O dramático e o não-dramático na sombra da globalização: buscas por formas adequadas de resistência simbólica na dramaturgia brasileira

  • Stephan Baumgartel UDESC
Palavras-chave: Dramaturgia. Dramático. Globalização.

Resumo

Partindo de uma discussão do significado da palavra "dramático" no contexto sócio-econômico contemporâneo, o ensaio indaga as relações entre as bases epistemológicas desse contexto e as formas dramáticas e não-dramáticas da dramaturgia escrita. Apresenta um breve esboço da situação da dramaturgia brasileira no fim da ditadura militar, para analisar três textos teatrais como exemplos de tentativas de crítica e até de resistência às mudanças econômicas chamadas de "globalização". São estes "Brasil S/A" de Antonio Ermírio de Moraes, "Preso entre Ferragens" de Fernando Bonassi e "Vida" de Márcio Abreu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stephan Baumgartel, UDESC
Stephan A. Baumgärtel possui mestrado em Letras Inglês pela Ludwig-Maximilians-Universität München (1995), doutorado em Literaturas da Língua Inglesa pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005), e pós-doutorado na ECA/USP (2009-2010) com estudos sobre a dramaturgia brasileira contemporânea. A tese de doutoramento recebeu o Prêmio CAPES 2005. Atualmente é professor adjunto da Universidade do Estado de Santa Catarina na área de história do teatro, estética teatral e dramaturgia.
Publicado
2014-10-27
Como Citar
Baumgartel, S. (2014). O dramático e o não-dramático na sombra da globalização: buscas por formas adequadas de resistência simbólica na dramaturgia brasileira. OuvirOUver, 8(1-2), p. 128-143. Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/28097