O lugar entre - onde o ficcional se revela

  • Claudia Inês Hamerski Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

No texto que segue, apresento alguns apontamentos envolvendo as relações entre a produção teórica e prática de um conjunto de trabalhos artísticos realizados no ano de 2015, em Porto Alegre. O objetivo do artigo é cercear os acontecimentos presentes no processo de criação, localizando o inter-dito na fissura que se coloca entre o que se procura e o que acontece durante a instauração do trabalho artístico. Ao considerar universos ínfimos como paisagens, observo alguns pontos pertencentes a um campo de estudos desenvolvidos pelo teórico Javier Maderuelo sobre a conceituação da paisagem. Nesse sentido, as considerações trazidas no texto partem de um apontamento sobre a paisagem com abertura para a produção de imagens ficcionais. Ao propor uma experiência das escalas, situo o trabalho em relação à análise dos jogos de miniaturas nos contos como decorrentes da imaginação, a partir da escrita de Gaston Bachelard sobre a "Miniatura" em seu livro "A Poética do Espaço". A passagem da fotografia para o desenho situa um espaço de criação e introduz o elemento mistério, uma abertura ao acaso, ao que pode acontecer e redirecionar significados e sentidos estabelecidos pela imagem gerada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Inês Hamerski, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Artista Visual e pesquisadora Atualmente desenvolve sua pesquisa artística em Poéticas Visuais na linha de processos de criação. Faz parte do grupo de pesquisa Processos Híbridos na Arte Contemporânea com diretório junto ao CNPq.
Publicado
2015-12-31
Como Citar
Hamerski, C. I. (2015). O lugar entre - onde o ficcional se revela. OuvirOUver, 11(2), 334-349. https://doi.org/10.14393/OUV17-v11n2a2015-4
Seção
Dossiê Interdito: fotografia e fabulação