Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas <p>A Olhares &amp; Trilhas (ISSN:1983.3857 - online) é o periódico quadrimensal da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (Eseba/UFU), avaliado como B1 na Área de Ensino no quadriênio Qualis/Capes 2013-2016, e seus números são publicados em abril, agosto e dezembro de cada ano. A revista objetiva a publicação de artigos, relatos de experiências e de pesquisas, resenhas, galerias e outras produções de professores e pesquisadores em todos os níveis e modalidades de ensino.</p> pt-BR <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>Autores mantêm os direitos autorais e concedem à&nbsp; revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Creative Commons Attribution License</a>, que permite o compartilhamento irrestrito com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> revistaolharesetrilhas@gmail.com (Claudia Goulart) revistaolharesetrilhas@gmail.com (Claudia Goulart) ter, 15 dez 2020 19:38:30 -0300 OJS 3.1.2.0 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Expediente http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58531 <p>Volume atemático</p> Conselho Editorial (Autor) Copyright (c) 2020 Revista Olhares & Trilhas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58531 ter, 15 dez 2020 00:00:00 -0300 Edição Completa http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58533 <p>Número atemático</p> Conselho Editorial (Autor) Copyright (c) 2020 Revista Olhares & Trilhas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58533 ter, 15 dez 2020 00:00:00 -0300 Formal e-mails: the very difficult ones for university students http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58112 <p>The formal mail to professors.</p> Annarita Miglietta (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/58112 ter, 15 dez 2020 15:15:45 -0300 La pereza febril en la Educación Matemática concebida desde Michel Foucault http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/56763 <p><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">La conceptualización de la perceptividad febril por el genealogista Michel Focuault de las esencias soslayadora en la colonialidad de la Educación Matemática, desde la hermenéutica integral como método completo </span></span></span></span><em><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">con el objetivo completo de analizar el peligro febril actual en la Educación Matemática actual y el despertar de la febrile beauty. </span><span style="vertical-align: inherit;">hacia la Educación Matemática Decolonial Transcompleja</span></span></span></span></em><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"> . </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Más allá de los momentos analíticos, empíricos y proposicionales del dictum transmittal.</span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">En el momento de la proposición, el acto de instar al acto de reconectar desconectando el pensamiento del profesor de matemáticas, el poder del intercambio en una transformación espiritual descolonial que impulsa el ecosistema, una metamorfosis real, enfatizando los mecanismos modernistas de cómo transformar. </span><span style="vertical-align: inherit;">desde las tareas exitosas, la efímera renovación de la mente del maestro, desde el relativismo de los innovadores, cuando el maestro continúa en su ejercicio del poder en su febril peligro. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">El sujeto investigador juega un papel principal en la indagación. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Estas sólidas conclusiones de continuaciones para continuar los estudios en la línea de investigación </span></span></span></span><em><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Educación Matemática Decolonial Transcompleja.</span></span></span></span></em></p> Milagros Elena Rodriguez (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/56763 ter, 15 dez 2020 00:00:00 -0300 Percepção de estudantes do ensino médio de uma escola pública do Espírito Santo sobre o ensino de Biologia http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57134 <p>O objetivo foi analisar as percepções dos estudantes do Ensino Médio em relação ao ensino de Biologia. A pesquisa contou com a participação de 147 alunos de uma escola pública localizada no norte do Espírito Santo. Os dados foram obtidos através de questionário semiestruturado. Observou-se que a disciplina de Biologia é apreciada por 56,8% dos estudantes devido ao interesse em conhecer os seres vivos, porém considerada complicada por apresentar termos complexos e não se sentirem estimulados pela didática do professor. Os conteúdos de maior interesse pelos alunos na disciplina de Biologia são corpo humano, zoologia e genética e os de menor são células e plantas; e os recursos didáticos mais utilizados são aparelho multimídia, quadro branco e livro didático, porém os estudantes afirmaram que gostariam que as aulas de Biologia tivessem cunho prático com atividades de laboratório, uso de microscópio, aula de campo e visita a museus. Conclui-se que a biologia, apesar de ser apreciada pela maior parte dos estudantes, seu ensino ainda se encontra limitado pelo tradicionalismo metodológico e conceitual, carecendo de práticas que valorizam o conhecimento científico e a contextualização dos saberes com o cotidiano do aluno.