• NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 22 n. 2 (2020)

    Neste número da O&T, apresentamos uma coletânea de artigos, ensaios e relatos de experiências exitosas que nos inspiram e nos motivam a seguir sempre adiante com as pesquisas e com os estudos em nossas respectivas áreas de investigação. Mesmo com a atual política de contingenciamento  de verbas para a educação, com a falta de investimentos em programas de educação básica, como a construção e manutenção de creches,  com a falta de uma política  para o ensino médio e para o técnico,  com o corte de bolsas de pesquisa e outras tantas ações que paralisam a pesquisa e dificultam o progresso das ciências, os professores pesquisadores das diversas IFES não se rendem à falta de recursos e seguem realizando seus estudos e apresentando à sociedade os bons resultados advindos desse esforço. Isso é o que encontramos neste número atemático da Olhares & Trilhas: reflexões, inquietações e discussões importantes no campo do ensino e da educação. Vale muito a pena a leitura deste número!!

  • PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MUSICAL
    v. 22 n. 1 (2020)

    O tema proposto “Pesquisas em Educação Musical” possui como objetivo principal oferecer discussões sobre a pesquisa em Educação Musical enquanto ciência, bem como apresentar resultados de pesquisas na área.
    Este tema pode oportunizar a divulgação de diferentes vertentes teóricas e metodológicas dentro da Educação Musical, reforçando a importância da pesquisa para modificar ou aperfeiçoar o ensino de música. É uma área de conhecimento em que pensar e fazer música não estão separados, o que pode fornecer subsídios para discussões envolvendo questões relacionadas com o ensino aprendizagem de música. Esta proposta tenderá a focalizar alguns desdobramentos na pesquisa em música, em suas diferentes abordagens epistemológicas, permitindo uma grande divulgação dos resultados de pesquisas realizadas na área. 

  • NÚMERO TEMÁTICO: Educação e Desenvolvimento Humano: Estudos e Práticas
    v. 21 n. 3 (2019)

    Este volume visa abarcar estudos que analisam as teorias educacionais e as práticas educativas de modo que possam favorecer a compreensão da realidade escolar e contribuir com a prática docente. Acreditamos que divulgar resultados de pesquisas científicas na área da educação e do desenvolvimento humano elucidará conceitos acadêmicos, por vezes distantes do cenário educacional.

  • NÚMERO TEMÁTICO 2 - PROGRAMA IDIOMAS SEM FRONTEIRAS: INTERNACIONALIZAÇÃO E FORMAÇÃO DOCENTE
    v. 21 n. 2 (2019)

    Nesta edição, a Revista Olhares e Trilhas reúne nove artigos e seis relatos de experiência que problematizam a formação de professores, as ações pedagógicas voltadas para o ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras com fins acadêmicos e para o movimento de internacionalização do ensino superior. Os textos trazem à baila estratégias inovadoras de ensino-aprendizagem e ressaltam a relevância e qualidade do trabalho desenvolvido, por professores formadores e em formação, no IsF, no cenário nacional. Além disso, os trabalhos aqui apresentados corroboram a importância de políticas públicas que garantam o acesso gratuito à educação linguística em língua estrangeira, sobretudo quando se considera o cenário de desigualdade social no país.

  • NÚMERO TEMÁTICO: TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO
    v. 21 n. 1 (2019)

    Esta edição temática da Revista Olhares & Trilhas é fruto da parceria firmada entre os editores da Revista e os organizadores do III Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação (III-SNTDE). O referido evento teve sua terceira edição realizada nos dias 25, 26 e 27 de julho de 2018, sediado nas dependências da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís/MA, e reuniu professores, estudantes de graduação, pós-graduação, pesquisadores e demais profissionais de diferentes localidades do país e do exterior interessados em discutir Tecnologias Digitais na Educação. Os textos aqui reunidos são resultados de pesquisas levadas a cabo em salas de aula e apontam para a necessidade de qualificação dos professores para o trabalho nessa seara e o envolvimento dos estudantes em práticas cada vez mais ligadas às tecnologias, visando a melhoria da qualidade da educação.  

