http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/issue/feed Olhares & Trilhas 2019-11-27T13:36:28-03:00 Claudia Goulart revistaolharesetrilhas@gmail.com Open Journal Systems <p>A Olhares &amp; Trilhas (ISSN:1983.3857 - online) é o periódico quadrimensal da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (Eseba/UFU), avaliado como B1 na Área de Ensino no quadriênio Qualis/Capes 2013-2016, e seus números são publicados em abril, agosto e dezembro de cada ano. A revista objetiva a publicação de artigos, relatos de experiências e de pesquisas, resenhas, galerias e outras produções de professores e pesquisadores em todos os níveis e modalidades de ensino.</p> http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/51537 Expediente 2019-11-27T13:36:28-03:00 Claudia Goulart claudia.goulart@ufu.br <p>Expediente</p> 2019-11-13T15:32:24-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/51528 Apresentação 2019-11-22T19:22:31-03:00 Ana Maria Paes Leme Carrijo Abrahão anamabrahao@gmail.com Ana Cristina Paes Leme Giffoni Cilião Torres acpaeslemetorres@hotmail.com <p>Este volume temático da Revista&nbsp;</p> 2019-11-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/43126 O Projeto Político Pedagógico e as normas complementares para a rede de ensino na Educação Infantil 2019-11-21T14:42:32-03:00 Valéria Queiroz Furtado valeriaqf@hotmail.com Ademir De Marco demarco@fef.unicamp.br <p>Esta pesquisa visou averiguar e analisar a existência de projetos pedagógicos ou normas complementares para a rede de ensino na educação infantil de municípios componentes de duas grandes regiões metropolitanas, em dois diferentes estados brasileiros. A pesquisa foi realizada adotando como método a pesquisa documental. A análise proposta circunscreveu o número de Projetos Políticos Pedagógicos identificados nas duas regiões e a comparação dos dados obtidos. Os resultados evidenciaram um processo de municipalização e a criação de um sistema de ensino próprio apenas em uma das regiões investigadas. Vale ressaltar no desenvolvimento desta pesquisa, a grande resistência por parte dos gestores municipais para procederem ao envio dos documentos solicitados, bem como as diversas justificativas infundadas que foram apresentadas para não ocorrer o envio dos documentos. Ao final é possível inferir que, embora possam ser reconhecidos avanços na organização dos sistemas de ensino na EducaçãoInfantil dos municípios investigados, ainda são urgentes as ações que possibilitem maior grau de autonomia pedagógica e administrativa por parte das secretarias de educação, bem como do repasse desta autonomia para suas unidades de ensino.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/43151 O processo de formação e a práxis de educadores em instituições socioassistenciais: um estudo de caso 2019-11-20T12:32:51-03:00 Alexandre Avelino Giffoni Junior agiffoni@outlook.com Ana Cristina Paes Leme Giffoni Cilião Torres acpaeslemetorres@uel.br <p>Este artigo resulta de uma pesquisa qualitativa dialético-interativa, como intervenção didático-pedagógica por meio da Abordagem Histórico-Cultural. Ela considera que para entender os processos psicológicos é necessário estudá-los em movimento, nas transformações sofridas ao longo da história da humanidade e do indivíduo. O objetivo deste estudo é entender, por meio da formação de professores, as transformações em andamento na implementação da Didática com base nessa abordagem. Este é um estudo de caso realizado em uma associação filantrópica de apoio à criança, localizada na cidade de Rio Verde, Goiás. O objetivo deste estudo é: Analisar o desenvolvimento da formação de professores no planejamento didático-pedagógico de uma unidade didática e como esse planejamento pode refletir no processo de ensino-aprendizagem com os alunos. O artigo mostra a formação dos sujeitos da pesquisa, principalmente com os educadores participantes, por meio do desenvolvimento de conceitos científicos e do cotidiano das pessoas. Dessa forma, confirma a Didática histórico-cultural como ferramenta que possibilita a emancipação e autonomia das pessoas através da educação, ou seja, o desenvolvimento humano através do ensino e aprendizagem desenvolvimental, visando à melhoria de suas condições de vida. A pesquisa pode contribuir para uma Pedagogia Social em Educação e Psicologia com a Teoria Histórico-Cultural.