Curso Híbrido de Violão

proposta e prática

Palavras-chave: curso híbrido de violão, educação musical, tecnologias

Resumo

Este texto apresenta uma pesquisa realizada coletivamente, envolvendo bolsistas de iniciação científica, estudantes da graduação e pós-graduação e professores orientadores. O estudo teve como objetivo compreender como se constitui o ensino híbrido na estruturação e desenvolvimento de um curso de extensão de instrumento a partir da perspectiva dos professores e alunos. Trata-se de um estudo de caso cujo campo empírico é o curso híbrido de iniciação ao violão ofertado para a comunidade externa à universidade. Como resultado, percebemos o aprendizado de todos os lados: alunos da graduação aprendem a fazer pesquisa, alunos do mestrado vão a campo e conhecem nova bibliografia, alunos da extensão aprendem violão e outros aprendem com a análise e divulgação dos dados. Por fim, o curso híbrido se mostrou eficaz, cumprindo seus objetivos, e pode ser uma alternativa à cursos de música futuros e conectados Internet.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juciane Araldi Beltrame, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Professora no Departamento de Educação Musical da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Doutora em Música (Música e Educação) pela UNIRIO. Mestre em Música (Educação Musical) pela UFRGS.
Publicado
2020-07-24
Como Citar
Beltrame, J. A., & Rosa Garcia, M. (2020). Curso Híbrido de Violão. OuvirOUver, 16(1), 278-291. https://doi.org/10.14393/OUV-v16n1a2020-55854