Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas <p>A Olhares &amp; Trilhas (ISSN:1983.3857 - online) é o periódico quadrimensal da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (Eseba/UFU), avaliado como B1 na Área de Ensino no quadriênio Qualis/Capes 2013-2016, e seus números são publicados em abril, agosto e dezembro de cada ano. A revista objetiva a publicação de artigos, relatos de experiências e de pesquisas, resenhas, galerias e outras produções de professores e pesquisadores em todos os níveis e modalidades de ensino.</p> pt-BR <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>Autores mantêm os direitos autorais e concedem à&nbsp; revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Creative Commons Attribution License</a>, que permite o compartilhamento irrestrito com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> revistaolharesetrilhas@gmail.com (Claudia Goulart) revistaolharesetrilhas@gmail.com (Claudia Goulart) sáb, 21 ago 2021 15:53:59 -0300 OJS 3.1.2.0 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Ensino de língua e o multilinguismo, multiculturalismo/interculturalismo: a necessidade de uma nova postura pedagógica http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/60061 <p>Este artigo tem por objetivo expor algumas reflexões teóricas para o papel docente diante de um alunado multilíngue e multicultural/intercultural bem como um breve relato pedagógico refletindo sobre a necessidade de mudança na postura pedagógica frente às produções híbridas, produzidas pelos alunos, que são resultados da sociedade contemporânea. Sendo assim, o estudo dialoga com autores como (LEFFA; IRALA, 2014), (BAUMAN, 2005), (CANCLINI, 1997, 2000), CAZDEN, C.; COPE, B.; FAIRCLOUGH, N.; GEE (1996), HALL (2006), ROJO (2012, 2013), entre outros, os quais discutem o contexto plural dessa sociedade globalizada e a necessidade de uma pedagogia crítica acompanhada de letramentos múltiplos. As considerações apresentadas revelaram que pensar o multilinguismo e a interculturalidade, pautados na diversidade de linguagem em diferentes gêneros, desenvolvem mecanismos para ofertar um ensino de qualidade emergindo assim uma nova pedagogia. Espera-se que as reflexões aqui contempladas, possam contribuir para os espaços de educação, tanto na recepção quanto na reprodução, no que tange ao aperfeiçoamento de práticas pedagógicas voltadas para o desenvolvimento do multiletramento, letramento crítico e da autoria.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>PALAVRAS-CHAVE</strong>: Ensino de língua.&nbsp; Multilinguismo.</p> Maria José Basso Marques Basso Marques, Flávia Girardo Botelho Borges (Autor) Copyright (c) 2021 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/60061 dom, 22 ago 2021 22:36:04 -0300 Play-based learning and phenomenon-based learning in the Finnish Early Childhood Education http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58448 <p>Desde 2005, com a repercussão dos resultados de avaliações educacionais internacionais, a Finlândia e seu sistema educacional têm sido foco de interesse de educadores de todo o mundo e diferentes aspectos do funcionamento e estrutura do sistema tem sido explorados desde então. No presente texto, se apresenta dois dos elementos chaves na educação e cuidado na primeira infância, a aprendizagem baseada no brincar e a aprendizagem baseada no fenômeno; e como essas abordagens pedagógicas estruturam práticas que dão suporte para a aprendizagem dos alunos, e se articulam com o processo educacional posterior. Para ir além da mera descrição das práticas pedagógicas e não repetir o que outros pesquisadores já narraram sobre o sistema educacional finlandês, evidencia-se ao longo desse texto os aspectos desenvolvimentais dessas práticas e como elas estão articuladas com a extensiva formação dos professores.</p> Juliene Madureira Ferreira (Autor) Copyright (c) 2021 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58448 sáb, 21 ago 2021 15:48:56 -0300 Teatro e Educação Inclusiva: http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/59674 <p>Propõe-se com este texto relatar a experiência do projeto de extensão denominado <em>Teatro e Educação Inclusiva: uma proposta pedagógica no Centro de Ensino Especial Dom Bosco e no Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual de Rio Branco</em>, realizado na Universidade Federal do Acre, entre os meses de maio a dezembro de 2020. A pesquisa desenvolvida, de forma remota, contou com a participação de discentes da Universidade Federal do Acre, que atuaram como bolsistas para a realização da prática pedagógica com pessoas com deficiência. Para o desdobramento do projeto, quatro fases foram importantes, sendo elas: I – Formação sobre os temas e encontros com especialistas da área; II – Participação e Organização de eventos relacionados a Teatro e Acessibilidade Cultural; III – Realização de planejamento e preparação das aulas de teatro com alunos e alunas com deficiência; IV – Ministrar aulas para 22 discentes com deficiência do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAPDV) e do Centro de Ensino Especial Dom Bosco. Portanto, neste texto, propõe-se descrever o percurso e as referências que serviram de base para o desenvolvimento das abordagens teatrais com os referidos discentes.</p> Carlos Alberto Ferreira da Silva (Autor) Copyright (c) 2021 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/59674 dom, 22 ago 2021 00:00:00 -0300 O Ensino de Geografia durante o Regime Especial de Atividades Não Presenciais http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/60128 <p>Este texto pretende analisar as experiências de uma docente no ensino de Geografia durante o Regime Especial de Atividades Não Presenciais (REANP) em uma escola pública de Minas Gerais, no ano de 2020. A metodologia tem enfoque qualitativo e descritivo. Utilizamos como aporte teórico referências sobre o Ensino da Geografia e as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC). Para a coleta de dados, foi utilizada pesquisa bibliográfica e etnografia virtual com 12 grupos de <em>WhatsApp®</em>. O recorte da pesquisa envolveu a participação da autora do presente texto como professora de Geografia do Ensino Fundamental entre 6º e 8º ano entre março a novembro de 2020. Foi possível verificar o forte uso do <em>WhatsApp®</em> como uma das principais ferramentas de comunicação entre a professora e seus alunos, seguido do e-mail. Tal processo, contudo, se apresentou mais como um mecanismo operacional e burocrático do que pedagógico. As experiências também evidenciaram o despreparo docente para lidar com o formato de ensino não presencial e a necessidade de formação inicial e continuada dos professores, bem como a reflexão sobre os paradigmas emergentes a respeito das novas práticas de ensino que vêm se delineando atualmente</p> MAISA DE FREITAS (Autor) Copyright (c) 2021 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/60128 ter, 14 set 2021 19:12:34 -0300