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/45348 Gêneros orais do contexto acadêmico no ensino de português como língua adicional: 2019-11-22T17:56:21-03:00 Carolina Vianini carolvianini@ufsj.edu.br Hiago Higor de Lima hiagohigor7@gmail.com <p>O artigo relata o processo de desenvolvimento de material didático para o ensino específico de português como língua adicional (PLA), tendo como aporte a proposta pedagógica de implementação de gêneros em sala de aula de língua inglesa para fins específicos (RAMOS, 2004). Seguindo, ainda, a dinâmica sugerida por Silva; Leurquin (2014) de elaboração de material didático, desenvolveu-se uma unidade didática em torno do gênero apresentação oral, utilizada com alunos estrangeiros intercambistas inscritos em cursos do Idiomas Sem Fronteiras – Português (IsF-Português) da Universidade Federal de São João del-Rei - MG. Considerando-se a importância e a carência do trabalho com gêneros orais em sala de aula de línguas estrangeiras, busca-se refletir sobre as implicações do desenvolvimento de material com fins específicos para o processo de ensino-aprendizagem de PLA no contexto universitário, bem como para a formação inicial do professor.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/47059 Um modo de significar a formação docente pelo olhar do professor-formador 2019-11-22T18:20:25-03:00 Adriana Ofretorio de Oliveira Martin Martinez aofretorio@gmail.com <p>As qualidades descritivas e reflexivas da escrita narrativa permitem, ao sujeito que a escreve, adentrar nas dimensões históricas e sociais de sua trajetória profissional e nas interrelações que o formam. Esse tipo de escrita torna-se um modo possível de se questionar os sentidos das práticas profissionais e transgredir possíveis ações que não se modificam. Partindo desse contexto, o presente trabalho propõe tecer um diálogo sobre os sentidos e significados que perpassam as dinâmicas de formação continuada de professores, mas pelo olhar de quem as planejou – sujeito que denominamos como professor-formador. Para tanto, com o aporte teórico da psicologia Histórico-Cultural e metodológico do paradigma indiciário, analisaremos as narrativas reflexivas escritas de uma professora-formadora, elaboradas a partir de suas experiências como responsável por cursos de formação continuada sobre a prática pedagógica para professores e educadores de uma rede pública de ensino paulista. &nbsp;A narrativa escrita das experiências da professora-formadora se tornou um modo de elaborar novos planos de ação &nbsp;formativas diante daquilo que ela observou ser importante para os professores e educadores aprenderem sobre o planejamento pedagógico nos cursos. Assim, o conceito de formação, como algo dinâmico e a ser construído no percurso, tornou-se motivo de reflexão.</p> 2019-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/47975 O Circuito da Ciência 2019-11-22T18:44:16-03:00 Karoline Duarte Lopes karolduartelopes@gmail.com Cirlande Cabral da Silva cirlandecabral@gmail.com <p>O objetivo deste artigo é apresentar as experiências educativas de alunos do ensino fundamental (sexto ao nono ano) no Circuito da Ciência para a promoção de alfabetização científica. Dois instrumentos foram utilizados para a coleta dos dados: observação com registro no diário de campo e entrevistas. A pesquisa foi desenvolvida em 2018, primeiramente com o acompanhamento da visita de escolas públicas da cidade de Manaus ao Bosque da Ciência (Espaço de educação não formal), local idealizado para abrigar o Circuito da Ciência, totalizando quatro escolas. Posteriormente, foram feitas visitas a essas escolas a fim de conseguirmos a autorização dos responsáveis legais para realizarmos as entrevistas com uma amostra de vinte alunos que visitaram o Projeto Circuito da Ciência. Os dados obtidos foram analisados de acordo com a Análise Textual Discursiva de Moraes e Galiazzi (2011). Diante da análise realizada, percebemos que o Bosque da Ciência, por ser um local com um caráter institucional, favorece a aproximação da população com a ciência. É um espaço não formal que fornece recursos didáticos valiosos para o aprendizado, contribuindo de forma significativa para o ensino de ciências visando à alfabetização científica de seus visitantes.