  • Ivan Marcos Ribeiro, Cristiane C. de Paula Brito (Org.) NÚMERO TEMÁTICO 1: PROGRAMA IDIOMAS SEM FRONTEIRAS: INTERNACIONALIZAÇÃO E FORMAÇÃO DOCENTE
    v. 20 n. 3 (2018)

    Os trabalhos desta edição têm por objetivo contribuir para a reflexão e o questionamento das possíveis incidências do IsF nos complexos processos: de internacionalização do Ensino Superior; de formação de professores; e de implementação de uma política linguística que valorize a pluralidade cultural, as múltiplas identidades e a heterogeneidade dos sujeitos e da própria linguagem ao contemplar as práticas, interesses e demandas locais.

  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 20 n. 2 (2018)
    Nesta edição da Revista Olhares & Tri lhas, apresentamos sete textos entre artigos e relatos de experiência de professores da Educação Básica, professores e estudantes de cursos de pós - graduação e pesquisadores dedicados a investigar temas importantes da educação básica. Tais temas podem ajuda r outros professores e pesquisadores a revisitarem pontos de convergência e de divergência nos resultados de pesquisas aqui apresentados, contribuindo para a continuidade das investigações na seara do ensino e do repensar sobre as práticas docentes em todo s os níveis da educação básica.
  • ANAIS I SEMINÁRIO REGIONAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA: ENSINO, PESQUISA, POLÍTICAS PÚBLICAS
    v. 20 n. 1 (2018)

    Evento comemorativo dos 40 anos da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia, ocorrido de 25 a 28 de outubro de 2017.

