Histórico

A Revista de Educação Popular (REP) foi criada em 27 de novembro de 2001 como produto do Programa de Formação em Educadores Populares da PROEXC. Uma vez institucionalizada, a REP se tornou uma publicação da PROEXC/UFU e vem se consolidando como um meio de divulgação de possibilidades de transformações sociais, políticas, éticas e estéticas, pautada em orientações teóricas, filosóficas, científicas e artísticas que se contrapõem às práticas exclusivistas de produção de conhecimento e à hierarquia social dos objetos de estudo.

A administração da revista e a aplicação de sua política e gestão ficam a cargo de uma Coordenadoria Editorial, de um Conselho Editorial e de um Conselho Consultivo, os quais adotam como referência propostas aprovadas pelo Conselho de Extensão (Consex), relativas à  interlocução da Universidade Federal de Uberlândia com a sociedade.

Temas

Educação popular, Educação Popular em Saúde e Cultura Popular.

Foco e Escopo

A REP prioriza abordagens e análises que tratam sobre a produção (teórica e prática) nos campos da educação, da saúde e da cultura populares, propiciando a socialização da produção acadêmica e dos movimentos sociais, de maneira a produzir a inserção de temas ou problemas da atualidade no processo de ensino, pesquisa e extensão da Universidade e a inclusão de conhecimentos produzidos pela academia no exame da realidade atual pelos movimentos sociais ou outras comunidades externas.

Objetivos

  1. registrar e divulgar experiências e reflexões em educação, saúde e cultura populares, a fim de fornecer apoio teórico e metodológico para a elaboração e implementação de ações relacionadas a esses temas;
  2. funcionar como espaço de divulgação da produção de conhecimentos decorrentes das demandas de grupos específicos;
  3. favorecer o intercâmbio com outras instituições engajadas com a perspectiva popular.

DOI: https://doi.org/10.14393/REP

Qualis: B1 – Ensino; B2 – Educação / Interdisciplinar

Indexadores/Base de Dados

Diadorim, DOAJ, EBSCO, Geodados, Google Acadêmico, Latindex, Periódicos Capes, Portal Mineiro de Periódicos, REDIB, Sumários

Periodicidade

A REP possui periodicidade quadrimestral e recebe textos em fluxo contínuo. Os textos selecionados são publicados coletivamente, quando o sumário referente ao número estiver pronto ao final de cada quadrimestre.

Seções

Cada número é composto por um mínimo de dez trabalhos, classificados tipologicamente em: Artigos Originais; Relatos de Experiência; Comunicados de Pesquisa; Ponto de Vista.

Público-alvo

Em decorrência de seus objetivos, a REP tem como público almejado: educadores das redes públicas de ensino e dos movimentos sociais; profissionais e/ou participantes dos movimentos ligados à educação, à saúde e à cultura populares; estudantes de diferentes níveis de ensino, em especial das instituições de ensino superior.

Avaliação

Forma de avaliação

A revista utiliza o processo de avaliação por pares cega. Para assegurar a integridade desse tipo de avaliação, deve-se tomar todos os cuidados possíveis para não revelar a identidade tanto de autores quanto de avaliadores, o que exige algumas precauções com o texto e as propriedades do documento: a) Os autores do documento devem excluir do texto nomes, substituindo com "Autor" e o ano em referências e notas de rodapé, em vez de nomes de autores, título do artigo etc.; b) em documentos do Microsoft Office, a identificação do autor deve ser removida das propriedades do documento (no menu Arquivo > Propriedades), iniciando em Arquivo, no menu principal, e clicando na sequência: Aqruivo > Salvar como... > Ferramentas (ou Opções no Mac) > Opções de segurança... > Remover informações pessoais do arquivo ao salvar > OK > Salvar.; c) Em PDFs, os nomes dos autores também devem ser removidos das Propriedades do Documento, em Arquivo no menu principal do Adobe Acrobat.

Processo avaliativo 

Primeiramente, os artigos submetidos passam pela pré-avaliação da Coodenação Editorial para verificação da pertinência ao foco e escopo da revista.

Uma vez aprovados nesta pré-seleção, os trabalhos são submetidos à apreciação de, no mínimo, dois pareceristas selecionados por especialidade e/ou afinidade em relação ao conteúdo temático dos trabalhos sob apreciação e não afiliados à instituição de origem do trabalho.

Os pareceristas revisam a qualidade dos trabalhos de acordo com seu rigor conceitual, relevância acadêmica, originalidade e clareza de exposição. A eles é reservado o direito de apresentar parecer favorável condicionado à reformulação do artigo ou trabalho congênere, apresentar sugestões para reformulação, bem como o direito de sugerir a edição do texto reformulado, desde que as eventuais alterações não afetem o seu conteúdo. Caso o parecer indique reformulações, todos os trechos deverão ser apontados com destaque de parágrafos e ou páginas, conforme o caso.

Os pareceristas têm um prazo de vinte dias corridos, a partir da data de entrega do artigo, para a apresentação do parecer. Este prazo poderá ser prorrogado por período igual ou menor, a critério do coordenador editorial, desde que a dilação do prazo não incorra em atraso nos trabalhos de composição e impressão da revista.

Os pareceristas são responsáveis pelo parecer referente à reavaliação do texto para o qual sugeriram alterações.

Os pareceristas devem revelar aos editores quaisquer conflitos de interesse que possam influir em suas opiniões sobre o manuscrito e declarar-se não qualificados para revisar originais específicos se acreditarem que esse procedimento é apropriado.

Revisão

O processo de revisão linguística dos artigos envolve uma média de dois meses. E a notificação aos autores é feita em três períodos: abril, agosto e dezembro.

Política de Acesso Livre

A REP segue a política de acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Esta política propõe romper as barreiras econômicas que geram desigualdades tanto no acesso à informação quanto na publicação de resultados de pesquisas e práticas de extensão que buscam ou se enquadram nos padrões editoriais da revista.

Nenhum encargo ou taxa é cobrado pela publicação de artigos.

Os trabalhos estão licenciados sob a licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional:  http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0

Política de Preservação

A REP está incluída na Rede Cariniana de Preservação Digital.

Política Antiplágio

As suposições do plágio são: a) apresentar trabalhos de outros como seu; b) adotar palavras ou ideias de outros autores sem o devido reconhecimento; c) não usar aspas em uma citação literal; d) paráfrase de uma fonte sem mencioná-la; e) paráfrase abusiva, mesmo que a fonte seja mencionada.

Os pressupostos gerais da fraude científica são os seguintes: a) fabricação, falsificação ou omissão de dados e plágio; b) publicação duplicada; e c) conflitos de autoria.

Todos os trabalhos aceitos são submetidos a um software de detecção de plágio.

Os autores assumirão as consequências de qualquer natureza decorrentes do descumprimento das obrigações indicadas nessas regras editoriais.

Em casos em que o plágio é incorrido, a Coordenação Editorial seguirá os seguintes procedimentos: a evidência do plágio detectado será enviada ao(s) autor(es), solicitando uma explicação sobre o mesmo. Se a resposta não for satisfatória, o artigo não será publicado e, se aplicável, a mídia na qual o artigo plagiado original foi publicado será informada.

Propriedade intelectual

A propriedade intelectual dos artigos publicados é exclusiva dos autores, que cedem o direito de sua comunicação pública à revista.

As opiniões expressas nos trabalhos publicados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem necessariamente a posição da equipe editorial REP.