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/48875 Gênero Resenha: 2019-11-22T18:31:30-03:00 João Miller Da Silva millersilvanep@hotmail.com <p>Este artigo tem a finalidade de analisar a adequação das características do gênero resenha. As resenhas analisadas foram produzidas por alunos de escola pública e foram coletadas em situação de ensino aprendizagem. A pesquisa contou com uma pesquisa teórica fundamentada em Bakhtin (2003); Marcuschi (2008); Andrade (2006); Machado (2004) Motta- Roth (2001) e entre outros. Foi possível constatar que os alunos apresentaram dificuldades para fazer os movimentos retóricos estruturados da resenha.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/49734 Sistemas Adaptativos Complexos e Relações Professor-Aluno no Contexto Idiomas sem Fronteiras 2019-11-22T18:36:04-03:00 Semírames Bruna Ávila semiramesavila18@gmail.com Gasperim Ramalho de Souza gasperim.souza@ufla.br <p>O artigo relata o processo de desenvolvimento de material didático para o ensino específico de português como língua adicional (PLA), tendo como aporte a proposta pedagógica de implementação de gêneros em sala de aula de língua inglesa para fins específicos (RAMOS, 2004). Seguindo, ainda, a dinâmica sugerida por Silva; Leurquin (2014) de elaboração de material didático, desenvolveu-se uma unidade didática em torno do gênero apresentação oral, utilizada com alunos estrangeiros intercambistas inscritos em cursos do Idiomas Sem Fronteiras – Português (IsF-Português) da Universidade Federal de São João del-Rei - MG. Considerando-se a importância e a carência do trabalho com gêneros orais em sala de aula de línguas estrangeiras, busca-se refletir sobre as implicações do desenvolvimento de material com fins específicos para o processo de ensino-aprendizagem de PLA no contexto universitário, bem como para a formação inicial do professor.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/49803 Processos e Práticas de Alfabetização 2019-11-22T18:46:15-03:00 Elisabete F. E. Campos betecampos@terra.com.br Andreia de Souza Grava agrava@uol.com.br <p>Este artigo refere-se à pesquisa qualitativa, com o objetivo de identificar os fatores presentes nos processos e práticas de alfabetização em uma escola de tempo integral de um município da Grande São Paulo. A política de tempo integral requer investimento em alfabetização, que ocorre de forma particular nas diferentes redes e escolas, o que levou a essa investigação, entrevistando a coordenadora pedagógica e professores que atuam nos três primeiros anos do ensino fundamental. As manifestações dos entrevistados, analisadas com base em teóricos da área, especialmente Freire e Ferreiro, revelaram que ainda predomina a compreensão da alfabetização como ensino de código considerado pré-requisito para o letramento, e não há trabalho coletivo para problematizar essa concepção, que se afasta dos teóricos referidos. Excluir docentes dos debates sobre políticas educacionais, somando-se à ausência de estudos teóricos articulados com as análises e reflexões de suas práticas, pode contribuir com dificuldades nos processos de alfabetização e levar à reprovação de estudantes. Nos destaques finais, apontamos os descompassos das políticas e as diretrizes anunciadas pelo atual governo, preocupado em eliminar a ideologia na educação e implantar o método fônico.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> 2019-10-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/45974 Trilhas interpretativas como um potencial pedagógico: 2019-11-22T18:56:11-03:00 Ednilza Maranhao dos Santos ednilzamaranhao@gmail.com <p>Este trabalho teve como objetivo relatar uma experiência desenvolvida por alunos e professor do curso de licenciatura em ciências biológicas, com a participação de bolsista de iniciação cientifica do ensino médio de escolas públicas da região, do primeiro ano do ensino médio em uma área de Caatinga do agreste do Estado de Pernambuco. No período de dezembro de 2012 a outubro de 2013, trilhas de interpretação ambiental foram planejadas na Fazenda Fieza, no município de Santa Cruz