  • NÚMERO TEMÁTICO: GÊNEROS ORAIS E ENSINO
    v. 19 n. 2 (2017)
    O objetivo deste número da Olhares & Trilhas é fornecer a pesquisadores e educadores subsídios para o trabalho com os gêneros orais . É, portanto, um número temático sobre gêneros textuais ou discursivos orais, organizado a partir de estudos realizados pelo Grupo de Pesquisa sobre Texto e Discurso (PETEDI) e outros pesquisadores. O estudo dos gêneros está na moda, como disse Marcuschi (2008, p. 147) , e entrou na moda, pelo menos no Brasil, após a proposta dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1998) de que o ensino de Língua Portuguesa como língua materna se centrasse nos gêneros. Esta proposta levou professores e pesquisadores da área de Letras e Linguística a voltar seus olhos para esse aspecto da língua e seu funcionamento, buscando esclarecer o que são gêneros, quais são os gêneros, como eles se caracterizam e como eles podem ser usados no ensino, o que configurou algumas linhas de pesquisa no país.
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 19 n. 1 (2017)
    Este número da Revista Olhares & Trilhas traz artigos bastante diversos entre si, mas que, considerando o eixo “ensino”, contempla um caleidoscópio de temas caros aos professores e estudiosos da área. Podemos dizer que são dois os epicentros dos artigos que compõem este número: o primeiro traz discussões sobre o ofício do magistério como um exercício, cujo agir docente é centrado em ações planejadas para o êxito do ensino e da aprendizagem de alunos, dentre eles os de inclusão, ou seja, o foco está na avaliação qualitativa, na qualidade das condições familiares e educacionais para o desenvolvimento de hábitos de estudo, na qualificação docente, nas práticas de sala de aula; e o segundo apresenta reflexões sobre gênero, escolarização e imagem do professor no quadro da atual política brasileira. Esses dois epicentros, assim, estão imbricados e interligados e perpassam a galeria e os artigos apresentados neste número da Olhares & Trilhas. 
  • DOSSIÊ ALFABETIZAÇÃO INICIAL - PACTO PNAIC
    v. 18 n. 3 (2016)
    Como forma de contribuir para o importante debate sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), as docentes da Alfabetização Inicial da Eseba realizaram um trabalho exaustivo de estudos, discussões e reflexões sobre os cadernos produzidos pela equipe do Ministério da Educação para a formação de professores alfabetizadores. Esses estudos resultaram neste dossiê, que apresenta as reflexões desenvolvidas no Grupo de Estudos da Alfabetização Inicial (GEAI) durante os anos de 2012 e 2013, cuja bibliografia de referência e discussão foram os cadernos de formação do PNAIC . Frente a esse novo contexto de implementação do Pacto, a responsabilidade das docentes nesse grupo de pesquisa foi grande, uma vez que, por não terem sido convidadas a participar dos encontros oficiais de formação propostos pelo governo federal, elas se mobilizaram no sentido de unir esforços para a compreensão das orientações contidas nos cadernos de formação do PACTO e, assim, preparadas para os desafios contemporâneos, contribuírem para a efetiva alfabetização dos alunos “na idade certa”. Todos os temas propostos no PAIC foram estudados e debatidos no interior do GEAI e estão aqui apresentados em forma de artigos.
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 18 n. 2 (2016)
    Este ano, de 2016, foi especialmente muito importante para a Olhares &Trilhas. A parceria com a Editora da Universidade Federal de Uberlândia (EDUFU) propiciou a qualificação dos editores por meio de workshops de Editoração Científica e treinamentos para a aplicação do DOI e para a indexação do periódico em diferentes databases; promovendo a interação dos editores com diferentes grupos de trabalho, visando facilitar o diálogo com instituições de interesse dos periódicos, a saber, o CNPQ, a CAPES e o SciELO. E foi nesse contexto fértil que fechamos a edição 2/2016, com uma seleção de três artigos inéditos, três relatos de experiência, duas resenhas e uma galeria. Todos esses textos discutem práticas diferenciadas de ensino e aprendizagem e trazem reflexões bastante importantes no campo da educação. 
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 18 n. 1 (2016)
    Esta edição, que tem cheiro de renovo, consiste na apresentação de uma significativa seleta de artigos de professores da Prefeitura Municipal de Uberlândia, apresentando-nos uma produção escrita com novos atores, a construção de um modo de caminhar em diálogo com conexões singulares. Pretende-se, de forma dialogada, proporcionar aos leitores, aos educadores, pesquisadores, docentes e discentes de diferentes instituições nacionais e internacionais, um campo fértil para a divulgação de resultados de pesquisas e experiências inéditas em educação e ensino.
  • N´´ÚMERO ATEMÁTICO
    v. 17 n. 2 (2015)
    Este número temático da Revista Olhares & Trilhas é resultado das atividades organizadas pela Rede de Pesquisa Imagens, Geografias e Educação, que tem nas imagens a centralidade na construção do conhecimento, na formação de subjetividades e de multiplicidades nas abordagens do espaço. A proposta é tomar as imagens, no interior da cultura e as linguagens que lhes dão origem e sustentação, como foco de preocupação, partindo do princípio de que a dimensão pedagógica inerente a essas imagens atua nos processos de subjetivação e no pensamento acerca do espaço geográfico. Os textos aqui apresentados são fruto de trajetórias singulares e coletivas territorializadas em grupos de estudos e de pesquisa, desdobradas em discussões, análises e ações presentes em trabalhos de Graduação e de Pós-Graduação,  os quais se plasmaram no “IV Colóquio Internacional A educação pelas imagens e suas geografias ” . Os referenciais articuladores dessa diversidade de pensamentos/textos se colocam no perseguir novos caminhos ducacionais, teóricos e temáticos no qual a linguagem imagética assume um papel destacado no processo de produção e reprodução do conhecimento científico e educacional.
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 17 n. 1 (2015)
