Para além de 1964

censura e cumplicidade conservadora no Brasil frente às artes do espetáculo

  • Gessé Almeida Araújo Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Resumo

Trata-se de um panorama histórico-crítico da censura às artes do espetáculo interpretada como prática política institucionalizada pelo Estado brasileiro notadamente durante os anos de ditadura militar (1964 - 1985). O recorte estabelecido elenca os eventos pré e pós-golpe de 64 até a abertura política, a promulgação da Constituição de 1988 com o suposto fim da censura, chegando ao cerceamento a espetáculos e exposições no território nacional pós-2016. A argumentação aventa os possíveis atavismos autoritários do passado e do presente político e social no Brasil, concebendo a censura às artes como sendo uma prática fomentada, entre outros, por setores conservadores da sociedade civil. Por fim, chega-se a uma possível leitura da censura como fenômeno histórico explicitando os elementos autoritários que rondam as artes no Brasil até os dias atuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gessé Almeida Araújo, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
Doutor em Artes Cênicas pelo Programa de pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia (PPGAC-UFBA), mestre pelo mesmo programa e licenciado em Teatro pela Escola de teatro da UFBA.
Publicado
2019-06-18
Como Citar
Araújo, G. A. (2019). Para além de 1964. OuvirOUver, 15(1), 112-125. https://doi.org/10.14393/OUV24-v15n1a2019-8
Seção
Artigos