia intensiva adulto: estudo transversal. Revista Brasileira de Fisioterapia, v. 23, n. 3, p. 294-300, 2016. Doi: 10.1590/1809-2950/16003123032016.

NORA, C. R. D.; JUNGES, J. R. Política de humanização na atenção básica: revisão sistemática. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 47, n. 6, p. 1.186-1.200, 2013. Doi: 10.1590/S0034-8910.2013047004581

OLIVEIRA, L. A. et al. Humanização e cuidado: a experiência da equipe de um serviço de DST/Aids no município de São Paulo. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 10 n. 3, p. 689-698, 2005. Doi: 10.1590/S1413-81232005000300025.

PAULI, L. T. S.; ARTUS, S. C.; BALBINOT, R. A. A. A perspectiva do processo saúde/doença na promoção de saúde da população. Revista de Direito Sanitário, São Paulo, v. 4, n. 3, p. 24-42, 2003. Doi: 10.11606/issn.2316-9044.v4i3p24-42.

PEDro - Physiotherapy Evidence Database. Disponível em: http://www.pedro.org.au. Acesso em: 13 nov. 2019.

PEREIRA, E. H. P.; BARROS, R. D. B. Humanização. In: Dicionário da Educação Profissional em Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz, 2006. Disponível em: www.slab.uff.br/textos/texto91.pdf. Acesso em: 15 nov. 2019.

PUSCH, R. Humanização e integralidade. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, 2010.

SCHMIDEL, J. P. C. Formação do agente comunitário de saúde na reorganização da atenção primária com perspectiva de mudança do modelo de atenção. 2009. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão do Trabalho e Educação em Saúde) – Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2009.

SCHOLZE, A. S.; DUARTE JUNIOR, C. F.; SILVA, Y. F. Trabalho em saúde e a implantação do acolhimento na atenção primária à saúde: afeto, empatia ou alteridade? Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 13, n. 31, p. 303-314, 2009. Doi: 10.1590/S1414-32832009000400006.

SEOANE, A. F.; FORTES, P. A. C. Percepção de médicos e enfermeiros de unidades de assistência médica ambulatorial sobre humanização nos serviços de saúde. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 1.408-1.416, 2014. Doi: 10.1590/S0104-12902014000400023.

SHIMIZU, H. E.; MARTINS, T. O apoio institucional como método de análise-intervenção na atenção básica no Distrito Federal, Brasil. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v.18, n. 1, p. 1.077-1.087, 2014. Doi: 10.1590/1807-57622013.0523.

SILVA, I. D.; SILVEIRA, M. F. A. A humanização e a formação do profissional em fisioterapia. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 1.535-1.546, 2011. Doi: 10.1590/S1413-81232011000700089.

SIMÕES A. L. A. et al. Humanização na saúde: enfoque na atenção primária. Texto & Contexto: Enfermagem, Florianópolis, v. 16, n. 3, p. 439-444, 2007. Doi: /10.1590/S0104-07072007000300009.

TRAD, L. A. B.; ROCHA, A. A. R. M. Condições e processo de trabalho no cotidiano do Programa Saúde da Família: coerência com princípios da humanização em saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 1.969-1.980, 2011.

WALDOW, V. R.; BORGES, R. F. Cuidar e humanizar: relações e significados. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 414-418, 2011. Doi: 10.1590/S0103-21002011000300017.

Publicado
2020-03-13
Como Citar
SOUZA, H. DA S.; SAMPAIO, K. M. DE; PEREIRA, M. C. A.; NUNES, M. K. G. Os diferentes olhares sobre humanização da assistência na Atenção Básica à Saúde. Revista de Educação Popular, v. 19, n. 1, p. 45-63, 13 mar. 2020.
Seção
Artigos Originais