do Capibaribe. Duas trilhas foram mapeadas e nessas, onze pontos foram considerados potenciais como paradas para reflexão, contemplação e contextualização sobre os elementos naturais do bioma Caatinga, conteúdos importantes para sensibilização e valorização do lugar. Três etapas fizeram parte do planejamento da trilha (Etapa 1: levantamento de dados; etapa 2: elaboração do roteiro pedagógico; etapa 3:&nbsp; execução para socialização da vivencia e avaliação do processo. Um total de 43 alunos participaram das trilhas e foi notório o interesse dos alunos sobre o bioma, observado através da percepção escrita e de desenhos feitos por eles durante as atividades.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/46046 Formação de professores de Ciências e Biologia para além da sala de aula 2019-11-22T19:28:01-03:00 Neusa Elisa Carignato Sposito neusaelis@yahoo.com.br Tamires do Carmo Dias dias.tamiresdc@gmail.com <p>Este relato de experiência refere-se às atividades de ensino desenvolvidas no projeto intitulado Laboratório de Ensino: Contribuições para a Formação Discente, decorrente do Edital I\19002/2017/PROGRAD/DIREN, da Universidade Federal de Uberlândia. Ele foi desenvolvido no Laboratório de Ensino (LAEN) do Curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP) sob a responsabilidade da bolsista e da coordenadora, durante um período de dez meses,com 20 horas semanais. Participaram das atividades os licenciandos deste e de outros cursos e professores da Educação Básica. A bolsista aprendeu sobre a gestão do LAEN, realizou as seguintes atividades: a Exposição do Acervo do LAEN que consistiu na apresentação do laboratório e seu acervo; a Oficina Criativa promoveu a interação dos participantes com os materiais do laboratório e a Oficina de Moldes em Gesso de Folhas Vegetais, esta última com metodologia para pessoas com deficiência visual. Constatou-se por meio dos relatos escritos pelos participantes após a realização destas atividades que elas foram exitosas demonstrando que o processo formativo dos alunos pode ocorrer para além da sala de aula.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/46851 Experiência docente no Ensino Fundamental I: um olhar para as contribuições de uma Feira de Ciências na alfabetização científica 2019-11-22T19:31:03-03:00 DAYVISSON LUIS VITTORAZZI dlvittorazzi@gmail.com ALCINA MARIA TESTA BRAZ DA SILVA alcina.silva@cefet-rj.br <p>No presente texto apresentamos o relato de nossa experiência de trabalho com Feira de Ciências, realizada no ano de 2018, em uma escola municipal de Ensino Fundamental do estado do Espírito Santo. O evento se efetivou mediante o desenvolvimento de atividades que incentivaram a problematização de temas cotidianos e o estabelecimento de investigações sobre alimentação, com um grupo de vinte e cinco alunos do 4° ano dessa etapa da Educação Básica. Foi possível notar, de maneira positiva, o envolvimento dos alunos com as atividades, que lhes permitiram a aquisição de conceitos científicos, a participação em discussões, a argumentação de posicionamentos e a concretização de ações científicas. Assumimos, nessa tarefa, o papel de mediadores, o que exigiu esforços no sentido de reestruturar práticas e posturas pedagógicas por meio de reflexões críticas acerca do ensino tradicionalmente aplicado.</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/47960 A Experiência Finlandesa na Formação de um Professor 2019-11-22T19:35:22-03:00 Christian Alves Martins christian.martins@uol.com.br <p>Este artigo descreve o corolário de uma formação docente continuada sob a perspectiva de um professor do Ensino Básico motivado por uma parceria investigativa, interinstitucional e internacional entre o Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Uberlândia (CAp/UFU) e a Escola de Educação da Universidade de Tampere, na Finlândia. Refutando modelos de referência a serem reproduzidos acriticamente, propomo-nos, neste texto, a refletir acerca da concepção colaborativa de trabalho, levando em consideração as distintas especificidades de cada realidade, proporcionando a significação de sujeitos e de práticas pedagógicas.</p> <p>&nbsp;</p> 2019-11-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2019 Olhares & Trilhas