Política pública de formação de professores e os desafios do Parfor para a área da música

  • Andersonn Henrique Araújo Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Formação de professores, Educação musical, Política pública

Resumo

Este ensaio estuda o Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) mais em específico a formação de professores em música. Nosso objetivo foi discutir o Programa como uma ação dentro da macropolítica pública brasileira refletindo sobre os desafios que envolvem o fazer musical. Para tanto, utilizamos a reflexão de nossa prática enquanto professor do Parfor no Campus Avançado da UERN na cidade de Pau dos Ferros/RN. Para interpretação desses dados foi feita pesquisa de referenciais na área de Música e Políticas Públicas. Como resultado, percebemos que a articulação entre a macropolítica e a ação do Parfor pode promover diferentes perspectivas de ensino ao passo que tanto o ensino de Música quanto o Programa possuem características singulares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BANCO MUNDIAL. Education sector strategy. Washington: Banco Mundial, 1999.

BANCO MUNDIAL. Brasil justo, competitivo, sustentável. Brasília: Banco Mundial, 2002.

BARRETO, Elba. Políticas de formação docente para a educação básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação. v.20, n.62, p. 679-701, jul./set. 2015.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em: <http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=102480>.

Acesso em 30 de junho de 2018.

BRASIL. Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2019

BRASIL. Relatório do 3º ciclo de monitoramento das metas do Plano Nacional de Educação – 2020. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2020.

CLUNE, William. Law and public policy: Map of an área. Southern California Interdisciplinary Law Journal, v.2, n.1, p.15-60. 1993.

CURY, Carlos. Políticas inclusivas e compensatórias na educação básica. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 124, p. 11-32, jan./abr. 2005.

GATTI, Bernardete. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v.13, n.37, p.57-70, 2008.

NASCIMENTO, Catarina. A formação docente em música e o PIBID: uma relação dialógica. In: CONGRESSO NACIONAL DA ABEM, 22, 2015, Natal. Anais. Natal: ABEM, 2015. Disponível em http://abemeducacaomusical.com.br/conferencias/index.php/xxiicongresso/xxiicongresso/paper/viewFile/1096/510. Acesso em 09 de dezembro de 2019.

PACÍFICO, Andrea Maria Calazans Pacheco. The social capital of refugees: cultural background versus public policy. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

QUEIROZ, Luis Ricardo; PENNA, Maura . Políticas públicas para a educação básica e suas implicações para o ensino de música. Educação (UFSM), v. 37, p. 91-106, 2012.

RUA, Maria das Graças. Análise de Políticas Públicas: conceitos básicos. In RUA, Maria das Graças e CARVALHO, Maria I. V. de (orgs.). O Estudo da Política: tópicos selecionados. Brasília: Paralelo 15, 1998, 231-260

UNESCO. Marco referencial de ação prioritária para a mudança e o desenvolvimento do ensino superior. Anais da Conferência Mundial sobre o Ensino Superior. Tradução de Unesco/CRUB. Paris: Unesco, 1998.

Publicado
2020-08-25