A prática docente na Educação de Jovens e Adultos: construindo novas possibilidades

  • DIEGO LUTZ UFRGS
Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos, Empoderamento, Aprender

Resumo

O presente artigo tem por objetivo refletir sobre a possibilidade de novas práticas na Educação de Jovens e Adultos, apontando para novos horizontes para esta modalidade de ensino. Esta reflexão teve como ponto de partida a prática de Estágio, no curso de Licenciatura em Pedagogia a Distancia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A realidade da EJA no país nos mostra que, embora seja uma modalidade diferente da educação regular, as práticas ali estabelecidas refletem velhas práxis docentes centradas no conteúdo, sem considerar os sujeitos, sua história, sua realidade e necessidades. Neste sentido, a partir do trabalho desenvolvido com a metodologia dos Projetos de Aprendizagem (PA), considerando os sujeitos como foco central da prática docente, buscou-se transformar o espaço da sala de aula em um ambiente dinâmico, de interação, de práticas colaborativas e aprendizagem, explorando os espaços escolares e as tecnologias da informação e comunicação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm>. Acesso em: 10 jun. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.632, de 6 de março de 2018.

Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para dispor sobre educação e aprendizagem ao longo da vida. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13632.htm>. Acesso em: 10 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CEB nº 11/2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/PCB11_2000.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2020.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. TIC Educação 2018. Disponível em: < https://cetic.br/pesquisa/educacao/indicadores/>. Acesso em: 01 jun. 2020.

FAGUNDES, Léa da Cruz; SATO, Luciane Sayuri; MAÇADA, Débora Laurino. Aprendizagens do futuro: as inovações começaram. Coleção Informática para a mudança na Educação. Brasília: MEC, s/d.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 1. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

FRIEDRICH, Márcia; et. al. Trajetória da escolarização de jovens e adultos no Brasil: de plataformas de governo a propostas pedagógicas esvaziadas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro: v. 18, n. 67, p. 389-410, abr./jun. 2010.

HARA, Regina. Alfabetização de adultos: ainda um desafio. 3. ed. São Paulo: CEDI, 1992.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer CEB/CNE 11/2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/PCB11_2000.pdf>. Acesso em: 24 jun. 2019.

PAIVA, Jane; FERNANDES, Fátima Lobato.Da concepção á prática de formação inicial: a EJA no currículo de pedagogia. Revista Teias. Rio de Janeiro: vol. 17, Edição especial, p. 25-42, 2016.

Publicado
2020-08-25