Dossiê Perspectivas do Drama no Brasil

 

Este dossiê terá como editor convidado o Prof. Dr. Wellington Menegaz.

 

Chamada para submissões prorrogadas até o dia 15 de abril de 2020.

Com foco no método de ensino do drama e suas reverberações no Brasil em contextos educacionais formais (educação básica e ensino superior) e informais, é que propomos o presente dossiê. Ele contará com contribuições de pesquisadores/as, artistas e docentes que investigam o drama na educação.

O drama, também denominado drama in education ou process drama, é um método específico de ensino do teatro, desenvolvido inicialmente na Inglaterra, e, mais tarde, em outras nações anglo-saxônicas. Na década de noventa chega ao Brasil, através do trabalho pioneiro da pesquisadora e docente Beatriz Ângela Vieira Cabral (Biange). O drama pode ser visto enquanto uma investigação de um pré-texto, em que todos os envolvidos (professor/a e estudantes) assumem papéis e exploram situações ou atividades definidas a partir do processo e de um contexto ficcional.

O intuito desse dossiê é contribuir com a difusão do drama no Brasil, para que interessados em conhecer e/ou aprofundar sobre esse método de ensino possam ter acesso às diversas propostas de trabalho, espalhadas pelo território brasileiro. Esse dossiê é resultado da pesquisa de pós-doutorado que o prof. Wellington Menegaz, docente do Curso de Teatro da UFU, desenvolve no PPGT UDESC. A publicação está vinculada ao Mestrado Profissional em Artes Prof-Artes da Universidade Federal de Uberlândia.

As contribuições deverão estar em conformidade com as normas da revista, cujas diretrizes de publicação constam no endereço: http://www.seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/about/submissions

Todas as submissões deverão ser enviadas para a plataforma da revista até 15 de abril de 2020.

Outras contribuições com temas variados seguirão em sistema de fluxo contínuo.

 

Atenciosamente,

Equipe Editorial da Revista ouvirOUver.

 

 

 

 

Dossiê Geografias sensíveis: paisagens, territórios, fronteiras

[chamada encerrada]

Este dossiê terá como editores convidados os professores doutores Ronaldo Macedo Brandão, Tatiana Ferraz e Beatriz Rauscher

No campo das Artes Visuais, especificamente na arte contemporânea, as noções de ‘território’, ‘fronteira’ e ‘trânsito’ são evocadas frequentemente para tratar de posicionamentos críticos em relação às determinações espaciais entre público e privado, das relações de poder e exclusão em territórios urbanos; dos tratados políticos de fronteira, dos fluxos migratórios, dos exílios e outras situações geopolíticas. O dossiê “Geografias sensíveis: paisagens, territórios, fronteiras” pretende convocar pesquisadores de Artes Visuais e áreas afins que encontram, em suas pesquisas, afinidades e inquietações sobre tais aspectos do mundo contemporâneo.

O dossiê pretende reunir reflexões sobre a paisagem como uma construção do sujeito em trânsito, sobre o território como a soma de acontecimentos e as fronteiras, como fragmentos da realidade, ao mesmo tempo metafórica e fictícia. Do ponto de vista dos processos criativos, a noção de fronteira pode ser pensada ainda como metodologia no trânsito constante entre linguagens e mídias, na porosidade das fronteiras das categorias artísticas, ou ainda, nas justaposições entre teoria e prática na reconstituição permanente do próprio território de arte. A ideia de produzir uma publicação que reflete sobre o tema “Geografias sensíveis: paisagens, territórios e fronteiras” se alimenta do desejo e da necessidade de tratar dessa dupla articulação da noção de fronteira, considerada determinante no início desse século e fundamental na estruturação de um debate ‘geo-(po)ético’ da arte.

[palavras-chave] deslocamentos / paisagens em trânsito / territórios / fronteiras / geo-poéticas / geografias sensíveis

Outras contribuições com temas variados seguirão em sistema de fluxo contínuo.

Se houver qualquer pergunta, ela pode ser encaminhada para o e-mail da revista: ouvirouver@gmail.com

Atenciosamente,

Equipe Editorial da Revista ouvirOUver.