    Temos acompanhado, nos dias de hoje, um grande número de pesquisas que se debruçam sobre dois temas caros à área da e ducação, a saber, a formação inicial e continuada de professores e os estudos sobre a infância. O conhecimento gerado em função das várias investigações produzidas em múltiplas disciplinas e campos de ação, nos cursos de graduação e de pós-graduação, expandiu nossa visão acerca desses campos, diversificou -a e, certamente, complexificou-a. Passamos a perceber a importância do estágio docente para a formação teórico -prática do professor, a refletir sobre as ações presentes nos projetos pedagógicos dos cursos para o desenvolvimento dos estágios curriculares supervisionados e a sublinhar a importância dessa formação como espaço de potencialização das reflexões que possibilitam a construção dos saberes necessários à formação global do professor e, em especial, à sua formação leitora para que ele, também, consiga desenvolver em seus alunos as competências necessárias para que estes sejam cidadãos críticos e protagonistas. É importante também destacarmos o papel dos estudos relacionados à infância e a todo o universo plural que a circunda. Esses estudos reafirmam a ideia de que a criança é um ser autônomo, responsável, criativo e refutam considerá-la como objeto ou produto. Tal visão de infância traz em seu bojo a criança em relação com a educação e a sociedade e a necessidade de se promover desde a mais tenra idade condições de inserção dela no universo lúdico por meio das diferentes linguagens. 
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 16 n. 2 (2014)
    De modo geral, o processo editorial de uma revista é uma tarefa complexa e se configura como o produto do entusiasmo da equipe editorial e também dos autores dos artigos. Nesse sentido, é possível dizer que a presente edição da Revista Olhares e Trilhas não foge à regra e, por isso, a finalização deste processo é o momento de comemorar muita dedicação e trabalho. Com temas abrangentes, na área de educação, foco principal da revista, esta edição combina artigos que retratam um pouco da experiência acadêmica e docente de diferentes profissionais da área da educação. O volume reúne artigos e relatos que abordam questões amplas relacionadas aos estudos sobre o ensino e aprendizagem, uma entrevista e também duas galerias que revelam como aproveitar e aplicar a criatividade em diversas situações, modificando a realidade com humor e alegria. 
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 16 n. 1 (2014)
    É com muita satisfação que apresentamos o número XVI da Revista Olhares e Trilhas, relativo ao 1º semestre de 2014. Nele, o leitor encontrará um conjunto de textos que representa a vitalidade das pesquisas e a consistência das discussões teóricas que vêm sendo realizadas no âmbito da educação, da formação de professores, do processo de ensino e aprendizagem das línguas e de tantos outros diferentes conceitos. Embora de teores bem diferentes uns dos outros, as galerias, os artigos e os relatos reunidos neste número apresentam uma característica comum: todos eles, a sua maneira, demonstram uma preocupação legítima com temas polêmicos e ainda carentes de investigação e discussão. 
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 15 n. 1 (2013)
    A finalização do processo editorial de uma revista é sempre momento de comemorar muito trabalho. Nesta edição, contamos com subsídios significativos sobre a educação, foco da revista, que contribuem para que as salas de aula continuem se transformando, proporcionando aos educadores e aos estudantes uma visão de mundo mais ampla e um instrumental de reflexão repleto de novas possibilidades. 
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 14 n. 1 (2012)
    Conseguir lançar coletivamente mais um número da Revista Olhares e Trilhas é uma satisfação, na medida em que este é o reflexo de mais uma das diversas ações realizadas no âmbito da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (Eseba/UFU), enquanto Colégio de Aplicação. Este número representa, portanto, o constante diálogo entre o que acontece nas escolas, com os professores em suas diversas maneiras de ensinar, com os pensadores e intelectuais envolvidos no desvelamento das complexas relações entre a proposição de situações de aprendizagens e a acomodação dos saberes por parte dos educandos. 
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 13 n. 1 (2011)
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 12 n. 2 (2010)
    Este número da Revista Olhares e Trilhas apresenta artigos e relatos de experiências relacionados a diferentes aspectos do ensino e aprendizagem no Ensino Fundamental, desenvolvidos na ESEBA/UFU e em outras instituições-educação ambiental, estudos sobre AEE em Matemática, dançaterapia, inclusão escolar, webquest, arte modernista brasileira, dentre outros temas que nos fazem refletir sobre os processos de ensinar e aprender na esfera escolar bem como de repensar aspectos culturais e artísticos.
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 11 n. 1 (2010)
    Na busca de nos reafirmarmos como um periódico de qualidade e relevância para os diferentes segmentos da Educação, propomos nesta edição publicar o “Dossiê Infância”. Nossa proposição se deve ao fato de que a infância é a etapa mais importante do desenvolvimento do ser humano. E que se desejamos, enquanto educadores e cidadãos, uma sociedade de adultos e jovens felizes, colaborativos e equilibrados, temos que possibilitar às crianças uma Educação Infantil de qualidade e com responsabilidade.
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 10 n. 1 (2009)
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 9 n. 1 (2008)
  • NÚMERO ATEMÁTICO
    v. 8 n. 1 (2007)
    A Revista Olhares e Trilhas, da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (ESEBA/UFU), cada vez mais se consolida como um espaço privilegiado para publicação de produções de professores/as e pesquisadores/as, com contribuições para a educação. Neste oitavo número, o/a leitor/a encontrará 13 (treze) artigos e uma resenha. Ele reúne trabalhos de profissionais da ESEBA e de várias outras instituições, públicas e privadas, de diferentes áreas, como: Lingüística, Artes, Língua Estrangeira, Matemática, Ciências, Psicologia, Psicopedagogia, dentre outra.
1-25 of 32