</p> Fernanda Tesch Coelho, Érica Duarte Silva, Juliana Castro Monteiro Pirovani (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57134 ter, 15 dez 2020 00:00:00 -0300 Feira de ciências e saberes: um olhar dos docentes para as contribuições da educação científica na educação básica http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57118 <p>Esse estudo investigou as contribuições de uma experiência de Feira de Ciências e Saberes para a educação científica na educação básica. Quatro professoras das áreas de Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, orientaram os trabalhos científicos exibidos na feira de ciências. As percepções dos docentes sobre as contribuições para a construção do conhecimento científico, foram investigadas por meio de um questionário e posteriormente empregou-se a Análise de Conteúdo. Três categorias emergiram da análise de conteúdo: Relações interpessoais; Material de apoio pedagógico; Aprendizagem e Construção do conhecimento. A Feira de Ciências e Saberes apresentou-se como uma prática pedagógica eficiente, ao possibilitar a integração teoria-prática dos conteúdos curriculares, além de aproximar os estudantes à busca e construção do conhecimento, e articulação de valores, como o trabalho coletivo e o respeito ao próximo, evidenciando o papel da Escola na difusão da cultura científica.</p> VANESSA CANDITO CANDITO, Carolina Braz Carlan Rodrigues, Karla Mendonça Menezes (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57118 ter, 15 dez 2020 18:05:41 -0300 Alfabetização Científica e Tecnológica na formação do cidadão http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/56887 <p>Muito se fala sobre o ensino de língua portuguesa nos cursos de formação de professores e no cotidiano das escolas e como esta disciplina é central na aprendizagem dos discentes. Contudo, pouco se aborda sobre formas de efetivamente tornar o ensino de língua portuguesa significativo, a partir da inter-relação com a Ciência, a Tecnologia e a Sociedade. O presente estudo objetivou discutir as aproximações entre o campo de ensino de língua portuguesa com a alfabetização científica e tecnológica, no contexto do ensino médio. Para tanto, seguiu a abordagem qualitativa, pautada em revisão bibliográfica, tendo como aporte teórico a crítica especializada no tema e os documentos norteadores de ensino, a exemplo da Base Nacional Comum Curricular (2018). Percebeu-se que o processo de letramento tecnológico introduz os discentes na Alfabetização Científica e Tecnológica nas aulas de Língua Portuguesa, contribuindo para um ensino significativo e, ao mesmo tempo, para uma formação cidadã integral.</p> CÁSSIA SANTOS TEIXEIRA, Rogério José Schuck Schuck (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/56887 ter, 15 dez 2020 19:00:13 -0300 Os “musickings”, por Small, e questões para a Educação Musical http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57800 <p>Este ensaio busca trazer o conceito de “musicking”, de Christopher Small (1998), um músico e estudioso informado pela antropologia interpretativa de Geertz (1973) e a teoria da mente de Bateson (1972). O “musicking” pode ser entendido, nas suas dimensões de função e natureza, como constituidor do ser humano, contemplando seus fundamentos biológico, social e cultural. A partir desta exposição, trazemos algumas implicações deste conceito para a Educação Musical, considerando a contribuição dos autores finlandeses (ODENDAAL et al., 2014) que o identificam e o expressam como fenômeno sônico-social e provocam a área com algumas questões: podemos prescindir de “musicking” para realizar educação? Como podemos organizar nossos ambientes educativos musicais?</p> Uliana Ferlim (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57800 ter, 15 dez 2020 19:13:29 -0300 Notas sobre as interfaces teóricas de Marx e Gramsci para a educação http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/56133 <p>O presente ensaio teórico objetiva realizar apontamentos de naturezas teórica e qualitativa sobre os aspectos relacionados a educação presente nas obras de Karl Marx e Antonio Gramsci. Assim, discutir-se-ão os pressupostos de uma educação, no caso da teoria marxista, voltada a classe trabalhadora e comprometida com a transformação da sociedade, objetivando a emancipação dos sujeitos. Já para Gramsci, suas premissas educacionais refletiam uma escola unitária, de formação integral e humana, também comprometida com a mudança social. Portanto, a justificativa do ensaio se faz relevante para refletir os contextos contemporâneos e os embates em prol de uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade socialmente referenciada.</p> Caio Corrêa Derossi (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/56133 ter, 15 dez 2020 19:20:21 -0300 Interdisciplinaridade, transversalidade e tecnologia http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57426 <p>A Educação Física enquanto disciplina curricular obrigatória na educação básica abre espaço para uma proposta pedagógica que ultrapasse a visão meramente tecnicista tão comum até os dias de hoje. O presente ensaio acadêmico trouxe à baila a possibilidade de propor pensamentos sobre práticas pedagógicas que mediada pelas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) possibilitam um olhar interdisciplinar e transversal sobre os temas da “cultura corporal de movimentos”, coadunando para a promoção e a democratização de diferentes saberes desta área de conhecimento. Para tanto, sugere-se que: 1) os Professores de EFI compreendam que esta área de conhecimento influencia e é influenciada por diferentes campos de conhecimentos, tais como: a biologia, a antropologia, a psicologia, a cinesiologia etc; 2) As práticas corporais são tematizadas, organizadas e determinadas culturalmente e, por isso, precisam ser pensadas por um viés transversal, no qual temas da sociedade são percebidos num atravessamento social de emergência; e por fim 3) As Tecnologias de Informação e Comunicação, bem como os espaços interativos de aprendizagens podem ser estratégias interessantes para desenvolver boas práticas pedagógicas interdisciplinares no contexto da EFI na escola.</p> Joao Paulo Oliveira Faria, Geórgia Regina Rodrigues Gomes (Autor) Copyright (c) 2020 Olhares & Trilhas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/57426 seg, 21 dez 2020 21:19:04 -0300