Teatro e Educação Inclusiva:

uma pedagogia do teatro com pessoas com deficiência em tempos de Ensino Remoto Emergencial no Acre

Palavras-chave: Acessbilidade, Ensino Remoto Emergencial, Educação Inclusiva, Pedagogia do Teatro

Resumo

Propõe-se com este texto relatar a experiência do projeto de extensão denominado Teatro e Educação Inclusiva: uma proposta pedagógica no Centro de Ensino Especial Dom Bosco e no Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual de Rio Branco, realizado na Universidade Federal do Acre, entre os meses de maio a dezembro de 2020. A pesquisa desenvolvida, de forma remota, contou com a participação de discentes da Universidade Federal do Acre, que atuaram como bolsistas para a realização da prática pedagógica com pessoas com deficiência. Para o desdobramento do projeto, quatro fases foram importantes, sendo elas: I – Formação sobre os temas e encontros com especialistas da área; II – Participação e Organização de eventos relacionados a Teatro e Acessibilidade Cultural; III – Realização de planejamento e preparação das aulas de teatro com alunos e alunas com deficiência; IV – Ministrar aulas para 22 discentes com deficiência do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAPDV) e do Centro de Ensino Especial Dom Bosco. Portanto, neste texto, propõe-se descrever o percurso e as referências que serviram de base para o desenvolvimento das abordagens teatrais com os referidos discentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Ferreira da Silva, Universidade Federal do Acre

Doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia. Educador Adjunto da Universidade Federal do Acre.

Referências

BRASIL. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nº 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 2004. https://doi.org/10.11606/d.7.2018.tde-24092018-164624

BRASIL, Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva: MEC/SEESP, Brasília, 2008. https://doi.org/10.17648/galoa-cbee-6-29723

BRASIL. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília: Diário Oficial da União, 2009.

https://doi.org/10.26668/indexlawjournals/2526-0197/2016.v2i2.1392

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão das Pessoas com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília: Diário Oficial da União, 2015. https://doi.org/10.11606/d.47.2020.tde-03082020-111148

BRASIL. Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Coordenação-Geral de Saúde da Pessoa com Deficiência. Nota Informativa Nº 28/2020. Orientações à rede de cuidados à saúde da pessoa com deficiência relativas ao Coronavírus (Covid-19). Brasília: Ministério da Saúde, 2020. Disponível em: https://pcd.mppr.mp.br/arquivos/File/NI28.pdf Acesso em 19 de fevereiro de 2021.

CRIP CAMP: Revolução pela Inclusão. Direção de James Lebrecht e Nicole Newnham. Estados Unidos: Netflix, 2020. 1h48m.

DORNELES, Patrícia; SILVA, A. C. C.; CARVALHO, C. R. A.; MEFANO, V.. Do Direito Cultural das Pessoas Com Deficiência. Revista de Políticas Públicas da UFMA, v. 22, p. 137-154, 2018. https://doi.org/10.18764/2178-2865.v22n1p138-154

FARIAS, Sergio Coelho Borges. A mit-disciplinaridade como desafio para os profissionais de arte e educação na contemporaneidade. Anais ABRACE, v. 11, n. 1, 2010.

FERREIRA DA SILVA, Carlos Alberto. Cidade Cega: uma encenação somática/performativa com atores performers com deficiência visual na cidade. Salvador, 2018.

FERREIRA DA SILVA, Carlos Alberto. A abordagem do princípio somático-performativo Flâneur Cego com mães de pessoas com deficiência na APAE de Senhor do Bonfim -BA. Ephemera (Online), v. 3, p. 176-192, 2020. https://doi.org/10.47749/t/unicamp.2016.974213

FREIRE, Paulo. Carta de Paulo Freire aos professores. Estudos avançados, v. 15, n. 42, p. 259-268, 2001. https://doi.org/10.1590/s0103-40142001000200013

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, v. 1, n. 19, p. 20-28, 2002. https://doi.org/10.1590/s1413-24782002000100003

OMS. Considerações sobre pessoas com deficiência durante o surto de COVID-19. Organização Pan-Americana da Saúde, 2020.

ORRÚ, Sílvia Ester. O re-inventar da inclusão: os desafios da diferença no processo de ensinar e aprender. Petrópolis, RJ : Vozes, 2017.

PPC. Projeto Pedagógico do Curso (PPC) Área Básica de Ingresso Teatro (Bacharelado e Licenciatura). Universidade Federal do Acre. Rio Branco, Acre, 2018. https://doi.org/10.21170/geonorte.2020.v.1.n.37.154.174

SARRAF, Viviane Panelli. Acessibilidade cultural para pessoas com deficiência – benefícios para todos. Revista do Centro de Pesquisa e Formação / Nº 6, junho 2018. https://doi.org/10.33233/eb.v18i1.2704.s1797

SOUZA, Emilly. Funbesa doa argila para projeto de apoio a pessoas com deficiência. Notícias do Acre. 2020. Disponível em: https://agencia.ac.gov.br/funbesa-doa-argila-para-projeto-de-apoio-a-pessoas-com-deficiencia/. Acessado em 12 de fevereiro de 2021.

UFAC. Pró-Reitoria de Graduação. Ensino Remoto Emergencial: cursos de Graduação da UFAC. Rio Branco, AC: Prograd_Ufac, 2020. https://doi.org/10.11606/t.6.2017.tde-17072017-182250

Publicado
2021-08-22
Como Citar
FERREIRA DA SILVA, C. A. Teatro e Educação Inclusiva: . Olhares & Trilhas, v. 23, n. 3, p. 1307-1334, 22 ago. 2021.