Mapas, fronteiras e outras criaturas indomáveis em busca de identidade

  • Nikoleta Kerinska Universidade Federal de Uberlândia - MG Brasil
Palavras-chave: Arte cotemporânea, geopolítica, obra sonora

Resumo

O presente texto elucida algumas questões substanciais da peça sonora de minha autoria “O discreto charme da democracia” (2018-2019). Ele se projeta além do limite do artigo acadêmico, recorrendo à plasticidade do ensaio literário, desejando que a escrita se emancipe da peça artística que é o seu primeiro elã. Sem visar uma dimensão metodológica do processo de criação, essa reflexão levanta algumas referências e laços sentimentais, esboçando uma breve análise dos elementos que motivaram o ato artístico: os mapas e as fronteiras que sintetizam o espaço e guiam as trajetórias. Enquanto o mapa apresenta a topologia do contexto de criação, as fronteiras, efetivadas como gestos gráficos, são vivas para contar suas histórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nikoleta Kerinska, Universidade Federal de Uberlândia - MG Brasil

Nikoleta Kerinska é doutora em Artes Plásticas, Estética e Ciência da Arte pela Universidade de Paris 1, Panthéon-Sorbonne (2014). Pesquisadora do grupo Fictions & Interactions da Universidade de Paris 1 Panthéon-Sorbonne sob a coordenação de Bernard Guelton. Professora de arte computacional na Universidade Federal de Uberlândia. Sua pesquisa artística inspira-se pelas convergências/divergências nos processos de comunicação homemmáquina, que fazem uso da linguagem natural, como também pelas relações poéticas entre linguagem natural e imagem.

Publicado
2020-07-23
Como Citar
Kerinska, N. (2020). Mapas, fronteiras e outras criaturas indomáveis em busca de identidade . OuvirOUver, 16(1), 70-83. https://doi.org/10.14393/OUV-v16n1a2020-52257
Seção
Dossiê Geografias sensíveis: paisagens, territórios, fronteiras