Inclusão digital de jovens e adultos e educação popular

fragmentos analíticos de experiências no Círculo de Cultura Digital

  • Vitor Malaggi Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Rosana Miyashiro Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha
Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos, Educação Popular, Círculo de Cultura Digital, Inclusão digital, Apropriação/objetivação de TIC

Resumo

O artigo analisa o desenvolvimento do Círculo de Cultura Digital, experiência de educação popular com jovens/adultos da classe trabalhadora e que intenciona a promoção da inclusão digital desses sujeitos. O projeto está vinculado ao Programa de Extensão intitulado “Inclusão Digital na Educação Popular de Jovens/Adultos e Formação de Professores”, construído na parceria estabelecida entre educadores da Universidade do Estado de Santa Catarina e Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha. Esta proposta busca (re)pensar os sentidos da inclusão digital para trabalhar por uma apropriação crítico-problematizadora das Tecnologias de Informação e Comunicação. A metodologia do Círculo de Cultura Digital está ancorada nos fundamentos da Educação Popular Freiriana, constituindo-se como espaço-tempo formativo, de cunho presencial-virtual, em que a socialização de experiências e construção coletiva de conhecimentos ocorre pela autoria e colaboração na cultura digital. Resultados indicam que a formação desenvolvida no Círculo pode constituir experiência de apropriação/objetivação crítica e criativa das TIC por jovens/adultos da classe trabalhadora. Em síntese, identifica-se um potencial formativo para avançar além das perspectivas instrumentais de inclusão digital, que primam pelo aprendizado neutro e a-histórico das dimensões operacionais destas tecnologias, utilizadas majoritariamente a partir de objetivos fetichizados e individualistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Malaggi, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestre em Educação pela Universidade de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil; professor efetivo do Centro de Educação a Distância da Universidade do Estado de Santa Catarina, Brasil.

Rosana Miyashiro, Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha

Mestra em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil; coordenadora geral da Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha, Santa Catarina, Brasil.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília/DF: MEC, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 5 set. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Resolução CNE/CEB nº 1, de 5 de julho de 2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos EJA. Brasília: MEC, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB012000.pdf. Acesso em: 9 set. 2016.

CAZELOTO, E. Inclusão digital: uma visão crítica. São Paulo: Senac, 2008.

DUARTE, N. A individualidade para-si: contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas: Autores Associados, 2013.

DUARTE, N. Educação escolar, teoria do cotidiano e a Escola de Vigotski. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 41. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

FREIRE, P. A máquina está a serviço de quem? Revista BITS, São Paulo, v. 1, n. 7, p. 6, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 50 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P.; NOGUEIRA, A. Que fazer: teoria e práticas em educação popular. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2004.

MALAGGI, V.; MARTINS, S. A.; FÉLIX, P. Círculo de cultura digital: relato de uma experiência freiriana de inclusão digital. In: FÓRUM DE ESTUDOS: LEITURAS DE PAULO FREIRE, 19., 2017, Rio Grande, RS. Anais [...]. Rio Grande, RS: Editora da FURG, 2017.

MALAGGI, V.; TEIXEIRA, A. C. Autoria colaborativa: conceito-chave para uma epistemologia freiriana dos processos de ensino-aprendizagem online. In: MALAGGI, V.; TEIXEIRA, A. C. Comunicação, tecnologias interativas e educação: (re)pensar o ensinar-aprender na cultura digital. Curitiba: Appris, 2019. p. 215-234.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. 4. Reimpr. São Paulo: Boitempo, 2010.

SILVA, M. Sala de aula interativa: educação, comunicação, mídia clássica... 5. ed. São Paulo: Loyola, 2010.

TAKAHASHI, T. (org.). Sociedade da informação no Brasil: livro verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000.

ZUIN, A.; PESCE, L. Razão instrumental, emancipação e formação online de educadores. In: SILVA, M.; PESCE, L.; ZUIN, A. (org.). Educação online: cenário, formação e questões didático-metodológicas. Rio de Janeiro: Wak, 2010.

Publicado
2020-03-13
Como Citar
MALAGGI, V.; MIYASHIRO, R. Inclusão digital de jovens e adultos e educação popular. Revista de Educação Popular, v. 19, n. 1, p. 193-218, 13 mar. 2020.
Seção
Artigos Originais